Um dos debates que acontecem em Tiradentes (Foto: Beni Jr./Divulgação)

Um dos debates que acontecem em Tiradentes (Foto: Beni Jr./Divulgação)

Tiradentes: uma mostra de muitas mostras
Evento vai exibir 131 filmes em 54 sessões até o final de semana, com destaque para o digital

Por Alexandre Figueirôa
De Tiradentes (MG)

Para quem está na cidade de Tiradentes esta semana não tem como escapar. A pedida é cinema nas veias. Ao todo são 54 sessões de longas e curtas metragens mostrando o que há de novo na produção cinematográfica brasileira. Entre os filmes exibidos na 16ª Mostra de Cinema de Tiradentes predominam os realizados em suporte digital, formato que tem permitido a expansão do fazer audiovisual e encorajado novas experiências em estilos cinematográficos. Para abrigar as sessões uma tenda com capacidade para até 1.400 espectadores, foi montada ao lado da estação rodoviária, além de um cinema ao ar livre no Largo das Forras. Os debates e seminários acontecem no cine-teatro localizado no Centro Cultural Yves Alves, no Centro Histórico.

Leia Mais: Tiradentes
Festival destaca produção indie do cinema brasileiro

Os 131 filmes selecionados estão distribuídos em diversas pequenas mostras as quais, segundo o curador Cleber Eduardo, tentam agrupar a pluralidade de conteúdos a partir de recortes e enfoques capazes de atender a diversidade observada na produção contemporânea. Para os longas os principais eixos são a Mostra Autorias, voltada para filmes com pesquisas formais em andamento; a Mostra Transições dedicada a obras cujo teor expressam movimentos criadores tanto no interior dos filmes quanto no campo fílmico em geral; e a Mostra Aurora, composta por sete filmes de diretores estreantes inéditos tanto em festivais quanto no circuito comercial.

O cine-tenda (Foto: Beni Jr. / Divulgação)

O cine-tenda (Foto: Beni Jr. / Divulgação)

Os curtas estão distribuídos em seis mostras. A Mostra Foco faz um mapeamento da produção atual a partir do protagonismo dos modos de produção e realização. São filmes vindos de diversos estados brasileiros e quase todos voltados para temáticas universais e que fogem de feições estereotipadas de regionalidades. Já a Mostra Panorama apresenta um painel de curtas com propostas estéticas ousadas, ou seja, filmes que incomodam e desafiam.

No espaço ao ar livre a programação de curtas é voltada para filmes que possuem um diálogo com um grande público. Ela se intitula Mostra Praça e concentra, sobretudo, comédias e documentários. Complementam a extensa e diversa oferta de filmes em Tiradentes a Mostra Cena Mineira, com filmes produzidos em Minas Gerais; a Mostra Fora de Centro, com obras fora do eixo Rio-SP; e a Mostra Formação com curtas universitários ou vinculados a cursos e oficinas. Para o público infanto-juvenil a Mostra de Tiradentes apresenta ainda a Mostrinha de Cinema com longas e curtas de ficção e animação que buscam introduzir neste segmento o gosto pelo audiovisual.

Todos os filmes exibidos concorrem aos prêmios de Melhor Longa e Melhor Curta a partir de votos do júri popular. Há também premiação para o Melhor Longa da Mostra Aurora, escolhido pelo júri da crítica. O filme vencedor desta mostra também recebe o Prêmio Itamaraty no valor de R$ 50 mil oferecido pelo Ministério das Relações Exteriores. O júri da crítica é responsável ainda pela escolha do Melhor Curta da Mostra Foco. Um júri jovem também premia o Melhor Longa da Mostra Aurora

Sem mais artigos