Certa está a Holanda ao permitir, por lei, que seja realizado sexo em locais públicos. Todo mundo faz mesmo. Não que eu seja adepta de carteirinha. Jamé! Mas de repente…bate aquela vontade lôka. O bofe que está na sua frente sente a mesma coisa. Então é correr pro abraço em algum cantinho mais reservado. Quem nunca fez isso que atire a primeira pedra. E antes de qualquer coisa: confesse pra você mesmo que tem vontade de fazer, que faz ou que já fez em locais públicos.

Banheiros por exemplo. Tenho uma amiga sapa que é adepta full time. E, segundo ela, os melhores locais são os banheiros de restaurantes chiques. Sempre tem uma peruona querendo fazer sabão enquanto a lagosta não fica pronta, enquanto o marido resolve negócios no celular, enquanto o papo está chato demais. Elas vão lá. Retocam a maquiagem. Ensaboam! E o fôlego é revitalizado. Haja visto que até famosas celebridades como George Michael já foram pegas no flagra, é fato comprovado tratar-se de uma prática comum e extremamente prazerosa se bem utilizada.

Eu fiz uso dessa tática na última semana. Cansada de filmes e pipoca decidi bater cabelo. Chego lá (eu e a besha) fomos logo ao banheiro. Nesse momento. Pânico!!!! Descobrimos que era tudo uma coisa só. Unisex. E claro. Rolou lindo. A bicha foi prum lado. Eu, mãe de carreira promissora, fui pro outro. Chegamos em casa, ambas, estafadas.

No dia seguinte, foi quase impossível não pensar numa espécie de manual de etiqueta pro banheirão. Ficamos eu e o Carlos, por horas, observando todo o movimento. Fazendo anotações em guardanapos. E lá vai o resultado. Siga atentamente as instruções, e aprecie com moderação. Não esqueça de um detalhe importante: tudo ali é feito embaixo dos panos, portanto use o bom-senso se não perde a graça e o tesão. E o meu objetivo não é incentivar essa prática ilícita, mas alertar para que se evitem abusos e deselegância…

1. Antes de qualquer coisa querida, lembre da primeiríssima regra e mais importante de todas: um banheiro de bôite é, antes de qualquer coisa e independente de toda conotação lúdica, um banheiro público. Portanto nada mais natural que pessoas queiram usa-lo. Então, não faça bico e nem se irrite com o entra-e-sai, afinal, o local é público, você é que tem que ter em mente que, ordinariamente, ele não serve pra foder, mas sim o risco de fazer isso ali é que torna a situação mais excitante. E mais cômoda, pois é gratuita, é fortuita, sem troca de nomes e nem cobranças tolas. Então, desencane. Saia de casa pra fazer seu banheirão com o mesmo raciocínio que você teria se estivesse passando ali ao acaso, sem criar grandes expectativas. Entenda que: tudo ali é proibido e está contra você. O que vier, é lucro, e depende da forma como você direciona as expectativas que deposita na empreitada. Ali dentro você poderá achar desde uma satisfação imediata de um tesão louco até um amigo ou príncipe, nunca sabemos.

2. Confie na Lei das Afinidades, muito em voga com o nome de Lei da Atração, do filme O Segredo, assistiu? Se sim, coloca a cabecinha pra vibrar positivo; se não, corre no camelô da esquina e compra o DVD pirata e assiste ontem, é uma sugestão de ouro. Afinal quando você sai de casa se sentindo uma merda, fatalmente atrairá só merdas. Se você sai disposto a se divertir, com a auto-estima lá em cima mesmo, a tendência é que se dê bem. Independente disso, sempre haverão os cuzões e carões de plantão, não se incomode com eles, eles querem apenas ser vistos, e você é mais, você quer realizar, entendeu?! Você não quer apenas ficar com frescura, afinal, você poderia ser feliz sozinha (o) em casa, não é mesmo? Nunca deixe nada te abater.

3. Num banheirão, tudo é permitido. Graças a dels!! Pode só ficar olhando, pode beijar, tocar mamilos e barrigas, usar três dedos, encoxar, enfim, as possibilidades são mil, explore-as com bom senso, entre a razão e o tesão.

4. Quando entrar, se estiver vazio, aguarde. Com certeza em alguns minutos vai aparecer alguém. Olhar pelo espelho sempre é interessante, é meio que um código. Dentro dessa tática de fazer charme na frente ao espelho, dentro das possibilidades do local, é um ótimo sinal. Olhos nos olhos, sorrisos sacanas enfim…trata-se de sinais velados. Se o bofe ou a gigoléte fica na sua, olhando, é porque está a fim. Bem como aquelas que entram e ficam anos assoando o nariz ou entrando e saindo do reservado. Essa é uma dica de reconhecimento também. Mas sugiro que vá direto ao ataque. Se você entrar e estava rolando uma putaria, você notará que todo mundo, homens e mulheres estarão mais trêmulas, mais agitadas que o habitual, olhando fixamente para algum ponto oco. Isso é chavão, é clichê, é, praticamente um ato reflexo. Não demore pra demonstrar a que veio. Uma regra de ouro para exibicionistas de plantão: ao menor sinal de aproximação intrusa, esconda todo o material utilizado, para não ser pega em flagra!

5. Regra importantíssima, sobretudo nas bôites e restaurantes: mantenha os ouvidos apuradíssimos. Nós, que já nascemos geneticamente preparadas para essas safadezas, temos um ouvido de lince, capaz de identificar os passos e o som do rádio do segurança a metros de distância. O segurança entrou? Não fuja!!!!!! Finja!!!!!!

6. Nada pior do que aquelas bichas sem-noção que pensam que estão na Disneylândia e que todo mundo tem que saber que elas foram ali pra dar. TODO MUNDO QUE ENTRA PRA CAÇAR EM BANHEIRO QUER DISCRIÇÃO, não fuja dessa premissa ou você acaba se queimando. Se não quer ser ofendido nem espezinhado pelo segurança, não dê motivos.

7. Se você está na porta no banheiro, aguardando pra ver quem entra, e passa um cara maravilhoso que te interessa e deixa em dúvida, sugiro o seguinte: espere ele entrar e pausadamente conte até 40. Se ele não estiver interessado, sairá quando você estiver nos 30. Se não sair, ou ele está caçando ou está cagando. Aí você entra pra conferir, entendeu?

8. Não se estresse com o mau-cheiro, se estiver insuportável, saia, pois isso é um sinal místico de que você não encontrará nada que preste lá dentro. E que mesmo que encontre, o cidadão vai querer sair dali o mais rapidamente possível. Lembre da primeira regra: ali é um banheiro, nada mais normal que escutar um peido alto ou ver alguém entrar assobiando o hino do Corinthians. Entenda que você está ali pra se divertir, e não pra ser comparada à alguma diva de Hollywood. Você está num banheiro, não queira pisar em ouro, nem que todo mundo peide com aroma de rosas.

Essas são algumas lições. Semana que vem, se vocês quiserem mais…eu escrevo os outros apontamentos sobre a conduta no banheiro da bôite.

——
[+] Valentina Finnochiaro é ex-maneca, socialite e hoje vive nan ponte aérea São Paulo – Recife – Milão. Escreve crônicas neste espaço toda semana.

Sem mais artigos