FIM DOS TEMPOS
M. Night Shyamalan
[The Happening, EUA, 2008]

O thriller gira em torno de uma família em fuga de um fenômeno inexplicável e ameaçador para toda a humanidade. Pessoas sofrem mudanças comportamentais drásticas, aparentemente contaminadas por algum vírus Um colapso ataca alterando seu humo e forma de agir e o professor de Ciências de um colégio da Filadélfia Elliot Moore (Mark Wahlberg) tenta encontrar uma forma de escapar fungindo com a família e amigos para uma fazenda da Pennsylvania. Suspense é mesmo o estilo preferido do diretor de M. Night Shyamalan, responsável pelos sucessos de bilheteria O Sexto Sentido, Corpo Fechado e Sinais. Mas se dependesse da crítica, o longa chamar-se-ia Fim de Carreira. Uma tentativa frustada de deixar um alerta ambienta. O orçamento foi de um filme B, gastando 57 milhões de dólares. Ah, o longa é uma boa oportunidade para rever o ator Alan Ruck, o amigo de Ferris Bueller em Curtindo a Vida Adoidado. [LA]

NOTA: 4,0

SUICIDE CLUBE
Sion Sono
[Suicide Clube, JAP, 2008]

Com direção e roteiro de Sion Sono, o longa expõe uma ferida japonesa que incomoda: a alta taxa de suicídios. No dia 26 de maio, 54 crianças dão a as mãos e se jogam simultaneamente nos trilhos do metrô de Tóquio, em um suicídio coletivo. Sangue espalha-se por toda a plataforma e pessoas horrorizadas gritam e choram em crise de histeria e uma bolsa branca é achada no local em meio ao sangue. Nos dias seguintes, começa uma onda de suicídio em massa pelo país, com enfermeiras e trabalhadores da construção civil se jogando de prédios. Aqueles de estomago fraco devem parar na leitura da sinopse, pois ora thriller, ora comédia e ora terror abusa da carnificina com sangue (apesar da cor amarelada amenizar um pouco a veracidade dos fatos), dedos cortados a sangue frio e orelhas em close. Os jornais dão nomeiam os fatos de Clube do Suicídio e policiais tentam desvendar a suposta sociedade secreta, aparentemente funcionando com mensagens subliminares enviadas por crianças. [LA]

NOTA: 7,0

NOIVAS EM GUERRA
Gary Winick
[Bride Wars, 2009]

Há pouco mais de duas semanas nos cinemas nacionais, a comédia romântica traz a as amigas Liv (Kate Hudson) e Emma (Anne Hathaway) com um sonho em comum: casar no Hotel Plaza. Desde pequena as duas brincavam de planejar casamento com os mínimos detalhes. Aos 26 anos, estão noivas, mas, por um erro de datas, os dois casamentos são marcados para o mesmo dia, começando uma guerra por quem teria o direito de casar no lugar dos sonhos. A simpatia de Anne Hathaway de O Diabo Veste Prada se repete ao ser dirigido por Gary Winick neste trabalho. Fraquinho, mas arranca umas boas risadas no fim de semana. [LA]

NOTA: 4,0

OPERAÇÃO VALQUÍRIA
Bryan Singer
[Valkyrie, EUA/ ALE, 2008]

Com lançamento milionário com visita ao mundo e direito de visita ao Rio de Janeiro, o astro Tom Cruise volta às telas com Operação Valquíria. Baseado em fatos reais, o longa traz Cruise revivendo o coronel Claus von Stauffenberg, um dos soldados de um grupo de nazistas que tentam assassinar Hitler. A data para tal ato foi marcada para 20 de Julho de 1944, quando Hitler faz um discurso durante uma conferência e Claus sai do local na surdina deixando ali uma bomba. Esta é uma refilmagem de Operação Valkiria, produção alemã feita em 2004 para a televisão. Grandes nomes no elenco e direção de Bryan Singer, um diretor que traz no currículo duas adaptações de quadrinhos de sucesso: X-Men e Superman – O Retorno. [LA]

NOTA: ???

Sem mais artigos