Brian K. Vaughan saiu aclamado do Eisner.(Divulgação)

saiu aclamado do Eisner.(Divulgação)

No último final de semana foi divulgada a lista dos vencedores do Eisner Awards, o maior prêmio dos quadrinhos em todo o mundo. A revelação dos vencedores acontece tradicionalmente no San Diego Comic-Con, na Califórnia. Como já era esperado, Brian K. Vaughan e sua série Saga foi o grande destaque. Lançada pela Image e ainda inédita por aqui, a HQ conta uma história de amor proibido envolvendo duas pessoas de raças inimigas.

A HQ levou os prêmios de “melhor série contínua”, “nova série” e “melhor roteirista” para Vaughan. Outra série aclamada pela crítica também teve espaço no Eisner este ano: Hawkeye, da Marvel. Venceu “melhor time de desenhista/arte-finalista” e “melhor capista” para .

Noite dos indies: Chris Ware saiu com quatro prêmios (Divulgação)

Noite dos indies: saiu com quatro prêmios (Divulgação)

Mas a noite foi mesmo dos independentes. O prêmio de e melhor álbum inédito foi para Chris Ware e seu Building Stories (também inédito por aqui). Ware ainda venceu mais três troféus, “melhor roteirista/artista”, “melhor letrista” e “melhor design”. Já , que vem para o FIQ este ano, ganhou como “melhor edição única” com The Mire, lançado de forma independente pela autora.

O Eisner confirma por mais um ano que os quadrinhos independentes dos EUA vivem uma ótima fase e coloca as gigantes Marvel e DC na berlinda.

Melhor História Curta: Moon 1969 – The True Story of the 1969 Moon Launch, de Michael Kupperman, em Tales Designed to Thrizzle #8 (Fantagraphics).

Melhor Edição Única (ou Especial): The Mire, de Becky Cloonan (publicado pela autora).

Melhor Série Contínua: Saga, de Brian K. Vaughan e Fiona Staples (Image Comics).

Melhor Nova Série: Saga, de Brian K. Vaughan e Fiona Staples (Image Comics).

Melhor Graphic Novel em Álbum Inédito: Building Stories, de Chris Ware (Pantheon).

Melhor Graphic Novel em Republicação: King City, de Brandon Graham (TokyoPop/Image).

Melhor Roteirista: Brian K. Vaughan, por Saga (Image Comics).

Melhor Roteirista/Artista: Chris Ware, por Building Stories (Pantheon).

Melhor Desenhista/Arte-Finalista ou Time de Desenhista e Arte-finalista (empate): David Aja, por Hawkeye (Marvel Comics); Chris Samnee, por Daredevil (Marvel Comics) e Rocketeer – Cargo of Doom (IDW).

Melhor Pintor/Artista Multimídia (arte sequencial): Juanjo Guarnido, por Blacksad (Dark Horse Comics).

Melhor Capista: David Aja, por Hawkeye (Marvel Comics).

Melhor Colorista: Dave Stewart, por Batwoman (DC Comics), Fatale (Image Comics), BPRD, Conan the Barbarian, Hellboy in Hell, Lobster Johnson e The Massive (Dark Horse Comics).

Melhor Letrista: Chris Ware, por Building Stories (Pantheon).

Melhor Adaptação de Outra Mídia: Richard Stark’s Parker – The Score, adaptado por Darwyn Cooke (IDW).

Melhor Publicação para Jovens Leitores (até sete anos): Babymouse for President, de Jennifer L. Holm e Matthew Holm (Random House).

Melhor Publicação para Crianças (entre oito e 12 anos): Adventure Time, de Ryan North, Shelli Paroline e Braden Lamb (Kaboom!).

Melhor Publicação para Jovens Adultos (entre 13 e 17 anos): A Wrinkle in Time, de Madeleine L’Engle, adaptado por Hope Larson (FSG).

Melhor Publicação de Humor: Darth Vader and Son, de Jeffrey Brown (Chronicle Books).

Melhor Quadrinho Digital: Bandette, de Paul Tobin e Colleen Coover.

Melhor Antologia: Dark Horse Presents, editado por Mike Richardson (Dark Horse Comics).

Melhor Trabalho Baseado na Vida Real (empate): Annie Sullivan and the Trials of Helen Keller, de Joseph Lambert (Center for Cartoon Studies/Disney Hyperion); e The Carter Family – Don’t Forget This Song, de Frank M. Young e David Lasky (Abrams ComicArts).

Melhor Coleção ou Projeto de Arquivo de Tiras: Pogo – Volume 2 – Bona Fide Balderdash, de Walt Kelly, editado por Carolyn Kelly e Kim Thompson (Fantagraphics).

Melhor Coleção ou Projeto de Arquivo de HQs: David Mazzucchelli’s Daredevil Born Again – Artist’s Edition, editado por Scott Dunbier (IDW).

Melhor Edição Norte-Americana de Material Internacional: Blacksad – Silent Hell, de Juan Diaz Canales e Juanjo Guarnido (Dark Horse Comics).

Melhor Edição Norte-Americana de Material Internacional – Ásia: Naoki Urasawa’s 20th Century Boys, de Naoki Urasawa (VIZ Media).

Melhor Veículo Relacionado a Quadrinhos/Jornalismo: The Comics Reporter, editado por Tom Spurgeon.

Melhor Obra Relacionada a Quadrinhos: Marvel Comics – The Untold Story, de Sean Howe (HarperCollins).

Melhor Trabalho Acadêmico/Educacional: Lynda Barry – Girlhood Through the Looking Glass, de Susan E. Kirtley (University Press of Mississippi).

Melhor Design de Publicação: Building Stories, de Chris Ware (Pantheon).

Hall da Fama: Lee Falk, Al Jaffee, Mort Meskin, Trina Robbins, Spain Rodriguez e Joe Sinnott.

Prêmio Russ Manning de Novato Promissor: Russel Roehling.

Prêmio Humanitário Bob Clampett: Chris Sparks e Team Cul de Sac.

Prêmio Bill Finger de Excelência nos Roteiros de Quadrinhos: Steve Gerber e Don Rosa.

Prêmio Will Eisner – O Espíritos dos Quadrinhos para lojistas: Challengers Comics + Conversation, Chicago.

Sem mais artigos