Nelson Pereira dos Santos foi um dos maiores nomes do Cinema Novo, movimento que deu moral aos autores brasileiros e prestígio no cenário cinematográfico mundial. O cineasta morreu nesse sábado (21), no Rio de Janeiro, aos 89 anos.

Internado no último dia 12 de abril, Nelson Pereira estava com sintomas de pneumonia, além de ter sido diagnosticado com um tumor no fígado. Ele morreu de falência múltipla dos órgãos.

Nascido em São Paulo em 1928, Nelson Pereira dos Santos foi, além de diretor, roteirista, montador, ator e professor. Era formado em direito e chegou a trabalhar em jornais antes de seguir carreira como cineasta. Entre seus longas estão clássicos do cinema nacional, como Memórias do Cárcere (1984), Vidas Secas (1963) e Rio 40º (1955).

Seus últimos trabalhos no cinema foram A Música Segundo Tom Jobim e A Luz do Tom, ambos de 2012.

Sem mais artigos