Coluna: Maurício Angelo

Maurício Angelo: Entropia

Pollock Number One 1948 Entropia Não se reconhecia. Parecia que tinha definhado, apesar de crescer. Era difícil tirar a sujeira do olho. O lodo da alma. Esta...

Maurício Angelo: Sede

Acordado às 4 da manhã. “Sabe, eu não sei o que você está pensando. Nós nunca sabemos. Isto tudo é uma grande piada de mau gosto. Uma operação detestável...

Maurício Angelo: Axiomas

Toda desilusão é frutífera. Toda desgraça é bem vinda. Toda negação é patética. Toda cópula é ridícula. Toda rotina é prosaica. Toda esperança é bu...