Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Jozz

Vale o Investimento: A Luta Contra Canudos

Canudos
Uma das páginas mais sangrentas da história brasileira foi a insurgência do povo pobre do sertão da Bahia contra o governo da República e seu massacre pelo exército brasileiro, no que ficou conhecida como A Guerra de Canudos (1897).

Em fins do século 19, Antônio Vicente Mendes Maciel, o “Antônio Conselheiro”, um peregrino e fanático religioso, tornou-se líder político e religioso de um grupo formado por trabalhadores pobres, ex-escravos e outras minorias, e fundaram o arraial de Canudos.

Canudos_02-427x580Rumores davam conta de que Canudos se armava para atacar cidades vizinhas e partir em direção à capital para depor o governo e reinstalar a Monarquia. Assim, a recém-fundada República, sofreu pressão de latifundiários, políticos e da Igreja e partiu para a guerra.

A história de Canudos foi imortalizada na obra Os Sertões do escritor Euclides da Cunha, que passou três semanas no local do conflito como correspondente do jornal O Estado de São Paulo e relatou o massacre.

Canudos ressurge agora nesta HQ inédita, onde o roteirista Daniel Esteves, e os artistas Jozz e Akira Sanoki, utilizam de referências históricas e relatos da época para recontar o drama e a intensidade deste conflito.

A HQ apresenta uma arte limpa e elegante, que retrata a pobreza da região, a simplicidade do povo e a dramaticidade do combate. O roteiro costura uma narrativa sob diferentes pontos de vista dos personagens envolvidos no conflito sem atribuir, necessariamente, papéis de heróis ou vilões.

Essa HQ é um trabalho envolvente e caprichado, sobre um dos conflitos mais marcantes na história do nosso país. Vale o investimento!

Serviço:
A Luta Contra Canudos
Capa e Miolo coloridos
Roteiro: Daniel Esteves
Desenhos: Jozz e Akira Sanoki
Páginas: 64
Formato: 20 × 27,3 cm
Preço: R$ 42,00

Crítica: “Rei Lear” encerra a Coleção Shakespeare em HQ

Rei Lear_CAPA

Mesmo bem intencionadas, são poucas as adaptações em quadrinhos de clássicos da literatura que encontram o equilíbrio entre fidelidade ao texto original e liberdade narrativa necessária aos quadrinhos. 

Ainda que não seja perfeita, a Coleção Shakespeare em Quadrinhos, da Nemo, atingiu esse patamar e o saldo é positivo.

Valendo-se de diferentes roteiristas e ilustradores, a editora lançou seis adaptações da obra imortal de William Shakespeare: Hamlet, Macbeth, A Tempestade, Otelo, Sonho de uma Noite de Verão e Romeu e Julieta.

Para encerrar a coleção, a escolhida foi a célebre Rei Lear, com roteiro de Jorge Otávio Zugliani (o Jozz) e desenho de Octavio Cariello.

O primeiro destaque fica por conta da arte digital produzida pelo veterano artista Cariello, que distribuiu a tensão narrativa da história através das cores, conduzindo o drama do Rei Lear entre as intrigas palacianas, armadilhas e conflitos que ocorrem enquanto ele divide seu reino e se decepciona com a ganância de suas três herdeiras até enlouquecer.

Outro ponto positivo é o roteiro adaptado de Jozz, que mantém a dramaticidade da história original, sem tirar a densidade do texto clássico, e, o mais importante, sem amarrar a dinâmica da HQ.

Esse é mais um bom serviço que os quadrinhos prestam aos leitores de todas as idades. A coleção em quadrinhos cumpre o que promete: reapresentar com qualidade a obra de Shakespeare aos novos leitores, cujo texto atemporal consegue retratar tão bem os sentimentos humanos, dialogar com diferentes culturas e ser tão relevante quanto na época em que foi escrita, ha cinco séculos. Tudo isso, com uma arte caprichada e o que é tão importante quanto a qualidade: um preço acessível.

A Coleção Shakespeare em Quadrinhos da editora Nemo deve agradar aos fãs de quadrinhos. Para quem acha complicado acompanhar o texto original também é uma boa pedida.

Rei Lear
De Willian Shakespeare, Jozz e Octavio Cariello.
Editora Nemo
64 páginas
Capa e miolo Coloridos
Preço sugerido: R$ 39,00

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2021