Juan Guiã, novo nome da cena pop de Pernambuco, lança o EP Também Sou Feito De Infernos. Com a carreira consolidada primeiro como bailarino, depois como ator, Juan traz um som com muita experimentação para falar de temáticas próximas ao artista, como resistência, feminilidade, encontros e desencontros, liberdade, amor.

Leia mais: Novos sons
Liv, aposta do rock: quero alcançar o Brasil.

Juan Guiã é Juan Guimarães de batismo. A mudança do nome veio dentro de um processo de resgate à essência do artista. “O sobrenome Guimarães já não me identificava há um bom tempo. Diz muito sobre o que me disseram que eu tinha que ser: homem, hétero, perfeito, sem traços nordestinos, vícios e cumprindo todos os padrões que é vendável e aceitável na sociedade capitalista e patriarcal. Como num processo de lapidação em que vamos em busca da gema da pedra, lapidei meu nome e deixei só o essencial. Foi um processo difícil e longo”, conta Juan, via e-mail.

Aos 30 anos de idade, depois de se destacar como bailarino e ator, Juan finalmente estreia na música. A experiência musical foi iniciada ainda no início da carreira de bailarino, com as aulas de sapateado, que é essencialmente fazer música através da dança. “No meu primeiro trabalho autoral, que foi um trabalho de dança teatro, já vivenciei a experiência de transformar as sensações e coisas a serem ditas para além do corpo e da imagem, através das sonoridades. Daí em diante todos os meus espetáculos autorais, as trilhas sonoras eram criadas com minha direção”, explica. Mas o despertar para compor e cantar surgiu após uma experiência de dois anos dentro do grupo Doutores da Alegria.

O primeiro EP pontua um novo momento na carreira e na vida de Juan Guiã. O título, Também Sou Feito De Infernos surgiu do processo de empoderamento, poder e resistência vivido pelo artista, nordestino, LGBT, umbandista e feminino. Juan conta que entender e se orgulhar de tudo o que ele é trouxe equilíbrio e leveza.

Juan Guiã não faz projeções quanto a carreira, mas espera uma identificação com uma parcela grande de jovens LGBTS que buscam representatividade e empoderamento. “Eu não me vi em muitos artistas. Sei que existem, por exemplo, muitos meninos femininos por aí! Nosso país é o que mais mata LGBT`s. Me sinto feliz por levantar essa bandeira e espero que com esse trabalho eu empodere e ajude outros tantos que se sentem descolados do sistema de alguma forma”, defende o artista.

A ideia de Juan é lançar os quatro videoclipes das músicas do EP até o final do ano. O primeiro deles, da faixa “Despacho”, foi gravado com o apoio cultural da Associação Vila Maria Zélia e terá lançamento até o final de março. O EP Também Sou Feito De Infernos está disponível nas plataformas de streaming.

Foto: Vitor Reis Primo.

Sem mais artigos