HQs argentinas e brasileiras em alto nível

Ter a edição nacional de uma das mais importantes revistas de quadrinhos no mundo foi a melhor notícia que os fãs das HQs poderiam ter este ano, mas o grande destaque da Fierro Brasil é promover intercâmbio com o trabalho de autores nacionais. Lançada pela Zarabatana Books, a edição em formato livro traz seis artistas brasileiros, entre eles Danilo Beyruth, Adão Iturrusgarai, Fábio Zimbres e Gustavo Duarte.

Com suas 160 páginas, a Fierro consegue mostrar que os dois mercados tem mais em comum do que os anos de negligência cultural entre os dois países poderia supor. Ambos possuem características bem distintas, mas são essas diferenças só aumentam a importância da edição. É um dos maiores lançamentos do ano pela qualidade dos artistas e por revelar, de uma só vez, tantos nomes ainda inéditos por aqui.
_
Quadrinhos argentinos invadem o Brasil

Entre os autores argentinos de destaque, esse primeiro número traz Carlos Trillo, morto neste mês de maio, Alberto Brechia, Lucas Nine e H. G. Oesterheld. Entre os brasileiros, uma das melhores histórias é do brasileiro Guazzelli e de Lucas Varella, com seu humor negro e desenho que se disfarça de traço infantil. Um dos únicos problemas desta primeira edição é dar pouco espaço a falar mais sobre esses artistas. Poucas linhas sobre cada um já seria suficiente.

Publicada desde 1984, a Fierro foi interrompida em 1992 e retornou em 2006, onde segue até os dias atuais. Sai mensalmente encartada no jornal Página/12, algo comum no mercado de quadrinhos argentino.

A Zarabatana lança simultaneamente Noturno, de Salvador Sanz. O livro inaugura a Coleção Fierro, que tem como proposta compilar histórias originalmente lançadas de forma serializada na Fierro mensal. A HQ é uma mistura de ficção científica com realismo fantástico e trata de três jovens envoltos numa trama que pretende trazer ao mundo seres gigantes semelhantes a pássaros. Na história Lúcio e Lúcia se conhecem em um show de mágica e em seguida servem de canal para esses bichos esquisitos – e malignos, claro.

Como hospedeiros, o casal segue praticando diversos crimes, enquanto uma conspiração muito maior planeja uma dominação da Terra. Roteiro bem elaborado e narrativa tensa o tempo inteiro, é difícil sair daquele universo proposto por Noturno. [Paulo Floro]

FIERRO BRASIL 1
Vários autores
[Zarabatana Books, 160 pags, R$ 59]

NOTA: 8,0

NOTURNO
Salvador Sanz
[Zarabatana Books, 144 pags, R$ 41]
[Recomendado]

NOTA: 9,0

Sem mais artigos