Ramin Gavras (Foto: Joseph/ Divulgação)

O VIDEOMAKER DA JUVENTUDE
Romain Gravas adapta à realidade pós-contemporânea os talentos do pai fazendo crítica social ao excesso de cenas e à dura realidade de uma geração sem ideários
Por Eduardo Dias

Romain Gavras fez do clipe “Stress” da dupla francesa Justice um retrato de uma juventude francesa marginalizada, reclusa em seus subúrbios e violenta. Porém, retratar a juventude parece ter uma grande importância para o diretor. Seus clipes anteriores retratam a dura realidade através da crítica social do rap e de imagens sublimes da música eletrônica.

“Changer Le Monde” (Rocé) busca questionar a sociedade através de sua letra e por isso suas críticas e o retrato dos jovens são menos intensas do que as de Pour Ceux (Mafia K1 Fry), porém ambos não abrem mão de mostrar em seu discurso a difícil situação em que muitos jovens franceses se encontram.

A letra de “I Believe” (Simian Mobile Disco) não permite o choque e o confronto freqüente nos raps e demanda uma representação mais sutil. Por isso, a câmera faz movimentos mais sutis, explora o espaço cênico e recorre à personagem para amarrar a sua mensagem.

Por enquanto, ainda podemos chamar Romain Gavras de videomaker da juventude, já que além de seus quatro clipes ele ainda foi o responsável pela direção e produção de “A Cross The Universe” – documentário que retrata a comoção que os garotos do Justice causaram em todos os lugares em que sua turnê mundial passou.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=5mZzzZLG2pY[/youtube]

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=9HOB27DLEVM[/youtube]

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Bi1oRiSwde4[/youtube]

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=GsmzNB_eXek[/youtube]

Sem mais artigos