Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

A poeta e videomaker mineira lança este mês seu novo livro de poemas Biscuit, onde busca referências filosóficas do oráculo I Ching e de artes marciais, como Ving Tsun, que pratica há 11 anos. Na obra, composta por 30 poemas, a autora aborda a forma como a natureza humana se relaciona com a natureza em geral.

Biscuit trata do impacto e da força dos acontecimentos corriqueiros, singelos. É também um livro rico em detalhes imagéticos, característica, aliás, inerente à literatura de Bruna Piantino. Inventiva, a autora é conhecida pela experimentação na forma. Parte do livro percorre o caminho instigante do desafio métrico nove por seis, com estrofes compostas de nove versos, dos quais seis têm sete sílabas e três têm três, sendo eles o segundo, o quinto e o oitavo.

Editado também no sistema Braille, Biscuit será disponibilizado em bibliotecas públicas, entidades voltadas para deficientes visuais e comercializado em livrarias.

Veja alguns dos poemas do livro:

a capacidade de iniciativa cf. o céu

na escuridão
nada se via
as botas encharcadas
entre as encostas do mar
e os charcos da planície
o vulto
do cavalo
que teria ganas de te possuir
como todos os homens da vila
a aparição do cachorro
que te lambia a mão
para dizer: não estás sozinha
venha que eu te mostro o caminho
e chovia

a esperança confiante

Popeye lavava as próprias
vasilhas
por falta de Olívia
Popeye tinha como companhia
três gatos
dois barcos a motor um trator
Popeye pescava à noite
nas águas
geladas do Atlântico Sul
Popeye tinha ares de Brutus
porque era alto
portava cabelos negros
porém mais inofensivo
que Swee’Pea
Popeye tão encantador
quanto Eugene the Jeep
acolhia
todas as pessoas da ilha

Sem mais artigos