Vídeo tira onda com o prefeito Geraldo Júlio e bomba na internet

A produção audiovisual relacionada ao Movimento Ocupe Estelita que já nos deu filmes impactantes e de grande repercussão nas redes sociais como Recife, Cidade Roubada, ganhou um novo rebento: o clipe Novo Apocalipse Recife, uma brincadeira, parodiando a canção “Recife, Minha Cidade”, de Reginaldo Rossi. Nele vemos um personagem com a máscara do prefeito do Recife Geraldo Júlio (PSB), vestindo uma sunga com a bandeira de Pernambuco, se deliciando com a construção de espigões e brindando na piscina de uma cobertura, com os donos das construtoras, a descaracterização da cidade.

Leia Mais
A iconografia do OcupeEstelita
Carta do Recife: O dia a dia na ocupação
Recife: Cidade Roubada
#Resiste: Tudo o que já publicamos sobre o OcupeEstelita

O curta tem 6’30″de duração e apesar do tom bem humorado, consegue mostrar os absurdos cometidos pelo atual gestor da cidade que sancionou a lei permitindo a demolição do histórico Cais José Estelita para a construção de 12 torres de 40 andares, dando aval a um projeto que desde o início (em gestões anteriores a sua) é marcado por irregularidades comprovadas. O projeto Novo Recife tem várias ações na Justiça para barrar sua execução e o prefeito Geraldo Júlio que hoje tem o poder de embargar a obra, simplesmente ignorou o apelo da população.

Reprodução.

Reprodução.

O filme foi postado na última quarta-feira (13) e em apenas um dia já tinha sido visto por cerca de 250 mil internautas. Ele tem a participação dos integrantes do Empatando Tua Vista e tem cenas muito engraçadas como o figura do prefeito dançando agarradinho com os prédios. Brinca também com os filmes do gênero disaster movie ao mostrar a cidade sendo destruída por um espigão monstro.

O recurso à sátira é uma forma de alcançar um público mais diverso para chamar atenção a um problema que diz respeito a todos os cidadãos do Recife. O uso do humor escrachado e da greia busca uma comunicação mais fácil com a população. As críticas contidas no filme, no entanto, não são levianas. Elas são fundamentadas e tem respaldo nas decisões arbitrárias do poder público que defende as empresas imobiliárias e dá as costas para os cidadãos. Nos créditos finais o filme é oferecido aos vereadores que votaram a favor do Projeto Novo Recife.

estelita

Sem mais artigos