BEST SELLER SANGRENTO
Vampiros seduzem público e fazem de Stephanie Meyer nova vedete das sagas literárias
Por Rainha do Maracatu Roubada de Ouro, colunista d’O Grito!

CREPÚSCULO
Stephanie Meyer
[Intrinseca, 416 págs, R$ 21]

Isabella Swan tem 17 anos. Isatisfeita com sua aparência física. Leitora de Shakespeare e Emily Bronte. Dirige uma pick-up velha. Mora com o pai em Forks, Washington, depois que sua mãe casa com um atleta profissional e que, portanto, viaja bastante.

Monótono, não é? Não fosse o acaso de ‘Bella’ se apaixonar por Edward Cullen, um colega de escola que, por sinal, é vampiro. Os Cullen são ‘vampiros vegetarianos’: se alimentam de animais e não de sangue humano, e o desenrolar da saga – que se inicia com o livro Crepúsculo – gira em torno de dramas adolescentes, mas de cunho adulto: salta das páginas o erotismo, o desejo sexual que não pode ser satisfeito para que Edward não se descontrole e termine por matá-la, ou transformá-la em vampira (alternativa que muito a seduz).

Crepúsculo é o livro de estréia da autora Stephenie Meyer, que possui formação em língua inglesa. A norte-americana parece ter encontrado a fórmula mágica para seduzir uma nova geração de leitores órfãos desde o final da saga Harry Potter. Meyer, entretanto, tem a seu favor diálogos e experiências mais maduras. Enquanto Harry Potter se transmutou longamente entre um pré-adolescente e um homem adulto, Bella Swan e Edward Cullen são química pura.

Soa estranho o fato de Bella sempre se envolver com tudo o que há de mais bizarro e perigoso pelas redondezas: vampiros, gangue de estupradores, lobisomens…é praticamente um mau-agouro ambulante. Meyer também carrega demais nas tintas ao se referir a Edward Cullen. A quantidade de adjetivos que passa pela cabeça de Bella a cada vez que ela se depara com Edward parece mais uma menina de 12 anos apaixonada pela primeira vez.

Entre mortos e feridos – e os há nos dois livros – salvam-se todos. Não é o sétimo paraíso, vá lá. Mas é melhor do que muitas obras do gênero (se nunca leram Märchenmond, nem comecem). A série de Meyer é composta de cinco livros e o filme sobre a primeira obra Twightlight será lançada nos Estados Unidos em dezembro de 2008. resta saber se a autora vai repetir o fenômeno de vendas no Brasil. No cinema, acho que realmente vale a pena conferir. No Brasil, o novo livro da saga, Lua Nova chegou às lojas esta semana e já figura entrs os mais vendidos das principais livrarias do país.

Veja o trailer do filme:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=FLk_g_wTuF4[/youtube]

Parênteses: Crítica desfavorável para a Intrínseca, editora da saga, pois achamos erros de português e/ ou digitação nos dois primeiros livros da série: Crepúsculo e Lua Nova. Um pecado para a mesma editora de ‘A menina que roubava livros’, que deve prestar mais atenção em detalhes pequenos como esses.

Sem mais artigos