Kaputt

Curzio Malaparte é o pseudônimo do jornalista italiano Kurt Erich Suckert, filiado e perseguido pelo Partido Nacional Facista e, mais tarde, ao Partido Comunista Italiano. Ele foi enviado pelo jornal Corriere della Sera em 1942 para cobrir a 2ª Guerra Mundial no front russo.

Participou de jantares dos oficiais nazistas, acompanhou trens carregados de cadáveres judeus que cruzavam a Romênia e registrou tudo secretamente num diário. Ao fim da guerra, transformou suas anotações no romance Kaputt, misto de reportagem e ficção que virou best seller imediato.

A versão em quadrinhos que a WMF Martins Fontes lança neste mês foi adaptada pelo prestigiado artista brasileiro Eloar Guazzelli. Com seu estilo inconfundível e grande domínio do claro-escuro, Guazzelli conseguiu traduzir o que Kaputt realmente é: mais do que um romance sobre os bastidores do nazismo, o livro de Malaparte é um retrato do pior que a Humanidade tem a oferecer.

Kaputt tem 184 páginas, formato 21 x 28 cm, capa em duas cores e miolo em preto e branco (algumas páginas levam cor). Preço: R$ 59.