aposta no romantismo folk à brasileira na estreia Hoje eu Vejo
NOTA7

Relacionamentos e cenas do cotidiano estão presentes neste primeiro disco de Saulo Fietz, novidade da cena pop independente, que chega ao primeiro álbum após um bom EP com quatro faixas, Depois do Estrondo (2014). Hoje eu Vejo traz um autor muito mais seguro e inspirado com canções que oscilam entre a interpretação suave e outra mais visceral, mas sempre com uma pegada folk romântica.

Há um interesse em propor aproximações com outros gêneros, a exemplo da reggae “Fica Junto”, mas em geral vemos aqui variações de um romantismo folk que é uma das bases do rock mais tradicional. Fietz tenta fugir do óbvio com uso de violinos em “Não Desande” e violoncelo em “Olha”, mas o trabalho por vezes assume um tom monocórdico ainda que seja relativamente curto (10 faixas).

Ainda assim vale a pena ficar de olho nesse novo nome do pop BR, sobretudo em um gênero ainda com poucos representantes por aqui.

SAULO FIETZ
Hoje eu Vejo
[Independente, 2019]
Sem mais artigos