Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: livros

2021: O que vem por aí pela Editora Heroica

Depois de seu livro de estreia, O Império dos Gibis, a mais completa publicação sobre a história dos quadrinhos publicados pela Editora Abril, a Editora Heroica, de Manoel de Souza, deu início à coleção Grandes Revistas.

Cada edição traz os bastidores, entrevistas, curiosidades, galeria de capas e sinopse de algumas das revistas de super-heróis que mais marcaram os leitores.

É justamente a continuidade desta coleção o destaque entre os lançamentos da Heroica para 2021.

O ano começa com o dossiê Grandes Heróis Marvel, sexto e último volume da série dedicada às revistas da Marvel publicadas pela Abril.

Na sequência, a Heroica já lança a caixa com as seis edições:

1 – Capitão América (1979-1997)

2 – Heróis da TV (1979-1988)

3 – Superaventuras Marvel (1982-1997)

4 – Homem-Aranha (1983-2001)

5 – O Incrível Hulk (1983-1997)

6 – Grandes Heróis Marvel (1983-2001) 

A partir de março, começa a sair a leva de livros da coleção Grandes Revistas com foco nas publicações DC/Abril.

Assim como a anterior, esta também será lançada ao final no formato de caixa, com planos de concluir ainda em 2021.

7 – Super-Homem + Superman (1984-2002)

8 – Batman (1984-2002) 

9 – Heróis em Ação (1984-1985) + Superamigos (1985-1988)

10 – Os Novos Titãs (1986-1996)

11 – Super Powers (1986-1997)

12 – Liga da Justiça (1989-1994 e 2002)

Livros

Além de um adendo do livro O Império dos Gibis, focado no material visual da editora, a Heroica está trabalhando em mais dois livros para este ano: um sobre quadrinhos brasileiros modernos (do jornalista Heitor Pitombo) e outro com a “biografia” de outras editoras, como a Ebal (em parceria com Gonçalo Junior, da Editora Noir).

2021: O que vem por aí pela Editora Noir

Capa de Sick da Vida, coletânea de entrevistas do cartunista Henfil, programada pela Editora Noir para 2021

A Noir vem se destacando no mercado editorial pelo lançamento de ótimas biografias, livros ligados à cultura pop e quadrinhos.

Ninguém melhor para abrir a nossa prévia de lançamentos para 2021. Veja os lançamentos programados pela editora:

Sick da Vida – As grandes entrevistas de Henfil

Uma compilação das principais entrevistas de um dos maiores cartunistas brasileiros de todos os tempos e ícone da luta contra a ditadura e pela redemocratização.

O editor Gonçalo Junior passou 30 anos colecionando entrevistas e selecionou 20 delas para compor a obra, concedidas entre 1968 e 1987 em revistas como Ele Ela, Playboy, Bicho, Grilo, Versus, Homem e outras.

A publicação foi autorizada pelo filho de Henfil, Ivan Cosenza.

Rodolfo Zalla – O sentido de tudo 

Também de Gonçalo Junior, o livro é resultado de 16 conversas entre o autor e o biografado, num total de 32 horas.

A obra detalha a formação de Zalla no mercado editorial argentino, como ele profissionalizou o mercado de quadrinhos no Brasil e levou as HQs para a sala de aula.

Entre Ratos e Patos – A epopeia Disney pelo mundo

Segundo livro de Marcus Ramone pela Noir, um dos grandes memorialistas dos gibis no Brasil.

Nesta obra, o autor declara sua paixão pela turma Disney, com saborosas histórias de bastidores.

Nássara – O perfeito fazedor de arte

A Noir vai relançar a biografia do cartunista e compositor Nássara, da historiadora e pesquisadora Isabel Lustosa, lançada pela primeira vez em 1999 na coleção Perfis do Rio e atualmente esgotada.

A editora ainda estuda lançar uma nova biografia do pioneiro das HQs no Brasil, Angelo Agostini. Mais detalhes serão divulgados assim que estiverem disponíveis.

Tradutores de quadrinhos lançam podcast semanal Notas dos Tradutores

Do press-release

Um podcast sobre tradução, tradutores e traduzir – ou inventar com o trabalho dos outros. Essa é a descrição do Notas dos Tradutores, podcast que lançou seu primeiro episódio nesta semana.

A produção é de três profissionais da área que trabalham sobretudo com quadrinhos:

Mario Luiz C. Barroso, com mais de trinta anos de carreira nas HQs, tem mais de dez mil créditos no GuiaDosQuadrinhos.com. Foi editor da Abril Jovem durante uma década e é o tradutor atual de Homem-Aranha, Deadpool, Mulher-Maravilha, Batman e outros personagens na Panini.

Carlos Henrique Rutz capitaneia a tradução de Príncipe Valente na Planeta DeAgostini e dos títulos Eaglemoss DC. Traduz há dez anos, é professor de inglês e coautor de livros didáticos.

Érico Assis, jornalista da área de HQ que traduz quadrinhos como Bone, Moonshadow, linha Vertigo/Black Label e outras publicações para as principais editoras do país. Também é doutor em tradução e professor.

O Notas dos Tradutores terá episódios semanalmente às segundas-feiras, de aproximadamente trinta minutos. Para ouvir, procure “Notas dos Tradutores” no seu agregador de podcasts preferido ou acesse https://anchor.fm/notasdostradutores.

Você também pode ouvir aqui o primeiro episódio, “N. do T.”, que trata justamente da nota do tradutor, o recurso que alguns tradutores – e leitores – adoram e outros odeiam.

Nos próximos episódios, o podcast vai trazer discussões sobre vários temas ligados à tradução, entrevistas com profissionais da área e muitos detalhes sobre o processo editorial de quadrinhos.

Você pode acompanhar o Notas dos Tradutores no Twitter, Facebook e Instagram.

Ou entrar em contato para dúvidas e sugestões em notasdostradutores@gmail.com

BOX: O elementar de Sherlock Holmes

O detetive Sherlock Holmes é um personagem criado pelo médico e escritor britânico Sir Arthur Conan Doyle. Ganhou vida no interior da trama do livro Um Estudo em Vermelho. E renasce novamente em uma edição jovial e divertida com os romances clássicos que apaixonaram milhares de fãs.

O Grupo Editorial Novo Século, lançou um box com os livros Um estudo em vermelho, O cão de Baskerville, O signo dos quatro e o Vale do medo, para todos os fãs e a nova geração de leitores.


Um estudo em vermelho – A primeira história de Sherlock Holmes e o primeiro livro publicado por Conan Doyle, propõe um enigma invencível para a força policial, que pede seu auxílio. Um homem é encontrado morto, sem ferimentos e cercado de manchas de sangue. Em seu rosto uma expressão de pânico. Um caso para Sherlock Holmes e suas fascinantes deduções narrado por seu eterno amigo, Dr. Watson.

O cão dos Baskerville – O romance narra a trajetória da família Baskerville, assombrada há séculos pela lenda de uma besta, que segundo alguns, poderia ser um cão gigante e pronto para matar. A primeira vítima do monstro foi o fundador dos Baskerville, um homem terrível, que ao se apaixonar por uma linda moça, decidiu raptá-la e torná-la sua prisioneira. Acontece que a jovem consegue fugir, e enfurecido, Sir Hugo tenta recuperá-la em vão, pois surge da escuridão uma terrível fera escondida no pântano da família.

O signo dos quatro – Sherlock Holmes está confiante como nunca, e atraído pelos encantos de sua cliente Mary Morsan, uma bela mulher atormentada por um passado nebuloso. Uma aventura repleta de elementos dramáticos: as figuras misteriosas de um pigmeu e um homem com perna de pau, uma caçada desesperada, um cão digno de confiança e uma furiosa perseguição pelo Tâmisa.

O vale do medo – O mestre Holmes e Dr. Watson, ao investigarem um assassinato na cidade de Sussex, interior esquecido da Inglaterra, são remetidos à Pensilvânia dos anos 1880, em um cenário marcado por violência, destruição e corrupção, que os coloca em contato com uma organização que ninguém imagina existir, de operários de uma mina de carvão.

Sobre o autor
Sir Arthur Conan Doyle (1859-1930) foi um escritor e médico britânico, nascido na Escócia, mundialmente famoso por suas histórias sobre o detetive Sherlock Holmes, consideradas uma grande inovação no campo da literatura policial. Foi um renomado e prolífico escritor cujos trabalhos incluem histórias de ficção científica, novelas históricas, peças e romances, poesias e obras de não ficção. Morreu de ataque cardíaco aos 71 anos.

 

Deadpool chega ao Brasil em livro antes da estreia do filme

DeadpoolDogPark

A Novo Século continua publicando por aqui a série de livros com personagens da Marvel. Sinal de que os fãs de super-heróis estão aceitando bem este formato, e isso é ótimo.

O mais recente título anunciado pela editora é Deadpool: Dog Park, que aproveita todo o barulho em torno da estreia do Mercenário Tagarela nos cinemas. Por aqui, o filme chega no dia 11 de fevereiro, um dia antes de nos Estados Unidos.

Segundo a sinopse, nessa trama inédita Deadpool precisa salvar a humanidade de filhotes de cachorro que se transformam em terríveis monstros. Pelo que consta, o autor Stefan Petrucha (das HQs Arquivo-X e Beowulf) transportou para o romance todas as características do anti-herói que conquistaram os fãs de quadrinhos: humor ácido, referências à cultura pop e quebra da quarta parede.

Deadpool: Dog Park tem 228 páginas, formato 16 x 23 cm, capa cartonada e preço de R$ 39,90.

Os livros da Marvel lançados pela Novo Século até o momento são: Guerra Civil, Homem-Aranha: Entre Trovões, X-Men: Espelho Negro, Homem de Ferro: Vírus, Vingadores: Todos Querem Dominar o Mundo, Homem-Formiga: Inimigo Natural; Guardiões da Galáxia: Rocket Raccoon & Groot e Guerras Secretas.

Planos para este ano e o próximo incluem romances protagonizados por Wolverine, Capitão América e Novos Vingadores.

Papo de Quadrinho visitou: Forbidden Planet UK

Imagine um lugar onde é possível encontrar action-figures e afins de todas as franquias famosas da cultura pop, com ênfase nas novidades, mas sem esquecer os clássicos. Imagine que, nesse mesmo lugar, é possível encontrar quadrinhos, mangás e livros de todos os tipos, de todas as editoras, desde os mainstream até os  independentes (incluindo alguns brasileiros). Por fim, nesse mesmo (grande) espaço, encontramos acessórios, estatuetas, brinquedos, merchandising de games, de animações, de séries, camisetas (acompanhe nosso vídeo acima, com mais detalhes mostrando a loja).

Sim, queridos leitores, esse lugar mágico existe. Ele se chama Forbidden Planet, uma loja dos sonhos para qualquer nerd e demais amantes de cultura pop.

FPI

O verdadeiro templo da perdição

Fundada em 1975, a loja está localizada numa grande área – térreo e subsolo – em 179 Shaftesbury Ave, próximo ao metrô Tottenham Court Road Station, na região central de Londres. Para se ter uma ideia do poderio, a rede Forbidden Planet possui dezesseis lojas espalhadas pelo Reino Unido e uma nos Estados Unidos.

Embora o Brasil tenha boas lojas de quadrinhos e o mercado venha crescendo nos últimos anos, não é exagero dizer que nada se compara à Forbidden Planet.

Passado o choque de descobrir uma loja com essa magnitude, trocamos o desejo de comprar TUDO o que havia ali por esse breve registro do que mais nos chamou a atenção.

De cara, temos que destacar que a loja aproveita as febres do momento, e nada por aqui chama mais atenção do que Star Wars (vídeo). No primeiro andar, área dos action figures, há vitrines enormes com a franquia.

Entre os modelos, a febre são os Pop Vynil da Funko, que estão em todas as outras lojas, mas, aqui, ganham destaque. Há, claro, outras figuras de ação bacanas…

Clássicos como esse podem ser econtrados

Clássicos como esse podem ser econtrados

Bem como figuras de ação mais novas

Figuras de ação mais novas, baseadas em filmes

joker

Releituras do passado como essa de ‘Bátima e a Feira da Fruta’

Figuras de heróis que estão bombando nos quadrinhos atualmente

Figuras com os heróis  e heroínas que estão bombando nos quadrinhos agora

E outros brinquedos e camisetas também, tudo ambientado em um cenário adequado e que evoca o que há de melhor na cultura pop, sobretudo na ficção científica. São as mais variadas franquias das séries de TV, cinema e quadrinhos. 

V

Kit revolução, criado na Inglaterra e exportado para o mundo todo

Essa nave ENORME fica na entrada para o andar dos quadrinhos e livros

Essa nave linda é ENORME (arrisco dizer uns 3 metros) e fica na entrada para o subsolo.

No subsolo fica a área de quadrinhos. É possível se perder lá entro. Ampla e repleta de objetos do desejo, vale destacar as vitrines especiais de quadrinhos, livros e afins para todos os gostos, divididas por gêneros: infantil, adulto, adolescente, independentes, autores, mangás etc. Há vitrines especiais para alguns gêneros como steampunk, clássicos, sci-fi e RPG, entre outros.

Ao contrário da Nostalgia & Comics, a loja não tem uma área específica de HQs antigas, dando ênfase aos lançamentos e graphic novels. E vale lembrar que para os ingleses, graphic novel é um eufemismo para gibis encadernados. E aqui tudo que é lançado em revistas avulsas (com 22 páginas e capa simples), será encadernado posteriormente em arcos fechados.

independents

Tem muita HQ independentes!

Manga

Área de mangá é bem servida, com trabalhos atuais e clássicos

Uma área destacando autores famosos em coleções especiais

Uma área destacando autores famosos e suas coleções especiais

Tem brasileiro em destaque

Tem brasileiro em destaque, sim!

Para quem tem curiosidade sobre questões de gênero, no momento em que essa discussão está tão em voga no Brasil, vale destacar que a maioria dos atendentes da área de quadrinhos é de mulheres que entendem do riscado.

O prédio tem amplo acesso tranquilo para cadeirantes e só não é mais espaçoso porque a loja abarrota nos finais de semana de gente das mais diferentes nacionalidades.

Acesso especial para leitores especiais

Acesso especial para leitores especiais

Encerramos o passeio com uma sensação óbvia de incompletude, levando poucos produtos e chorando lágrimas de sangue pelo que não deu para comprar ou levar. Além da histórica falta de grana, há o problema de transportar tudo para o Brasil, ou seja, ficamos babando mas comprar mesmo…

Os preços dos produtos são semelhantes aos de outras lojas do gênero, com algumas promoções e, claro, um pouco maiores nas action figures que são lançamento.

Para os padrões locais, os valores são acessíveis até para quem não é tão abonado, bem diferente do Brasil. Mas se uma ilha pode ter tanto público consumidor e um lugar tão bacana, quem sabe um dia um país de proporções continentais como o nosso não chega lá?

Fica nossa reflexão e mais uma dica de lugar obrigatório para se visitar quando estiver em viagem pelo Reino Unido.

Vale o investimento: Jogador Nº1

Para muitos jovens é difícil imaginar o que era ser criança ou adolescente na década de 1980. Parece um papo absurdo inventado pelos Pais, tentando convencer os filhos de que o mundo realmente existia sem internet, celulares e TV a cabo…

Os videogames nasceram um pouco antes, e nos anos 1980 eram primitivos pixels de poucos bits, que encantavam e desafiavam a imaginação dos jovens. Mas o tempo passou e os nerds dominaram o mundo, enquanto os videogames, cada dia mais sofisticados, se tornaram o símbolo máximo dessa conquista.

Em o Jogador Nº1, o autor Ernest Cline, faz uma homenagem às duas gerações distintas: à velha guarda que criou os videogames e aos jovens gamers, que os transformou na maior indústria do século 21.

Na trama, a maior parte da humanidade passa o tempo livre dentro de um game global de realidade virtual chamado OASIS, já que em 2044, o mundo tem tantos problemas que o interesse no mundo virtual é bem maior do que na pesada realidade.

O criador do OASIS morreu deixando sua fortuna para quem desvendasse um enigma e espalhou pistas neste universo virtual. Para encontrar o grande prêmio basta desvendar as pistas: referências da cultura pop dos anos 1980, período em que ele era criança. Seriados, bandas, quadrinhos, filmes, videogames e RPG… …resta aos milhares de gamers estudarem toda a cultura de seus avós e tentaram a solução deste enigma.

O ritmo do livro, as citações de toda a cultura pop e o mistério bem amarrado dão o tom, o que faz com que o leitor não sinta a hora passar enquanto lê. O protagonista Wade Watts (o narrador em primeira pessoa) é um nerd pobre e excluído que penetra fundo na cultura dos anos 1980 para vencer. E quanto mais Wade passa fases neste jogo, mais perigoso ele fica, com vilões atacando também no mundo real, dispostos a matar para colocar as mãos nas informações que ele desvendou.

Wade Watts é um nerd gordo, espinhento e esquisitão, que o autor transforma em um legítimo herói carismático. Ele deve conquistar um lugar na galeria dos grandes heróis modernos ao lado de personagens marcantes como Harry Potter, Katniss Everdeen e Percy Jackson.

Ernest Cline criou uma fórmula certeira, misturando Atari com realidade virtual, John Hughes com irmãos Wachowski. O livro tem o dom de hipnotizar “jovens” trintões e agradar os jovens adolescentes do século 21, todos torcendo por Wade e loucos para “zerar” o livro.

Jogador Nº1 de Ernest Cline (Editora Leya) tem 464 páginas, formato brochura e preço estimado de R$ 26,90. Vale o investimento.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2021