Novo caminho para Alex Turner
Por Mariana Mandelli

THE LAST SHADOW PUPPETS
The Age Of Understatement
[Domino, 2008]

Como se não bastasse ter conquistado o mundo (indie) da música com o Arctic Monkeys, Alex Turner lança agora um projeto paralelo com Miles Kane, do The Rascals. Apesar da muita ambição para pouca idade (22 anos), o projeto, indicado a dois prêmios Mojo (“revelação” e “melhor música” para “The Age Of The Understatement”) funciona bem. A amizade entre os dois surgiu em 2005, quando o The Little Flames, ex-banda de Kane, excursionou com o grupo de Turner. Kane chegou a participar de algumas faixas do Arctic Monkeys: tocou guitarra em “505”, “The Bakery” e “Plastic Tramp”.

Inspirados pela devoção a Scott Walker, David Bowie e David Axelrod, os dois resolveram unir gostos, vocais e guitarras e colocar tudo isso em ação. O resultado da parceria é a banda The Last Shadow Puppets e o disco The Age Of The Understatement, que conta com James Ford, integrante do Simian Mobile Disco e também produtor dos Monkeys e dos Klaxons.

Ao apertar o play no disco, é inevitável não pensar na banda principal de Alex Turner. A voz dele é tão característica que fica difícil desvinculá-lo da imagem de frontman dos Monkeys. Sem contar que nos Puppets ainda há as paradinhas, bateria martelada e o clima de urgência (a faixa “The Age Of The Understatement” é um exemplo). Mas não se engane: o novo som tem mais efeitos sonoros e letras muito diferentes das sacadas sobre o cotidiano da juventude inglesa de Turner em Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not (2006) e Favourite Worst Nightmare (2007). Agora as letras são mais profundas e tocam em assuntos como relacionamentos de modo mais complexo do que simplesmente falar de garotos e garotas em uma festa. Um exemplo é “Standing Next to Me”, que trata de um triângulo amoroso.

Com orquestrações (“Calm Like You”), texturas mais trabalhadas (“In My Room”), acordes soturnos (““Only the Truth”), guitarras acústicas (“The Time Has Come Again”), o vocal duplo de Turner e Kane (“Black Plant”), referências de pop sinfônico (“My Mistakes Were Made for You” com influências groove) e baroque-pop, a sonoridade dos Puppets é mais abrangente do que o indie rock direto dos Monkeys. The Age Of The Understatement é um trabalho maduro – e, por essa razão, menos divertido que qualquer trabalho dos Monkeys – e multireferencial. É, Alex Turner está crescendo.

NOTA: 7,5

The Last Shadow Puppets – The Age Of The Understatement

Sem mais artigos