Tiê (Foto: Nikhil/ Divulgação)
Tiê (Foto: Nikhil/ Divulgação)

Com ousadia, Tiê chega para quem está cansado da MPB, mas também não tem paciência para novidades
Por Jean Garnier

TIÊ
Sweet Jardim
[Independente, 2009]

Umas das coisas que mais chama atenção na cantora folk Tie é a sua ousadia. Essa paulista de 28 anos, ex-modelo e que já integrou a banda do cantor Toquinho, lança seu primeiro disco chamado “Sweet Jardim” – já tinha um EP, um registro bastante auto-biográfico, valorizando as letras (em português, francês e inglês) e composições românticas (todas de sua autoria), privilegiando a sua bela voz, os acordes simples e agradáveis arranjos de violão.

A cantora, que recentemente passou por uma infecção pulmonar, criou algo entre o intimista, histórias de melancólicas partidas e esperança. “Assinado eu”, a faixa de abertura, é mais que um relato, é uma triste carta de despedida (“Eu fico esperando o dia que você me aceite como amiga, ainda vou te convencer…”). “Dois” é mais otimista (“eu queria te perguntar (…) se tem espaço de sobra no seu coração. Quer levar minha bagagem ou não?”). “Quinto Andar” é a própria desilusão por uma relação não correspondida (“Amor, porque eu te chamo assim, se com certeza você nem lembra de mim.”). Impossível não sentir uma influência de David Bowie (“Space Oddity”) em “Passarinho”.

A musicista se arrisca em outras línguas como na franco-portuguesa “Aula de francês” (composição em conjunto com a professora e amiga Nathalia Catharina) e “Stranger, but mine” (inglês). Um belo piano acompanha a confessional “Chá Verde” e a melódica sobre dúvidas amorosas “A Bailarina e o Astronauta”. “Sweet Jardim”, a faixa título que encerra o trabalho, é delicada e uma das mais alegres, acompanhada por violões ciganos que lembram à banda norte-americana Beirut.

Produzido por Plínio Profeta (Banda Bife), o disco é composto por dez faixas gravadas ao vivo. Se você está cansado da velha MPB e torce o nariz para as novidades, Tiê merece atenção como uma alternativa, porque é sincera e não carrega rótulos datados.

NOTA:7,5

Sem mais artigos