Ramin Gavras (Foto: Joseph/ Divulgação)

O VIDEOMAKER DA JUVENTUDE
Romain Gravas adapta à realidade pós-contemporânea os talentos do pai fazendo crítica social ao excesso de cenas e à dura realidade de uma geração sem ideários
Por Eduardo Dias

Romain Gavras fez do clipe “Stress” da dupla francesa um retrato de uma juventude francesa marginalizada, reclusa em seus subúrbios e violenta. Porém, retratar a juventude parece ter uma grande importância para o diretor. Seus clipes anteriores retratam a dura realidade através da crítica social do rap e de imagens sublimes da música eletrônica.

“Changer Le Monde” () busca questionar a sociedade através de sua letra e por isso suas críticas e o retrato dos jovens são menos intensas do que as de Pour Ceux (), porém ambos não abrem mão de mostrar em seu discurso a difícil situação em que muitos jovens franceses se encontram.

A letra de “I Believe” () não permite o choque e o confronto freqüente nos raps e demanda uma representação mais sutil. Por isso, a câmera faz movimentos mais sutis, explora o espaço cênico e recorre à personagem para amarrar a sua mensagem.

Por enquanto, ainda podemos chamar de videomaker da juventude, já que além de seus quatro clipes ele ainda foi o responsável pela direção e produção de “A Cross The Universe” – documentário que retrata a comoção que os garotos do Justice causaram em todos os lugares em que sua turnê mundial passou.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=5mZzzZLG2pY[/youtube]

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=9HOB27DLEVM[/youtube]

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Bi1oRiSwde4[/youtube]

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=GsmzNB_eXek[/youtube]

Sem mais artigos