Um dos trabalhos mais representativos do Azymuth retorna às lojas em vinil, Águia Não Come Mosca (1977).

Dois anos após o bem-sucedido trabalho de estreia Linha do Horizonte (1975), a banda apresentou um dos mais importantes álbuns de sua carreira, Águia Não Come Mosca (1977). Mais de 40 anos depois, esse disco volta às prateleiras em setembro em vinil de 180 gramas pela coleção “Clássicos em Vinil”, da Polysom.

Formado por José Roberto Bertrami (teclado, vocal), Alexandre Malheiros (baixo, guitarra, vocal) e Ivan Conti “Mamão” (bateria, percussão, vocal), o Azymuth ganhou rápido destaque na década de 1970, com seu estilo singular e muito suingado.

O álbum, produzido por Guti, traz 10 faixas, em sua grande maioria assinada pelo grupo. As canções apresentam de forma marcante a mistura de jazz, samba, funk e rock, responsáveis pelo reconhecimento e carreira internacional que o trio teve nos anos seguintes.

Entre elas estão “Voo Sobre o Horizonte”, “Despertar” e “Tamborim, Cuíca, Ganzá, Berimbau”. Eles também interpretam “Tarde” e “Circo Marimbondo”, ambas de Milton Nascimento, que divide a autoria da primeira com Marcio Borges e da segunda com Ronaldo Bastos.

Sem mais artigos