agonia

Milton Praxedes Gurgel (1922 – 2004), mais conhecido como Dom Gurgel, é um dos grandes enigmas da literatura brasileira do século 20. Ele foi soldado, policial, perseguido político, padre e escritor. Publicou dezenas de livros e vendeu milhares de exemplares em uma rede totalmente alternativa, sem ser notado pela academia nem pelo circuito comercial. Livros nos quais ele confessa seus pecados, suas angústias, suas bebedeiras e suas ressacas.

Preso e torturado pela Ditadura Militar, Dom Gurgel teve seu momento de celebridade televisiva quando apareceu no programa do Sílvio Santos comendo grilos para, com o dinheiro do cachê, reerguer sua igrejinha do Jardim das Oliveira (zona sul de São Paulo) que havia sido destruída por uma tempestade.

Agora, primeira vez, a editora Veneta reúne em um volume quatro histórias de Dom Gurgel: Recordações de Um Soldado, A Igreja do Diabo, O Padre Ladrão e Agonia de Um Padre Casado. São textos que narram em tom de cordel surrealista o cotidiano de um quartel no Rio Grande do Norte, as agruras de um religioso em crise com sua fé e as desventuras de um padre que teve nada menos que 16 filhos para criar.

Agonia De Um Padre Casado tem 216 páginas e custa R$ 39,90. Chega este mês às livrarias.

Sem mais artigos