Foto: Maria Medeiros.

A banda pernambucana Kalouv prepara Elã, seu novo disco de estúdio. O grupo está com um financiamento coletivo para viabilizar o lançamento.

O novo álbum é fruto de uma imersão no Sítio Santa Fé, em Carpina, interior de Pernambuco. Envolvendo os fãs nessa sintonia, a banda está em campanha de financiamento coletivo para finalizar o projeto, já antecipando o que se pode esperar de seu próximo lançamento.

“‘Elã’ é um projeto que estamos trabalhando desde dezembro do ano passado, quando fizemos uma espécie de retiro para pensar as músicas e o que gostaríamos de passar com o novo álbum. Isso se estendeu até março, entre idas e vindas para o sítio em Carpina. Foram quatro meses ininterruptos de pré-produção buscando referências e revisitando tudo que já tínhamos feito até então. E esse processo trouxe uma nova forma de compor e enxergar a Kalouv, mudou até a maneira como nos vemos individualmente. Fortaleceu bastante nossa amizade e a união musical. Com certeza é o projeto que mais nos dedicamos nesses últimos sete anos e que melhor representa nossa verdade como banda”, conta Túlio Albuquerque, guitarrista.

Fundada em 2010 na cidade de Recife, a banda é composta – além de Túlio – por Basílio Queiroz (baixo), Bruno Saraiva (teclado), Saulo Mesquita (guitarra) e Rennar Pires (bateria) e já passou por palcos e festivais importantes como Abril pro Rock, Festival de Inverno de Garanhuns, Festival DoSol e Prata da Casa, projeto do Sesc Pompeia/SP. A discografia da Kalouv, muito bem recebida pela crítica especializada, conta com dois álbums (“Sky Swimmer”, de 2011 e “Pluvero”, de 2014) e o compacto “Planar Sobre Invisível”, com faixas gravadas dentro do projeto Converse Rubber Tracks.

O disco será guiado agora por Bruno Giorgi, um dos mais promissores produtores musicais da nova geração, responsáveis por premiados discos de artistas como Lenine, Vitor Araújo e Baleia. Bruno assinará a co-produção junto com a Kalouv, além de ser responsável por toda a parte de engenharia de som.

Divulgação.

“O Bruno Giorgi já começou a fazer o trabalho de edição e pré-mixagem e pretendemos partir para a finalização em agosto. Também já foram gravadas algumas participações, como a de Sofia Freire, que criou vozes para duas músicas e Hugo Noguchi (Ventre), que compôs uma série de texturas para a música que fecha o álbum. Existem mais algumas participações engatilhadas, que serão registradas nas próximas semanas. Toda a verba arrecadada na campanha servirá para custear a produção do álbum, gastos com projeto gráfico, prensagem do disco e confecção dos novos materiais, além de pagar todos os envolvidos com o projeto. Caso tudo dê certo, a expectativa é lançar o trabalho em outubro”, explica Túlio, que adianta que logo depois os colaboradores receberão seus prêmios especiais.

Pensando nessa conexão formada com o público, a Kalouv criou experiências novas nas recompensas do disco, indo além de fazer o CD. Entre as opções para quem investir na campanha de financiamento coletivo estão uma festa para audição do disco com a banda, produtos criados por Thais Jacoponi (responsável pelo projeto gráfico do disco), obras exclusivas feitas por artistas recifenses, um kit de CDs de bandas amigas, uma oficina sobre pedais de guitarra e até aulas para iniciantes.

“Esse é um ponto muito importante da campanha. Temos, por exemplo, as aulas de baixo, bateria e teclado para iniciantes. Já vínhamos fazendo isso nos últimos anos e sempre são momentos muito legais. É tudo baseado em troca, em entender onde a pessoa quer chegar e em como podemos ajudar pra fazer isso acontecer. Então acabamos aprendendo bastante e temos a oportunidade de passar um pouco do que nos faz músicos”, conta Túlio.

Com mais da metade da meta já atingida, o financiamento coletivo da Kalouv está disponível no site do Catarse e pode receber contribuições até o dia 24/08.

Sem mais artigos