Depois de muita repercussão na mídia, a DC Comics, enfim, revelou que seu novo personagem gay será o Lanterna Verde original, Allan Scott. A revelação da orientação sexual do personagem faz parte do reboot da editora, que iniciou todos os seus títulos.

Leia Mais
Marvel terá casamento gay nos X-Men
Dos Arquivos: Os gays nas HQs, por Talles Colatino

A edição da “saída do armário” chega aos leitores na próxima semana, nos EUA. A divulgação do personagem já tinha sido divulgada pelo site Bleeding Cool dias atrás, mas ainda era considerado um rumor. O escritor James Robinson disse ao jornal New York Post que de torná-lo gay ideia foi sua, mas que “a DC assinou embaixo sem hesitaçao”.

Este primeiro Lantera Verde faz parte da Terra 2, universo paralelo da DC em que heróis clássicos da editora são apresentados em uma versão mais jovem. É a primeira vez que personagens dessa realidade paralela aparecem no reboot. Isso gerou críticas em relação a todo o barulho feito pela editora, que prometeu um nome “proeminente”.

Como existem mais de um Lanterna Verde, o público poderá fazer alguma confusão. Uma curiosidade é que no universo anterior ao reboot, Allan Scott já tinha um filho que era gay, Obsidian.

A reformulação nos títulos da DC Comics chegou esta semana ao Brasil. A Panini Comics colocou nas bancas quatro das 13 revistas originalmente programadas: Superman, Batman, Liga da Justiça e Lanterna Verde. Ainda não há previsão de quando as histórias da Terra 2 chegarão por aqui.

Gays nas HQs
O assunto de gays nas HQs de super-heróis dos EUA dominou o noticiário especializado e também a grande mídia. Além da revelação do Lanterna Verde, a Marvel realizou o casamento do personagem Estrela Polar e seu namorado Kyle, na edição 51 da revista Astonishing X-Men. Esses fatos são ditos como representativos dos avanços que a sociedade ganhou na aceitação da homossexualidade. No entanto, opiniões mais críticas chamam atenção para o fato das editoras usarem o artifício puramente para atrair publicidade em suas ações — mais no caso da DC e menos da Marvel, que já trabalhava o assunto em suas histórias. Vamos acompanhar.

Sem mais artigos