De Nantes (França)

A França não é apenas o Festival de Cannes. Em várias cidades do país, durante todo o ano, são realizados inúmeros festivais importantes do calendário cinematográfico mundial, a exemplo, entre outros, do Festival de Cinema Latino Americano de Toulouse e do Festival Internacional de Curta Metragem de Clermont-Ferrand. E um dos eventos mais novos e interessantes a integrar essa lista é o Sofilm Summercamp, que este ano realiza sua quarta edição, em Nantes, localizada no oeste da França, às margens do rio Loire. A cidade é “cidade-irmã” do Recife, graças a um convênio firmado, em 2005, entre as duas prefeituras.

O festival teve início ontem e prossegue até o próximo domingo (24) e, em uma de suas sessões especiais, vai exibir o filme pernambucano do Ciclo do Recife, A Filha do Advogado, de Jota Soares, seguido de um debate com o cineasta Kleber Mendonça Filho. A presença de Kleber marca também uma aproximação do Sofilm, organizado pelo produtor e crítico Thierry Lounas, com o Janela Internacional de Cinema, festival coordenado pelo diretor de O Som ao Redor e Aquarius.

A Filha do Advogado, clássico pernambucano exibido em Nantes, cidade-irmã do Recife. (Divulgação).

O festival ocorre em diversos locais. As sessões principais acontecem no Cine Katorza e no Concorde, localizados no centro histórico de Nantes. No Quartier de La Création, na Ilha de Nantes, se desenvolvem diversas atividades, tanto na escola de música Trempolino, quanto no Stereolux, um espaço de criação e difusão artística. Foi lá, em uma de suas salas, que na noite de abertura do festival foi exibido o curta pernambucano Peito Vazio, do jovem realizador Yuri Lins, encerrando a Mostra Cinema Emergente.

O Sofilm não tem mostra competitiva e é um evento voltado sobretudo para aos jovens realizadores e para o público cinéfilo com avant-première de filmes premiados em festivais recentes, mostras de filmes clássicos e sessões especiais com a presença de realizadores. Na edição desse ano um dos convidados é o cineasta americano Abel Ferrara, que vai apresentar e conversar com o público após a sessão dos filmes Alive in France (2017) e Bad Lieutenant (1993). Outro nome cult presente é o realizador Roger Corman que, além de sessão do seu filme The Intruder (1962), vai ministrar, no sábado, uma masterclass.

No quadro do festival são feitos ainda oficinas e eventos compartilhados com coletivos de realizadores e realizadoras como o Kino-Kabaret, que reúne, além de cineastas, roteiristas e técnicos que se juntam para a realização de um curta-metragem em três dias; e a Associação Creative Maker, que este ano oferece um ateliê para webvideastas, seguido de uma master class com profissionais do gênero. Há também sessões abertas gratuitas todas as noites.

Sem mais artigos