O Gorillaz parece não querer perder tempo. A banda sequer encerrou a turnê do último álbum Humanz (2017) e já vai emplacar um novo trabalho intitulado The Now Now, previsto para sair no final de junho. Talvez essa pressa de lançar um novo disco seja pelo sucesso do trabalho anterior, que faturou um Brit Awards de melhor grupo britânico em 2017.

Talvez seja a apertada agenda do incansável e workaholic Damon Albarn (criador do projeto, junto com o cartunista Jamie Hewlett), que nos últimos anos teve que se dividir entre seu disco solo, Gorillaz, Blur e o The Good, The Bad & The Queen – projeto esse que ele já anunciou a conclusão do segundo disco.

O que realmente sabemos sobre esse disco é que foi escrito durante a atual turnê e que, segundo o próprio Damon, podemos esperar um disco mais leve, de verão. “Eu só queria fazer outro disco para que, quando a gente tocasse no verão houvesse algo legal pro público”, explicou Damon em entrevista a Zane Lowe do Beats 1.

O Gorillaz sempre foi um projeto de colaborações. Até aqui já foram tantas: Noel Gallagher (sim, antigos rivais no consagrado duelo Blur vs Oasis nos anos 90), De La Soul, Lou Reed, Paul Simonon e Mick Jones (ex-integrantes do The Clash) e etc. Mas parece que esse álbum, pela primeira vez, vai focar mais no Damon, ou melhor, 2-D.

“Eu pensei que deveria fazer um disco em que, pelo menos uma vez, só eu estivesse cantando. Quer dizer, desculpe, o 2-D. Praticamente só eu canto, meio que no mundo do 2-D, mas meio que saindo dele também.  Ele está cantando muito expressivo e eu me sinto muito bem com isso”. Ele ainda continua: “não houve realmente [colaborações]. Eu escrevi a maior parte em turnê na América. Snoop [Dogg] está nisso porque nós estávamos em LA e Jamie Ford (produtor do disco) porque ele estava na turnê”.

Já que a regra é não perder tempo, a banda já disponibilizou um novo single, videoclipe e instrumental (“Lake Zurich”). A música/clipe “Humility”, ou Humildade, no bom português, contou com a participação de ninguém menos que o lendário George Benson na guitarra. O clipe também traz a participação do sempre carismático e divertido ator/músico Jack Black, que tem envolvimento com a música muito além do filme Escola do Rock.

O cenário é pertinente. Nada mais vívido e “summer” do que a orla de Venice Beach. Vemos 2-D, Noodles e Russel bem ambientados trazendo um ar mais positivista da vida. O clima da música é perfeito como um primeiro dia de verão.

Novo Membro

Como toda boa banda, o Gorillaz também sofre de problemas pessoais. Murdoc, baixista e membro fundador da banda, atualmente está preso e, consequentemente, afastado das atividades musicais. Pra vaga dele foi anunciado um nome bastante inusitado. É o Ace da Gangue Gangrena. Lembra dele?  Isso mesmo, aquele vilão das Meninas Superpoderosas. Ele já deu as caras nos primeiros materiais de divulgação do novo trabalho e no videoclipe – Seria incrível ver a turnê de verão passar por Townsville.

Sejam as inúmeras colaborações, histórias e personalidades das personagens, no fim das contas a grande parada do Gorillaz é a mensagem. Se revisitarmos os últimos trabalhos veremos isso bastante claro. O Plastic Beach (2010) fala sobre o que o próprio título sugere – Praia de Plástico. Ou seja, o lixo, a poluição e degradação do nosso planeta. Isso fica claro em trechos como “A revolução será televisionada E a poluição do oceano agora, com devoção. Empurre a paz e mantenha em movimento” (“Welcome to the world of The Plastic Beach”). É um trabalho excelente e que, assim como o plástico, não pode ser descartado por aí.

Em seguida recebemos os Humanz (2017), que agora questiona os destinos da humanidade preocupado com a própria humanidade. A ideia do álbum surgiu da seguinte pergunta: “E se Trump ganhasse as eleições de 2016?”. A música “Let me Out”, uma das principais do disco, diz “Obama se foi, quem vai nos salvar? Choramos por Orlando, eu estou orando pelos meus vizinhos. Eles dizem que o diabo está trabalhando e Trump está pedindo favores”.

Mas o que de fato será o The Now Now? “Humility” me faz pensar que depois dos alertas dos últimos álbuns, está na hora de ser mais esperançoso e positivista com o nosso mundo, com a nossa gente. Quase como um convite a olharmos ao nosso redor e vivermos a vida intensamente como os raios de um sol de verão. Talvez o “Humility” tenha dado algumas dicas do que está por vir:

Chamando o mundo do isolamento
Porque agora, essa é a bola onde estamos traídos
E se você voltar para me encontrar
É melhor você ter boa pontaria
Atire*  de verdade
Eu preciso de você na foto
É por isso que eu estou chamando você

*(no sentido de shoot fotográfico)

Não dá pra especular mais do que isso. Agora nos resta esperar o final do mês para curtir mais um trabalho do Gorillaz, uma vez que, como vimos na letra acima, eles estão nos chamando para sentar na praia, agora não mais de plástico, e saudar o sol desse novo momento.

Sem mais artigos