Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Vingadores (Page 2 of 5)

Crítica: Capitão América 2 – O Soldado Invernal

F

Em respeito aos leitores deste blog, o texto a seguir não contém spoilers.

Quem leu a edição 53 da revista Mundo dos Super-Heróis ou alguma outra entrevista de Anthony e Joe Russo sabe que os irmãos diretores fizeram duas promessas.

A primeira é que Capitão América 2 – O Soldado Invernal, que estreia nesta quinta-feira (10) no Brasil, é um suspense político inspirado em clássicos dos anos 1970; a segunda, derivada dessa, garante que a densidade do roteiro não anula o que se espera de um bom filme de super-heróis: muita ação.

Os fãs podem comprar seus ingressos sossegados. Os Russos cumpriram a palavra, com louvor.

Capitão América – O Soldado Invernal é a melhor aventura solo do universo cinematográfico iniciado pela Marvel Studios em 2008. O filme tem roteiro mais bem elaborado, adulto e tenso que todos os anteriores, e as cenas de ação são de tirar o fôlego.

Conspiração

A trama se passa dois anos após os eventos vistos em Os Vingadores. Capitão América virou agente especial da SHIELD, tendo a Viúva Negra como sua companheira nas missões.

Chris Evans está perfeito no papel e soube transmitir a evolução de um personagem, que mantém a integridade moral, mas perdeu aquela inocência vista nas outras duas aparições no cinema – no primeiro filme e em Os Vingadores. Ele se recusa a aceitar os métodos de uma organização que tem no sigilo e na intriga suas principais funções.

Num dado momento, o filme passa a mesma sensação da minissérie em quadrinhos Guerra Civil. O herói se vê perseguido e enredado numa conspiração em que não pode confiar em ninguém.

As exceções são a Viúva Negra (Scarlett Johansson) – a personagem tem seu maior destaque nos filmes da Marvel, e a química com o Capitão funciona muito bem – e o Falcão (Anthony Mackie), uma ótima aquisição para o universo cinematográfico.

O Soldado Invernal/Buck Barnes (Sebastian Stan) tem papel relevante, mas não é, como sugere o título, o vilão mais importante da trama. O mercenário é apenas uma peça no intrincado e longevo quebra-cabeças que se instalou no coração da SHIELD.

Por falar em vilão, a reaparição de Arnin Zola, visto no primeiro filme do Capitão, é uma das grandes surpresas dessa sequência.

Muita ação

A perseguição ao carro de Nick Fury é de tirar o fôlego, e faz justiça a uma das referências cinematográficas citadas pelos Russos: Operação França, de 1971. Há muitos outros momentos de ação, todos empolgantes. Não importa se num espaço fechado – a já famosa “cena do elevador” – ou em cenários amplos, como as ruas de Washington.

As lutas são muito bem coreografadas. Evans treinou jiu-jitsu brasileiro, caratê, boxe, ginástica e parkour para atualizar o estilo de luta do Capitão América, e o resultado convence.

O uniforme também foi atualizado: retoma características militares e deixa para trás o visual espalhafatoso de Os Vingadores. O famoso escudo virou uma arma muito mais de ataque que de defesa.

O humor é bastante orgânico, sem piadas forçadas nem frequentes. Atenção ao bloco de notas em que o Capitão anota todos os artistas que “perdeu” nos setenta anos em que ficou congelado.

Futuro

Capitão América 2 – O Soldado Invernal dá origem a muitos elementos que podem ser aproveitados no futuro: o Falcão e o Soldado Invernal são os principais, mas há também Sharon Carter, e os vilões Batroc e Ossos Cruzados.

Mais que isso, o filme provoca uma ruptura no status quo do universo cinematográfico da Marvel, com consequências imprevisíveis. Os primeiros reflexos já se fizeram sentir na série de TV Agents of SHIELD, no episódio que foi ao ar em 1º de abril com o sugestivo nome End of the Beginning.

O filme representa um novo patamar da Marvel no cinema. Aposta no público novo, claro, mas mira principalmente naqueles que vêm amadurecendo junto com seu universo nos últimos seis anos.

É muito provável que o estúdio mantenha o caráter de entretenimento e fantasia que vem garantindo o sucesso de seus filmes – afinal, ainda se trata do gênero de super-heróis. Mas depois de Capitão América 2 – O Soldado Invernal, é de se esperar também uma nova abordagem: complexa, elaborada, que vai exigir dos fãs um conhecimento de mundo que vai além das HQs.

Capitão América 2 faz quase US$ 100 milhões na estreia americana

"

Nos primeiros três dias (4 a 6), o filme fico em primeiro lugar e rendeu bilheteria estimada de US$ 96,2 milhões nos Estados Unidos – no Brasil, a estreia é nesta quinta-feira (10).

O resultado é 41% superior ao primeiro filme do herói (US$ 65 milhões), de 2011, e 13% maior que a estreia de Thor – O Mundo Sombrio naquele país (US$ 85 milhões).

Na comparação com todos os demais filmes da Marvel Studios, a abertura americana de Capitão América 2 – O Soldado Invernal fica bem atrás de Os Vingadores (US$ 207,4 milhões) e de toda a trilogia do Homem de Ferro (US$ 98,6 milhões, US$ 128 milhões e US$ 174 milhões, respectivamente).

Somada à bilheteria de países que vêm exibindo o filme desde o dia 26 de março, a mais recente aventura do herói americano faturou, até o momento, US$ 303,3 milhões.

Leia aqui nossa crítica de Capitão América 2 – O Soldado Invernal.

Veja o primeiro trailer de “Capitão América: O Soldado Invernal”

Viúva Negra, Nick Fury, Falcão e, claro, Capitão América e Bucky!

Cool!

Capitão América: O Soldado Invernal estreia no Brasil dia 1 de maio de 2014.

Vingadores ganha série animada no Japão

diskwars1

A Walt Disney Japan e a Toei Animation estão desenvolvendo Marvel Disk Wars: The Avengers, com estreia prevista naquele país no segundo trimestre de 2014.

Com o sofrível Avengers Assemble sendo exibido atualmente na TV americana (em novembro no Brasil), a notícia até poderia ser motivo de comemoração entre os fãs saudosos da série anterior, Vingadores: Os heróis mais poderosos da Terra. Mas não é…

Marvel Disk Wars: The Avengers é declaradamente uma série para garotos entre 6 e 12 anos. A sinopse não desmente:

Numa batalha provocada por Loki, a maioria dos super-heróis e vilões da Terra foram aprisionados dentro de discos – uma nova tecnologia originalmente desenvolvida como unidades móveis de segurança para capturar e prender vilões ao redor do mundo.

Os Vingadores unem-se a um grupo de adolescentes (grifo meu) para recuperar o disco perdido e, usando suas habilidades especiais e técnicas, frustrar os esquemas malignos de Loki para salvar a Terra da destruição definitiva.

Da mesma forma que o conjunto de animes produzidos pela Mad House para a Marvel, Marvel Disk Wars: The Avengers será ambientada no Japão e repleta de elementos para cativar a audiência do país.

A Disney obviamente está de olho na venda de bonequinhos e outros cacarecos, tanto que já anunciou a empresa contratada pelo merchandising: a Bandai.

Ainda não foi dessa vez…

Graphic novel dos Vingadores chega simultaneamente ao Brasil e EUA

1a CAPA VINGADORES GUERRA SEM FIM

Em abril deste ano, Papo de Quadrinho anunciou que a Marvel voltaria a produzir uma série de graphic novels. Numa parceria com a Panini internacional, o lançamento aconteceria no início de outubro em vários países simultaneamente aos Estados Unidos.

Pois bem, a promessa foi cumprida. A Panini Brasil acaba de anunciar que Vingadores: Guerra Sem Fim chega nesta semana às bancas, com distribuição nacional.

O roteiro é de Warren Ellis, com arte de Mike McKone. Tem prefácio do ator Clark Gregg (que interpreta o agente Coulson, da SHIELD, no cinema e na TV) e posfácio de Stan Lee.

O melhor desta notícia é que Vingadores: Guerra Sem Fim tem tamanho grande (18,5 x 27,5 cm), acabamento premium, capa dura e um precinho camarada de R$ 24,90 por 124 páginas de história.

A edição oferece ainda volume extra de por meio do aplicativo Marvel AR, que inclui coletânea de capa e informações de bastidores.

Crítica: Agents of S.H.I.E.L.D. Episódio 2: “0-8-4”

agents-of-shield-episode-2

O segundo episódio de Agents of S.H.IE.L.D. – exibido ontem nos Estados Unidos pela ABC e amanhã no Brasil pela Sony – começar a dar mostras que vai cortar o cordão umbilical com o Os Vingadores e caminhar com as próprias pernas.

A equipe de elite do agente Coulson viaja à selva peruana para recuperar um “0-8-4”, código que designa objeto de origem não-identificada e potencial perigo à segurança mundial. Há mais gente interessada no artefato, o que garante as boas cenas de ação.

É claro que as referências continuam lá: Tesseract, radiação gama, Hidra… Mas pelo menos a trama é autocontida e não tem relação com a batalha de Nova York.

Mais uma vez, o fio de roteiro serve de pano de fundo para Joss Whedom aprofundar o conhecimento sobre os personagens. Guardadas as proporções, o primeiro episódio funcionou como os filmes solos de super-heróis da Marvel no cinema: apresentou suas motivações, origens, personalidade.

Já este é como se fosse Os Vingadores: os atritos são colocados à mostra; as diferenças, evidenciadas – até que um “inimigo comum” faz com que um grupo de estranhos se transforme numa equipe afinada.

A fórmula já foi usada? Sim. Ainda funciona? Evidente que sim.

Se Whedom vai conseguir manter o interesse da audiência com histórias autônomas e que garantam a diversão por seus próprios méritos, os próximos episódios dirão. Os fãs confiam que sim.

E também torcem para que Agents of S.H.I.E.L.D. seja palco para muitas participações especiais de personagens live action da Marvel. Pelo menos esse desejo está atendido no segundo episódio, no melhor estilo “cena pós-crédito”.

Papo de Quadrinho viu: “Agents of S.H.I.E.L.D.”

Agents-of-SHIELD

A série derivada do filme Os Vingadores estreou nesta terça-feira nos Estados Unidos e chega a Brasil com apenas dois dias de atraso: quinta-feira, dia 26, às 21h no canal pago Sony.

Agents of S.H.I.E.L.D. não só expande o universo cinematográfico da Marvel, mas também contribui para torná-lo ainda mais coeso.

O episódio piloto evidencia que a agência está exposta: informações secretas sobre os superseres explodiram na épica batalha de Nova York contra Loki e seus Chitauri. A SHIELD tenta apagar os rastros da tecnologia alienígena perdida pelas ruas antes que caiam nas mãos erradas, ao mesmo tempo em que precisa sair do radar de grupos interessados que outros segredos venham à tona.

A população compartilha do mesmo estranhamento de Tony Stark em Homem de Ferro 3. Ninguém saiu incólume daquele episódio. Algumas pessoas ficam assustadas ao lembrar que “gigantes” caminham entre elas; outras querem ser heróis.

É o caso de Mike Peterson, um homem comum que se submeteu a uma experiência para ganhar superpoderes, e agora encontra-se a meio caminho de se tornar herói ou vilão. A S.H.I.E.L.D. sai em seu encalço quando ele é flagrado fazendo um salvamento espetacular durante um incêndio, mas não é a única.

A série tem impressões digitais do seu criador, escritor e diretor, Joss Whedom, espalhadas por todo lado: é divertida, movimentada, os diálogos são rápidos e inteligentes.

Whedom, que dirigiu Os Vingadores e repetirá o trabalho em Os Vingadores: Era de Ultron, é também insuperável na construção de personagens cativantes. É isso que ele faz com excelência neste episódio piloto: apresenta a personalidade de cada agente e dá um aperitivo de como trabalharão em equipe sob a batuta do Agente Coulson.

Aliás, enganou-se quem pensava que o Coulson, dado como morto em Os Vingadores, seria um mero convidado. Ele é o protagonista, participa da maior parte da ação e é quem dá o tom da série. Logo no início, explica os motivos da sua “morte” e a ausência depois disso. Mas ao que tudo indica, nem ele próprio, um dos mais graduados agentes da S.H.I.E.L.D., conhece toda a verdade.

A “participação especial” fica por conta da agente Maria Hill, com apenas duas rápidas aparições, no início e no final do episódio de estreia.

Com numerosas referências ao Universo Marvel, Agents of S.H.I.E.L.D. entrega o que promete, e abre um leque enorme de possibilidades de intercâmbio entre quadrinhos, cinema e TV. Para os fãs, a série é um ótimo remédio contra a abstinência entre um filme e outro da Marvel.

Nota: 10

Confirmada estreia do novo desenho do Hulk no Brasil

SKAAR, A-BOMB, HULK, RED-HULK, SHE-HULK

Hulk e os Agentes de S.M.A.S.H. (Marvel’s Hulk and the Agents of S.M.A.S.H.), que estreou dia 11 de agosto nos Estados Unidos, terá os dois primeiros episódios exibidos no dia 20, às 17h10, no canal pago Disney.

A animação vai no mesmo caminho de Ultimate Homem-Aranha e Avengers Assemble, e usa o humor para capturar a audiência infantil.

O time dos Agentes de S.M.A.S.H. (este é o nome que consta do boletim do canal; talvez mais tarde traduzam para E.S.M.A.G.A.) é formado por Hulk, Hulk Vermelho, Mulher-Hulk, Skaar e Bomba-A.

Aparentemente, a ideia da Marvel é continuar construindo um universo animado integrado. Episódios já exibidos nos Estados Unidos contaram com a participação do Homem-Aranha e Homem de Ferro.

Depois da pré-estreia em setembro, a série engata realmente em outubro. Veja as datas de exibição:

Episódio 1 (19/10); 2 (20/10); 3 (26/10); 4 (27/10); 5 (2/11); 6 (3/11); 7 (9/11); 8 (10/11); 9 (16/11); e 10 (17/11).

Geral1

No mesmo mês de outubro, Avengers Assemble (que por aqui vai se chamar Os Vingadores Unidos) tem pré-estreia no dia 19, às 8h. Será exibido o episódio duplo A Reunião de Super-Heróis.

Mais um trailer de Avengers Assemble

Depois dos spots de TV divulgados na semana passada, a Marvel liberou hoje o primeiro trailer oficial do novo desenho dos Vingadores.

Avengers Assemble estreia no Disney XD americano no dia 7 de julho; antes, no dia 26, será exibido um preview de uma hora no mesmo canal.

Texto obrigatório da Marvel:
The Biggest Heroes. The Biggest Threats. The Biggest Stakes!
It’s the most anticipated new animated series to launch this year and this July, Marvel’s Avengers Assemble reunites Marvel’s most iconic Super Heroes – Iron Man, Thor, Captain America, Hulk, Hawkeye, Black Widow & Falcon! Featuring the team that took the world by storm in Marvel’s The Avengers, no fan can miss the action-packed adventures of Earth’s Mightiestas they must protect the Marvel Universe from the biggest threats they’ve ever seen – all while working together as a team! The world’s most dangerous Super Villains don’t stand a chance when the Avengers Assemble! Don’t miss the miss the premiere episode of Marvel’s Avengers Assemble SUNDAY, JULY 7 with a special one-hour preview on SUNDAY, MAY 26(both at 11:00 a.m., ET/PT) inside the Marvel Universe programming block on Disney XD.

Novo desenho dos Vingadores ganha trailers

Avengers-assemble

Marvel’s Avengers Assemble é a animação que vai substituir ao ótima Vingadores: Os Heróis Mais Poderosos da Terra, cancelada no ano passado ao final da segunda temporada.

A Marvel preferiu uma animação mais alinhada à bem sucedida mitologia da superequipe iniciada no cinema. Basta ver a formação: Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro, com adição do Falcão Negro – que deve aparecer no novo filme do Capitão América.

Neste domingo (12), o estúdio liberou dois trailers, um mais conceitual e outro com algumas cenas (veja abaixo). Dá para notar que o visual lembra bastante a animação anterior.

Avengers Assemble terá um preview de uma hora no dia 26 de maio e estreia para valer no canal Disney XD americano dia 7 de julho.

Page 2 of 5

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020