Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Alex Mir

Fim de semana: Quixote Bar recebe Clássicos da Literatura em Quadrinhos

Autógrafos, bate papo, desenhos “ao vivo” são algumas das atrações

No sábado, 16 de novembro, das 18h às 22h, o Quixote Bar & Gastronomia (R. Inhambu, 229) receberá o evento “Literatura em Quadrinhos” que reunirá quatro autores para bate papo com o público, além de autógrafos e desenhos “ao vivo” para quem quiser levar uma arte.

Serão seis obras de diferentes editoras:  A mão e a luva, O Cortiço, Dom Casmurro, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Senhora e Noite na Taverna adaptadas para a arte seqüencial produzidas pelos artistas: Alex Mir (conceituado autor das temáticas Orixás e questões sociais), Caio Majado (trabalha para o mercado de super-heróis da Marvel e DC), Franco de Rosa (roteirista, cartunista, editor e desenhista do Zorro) e Michelle Rezende, que faz parte da nova geração de artistas das cores e ilustração.

Adaptar textos e cenas na linguagem dinâmica da arte sequencial, complementados com balões trazendo falas precisas, são alguns dos desafios para quem pretende ingressar no mercado de histórias em quadrinhos.

Os frequentadores poderão apreciar o chopp artesanal com promoção open bar, das 19h às 22h, por R$ 49,90 e ainda apreciar um cardápio variado de petiscos que agora ganharam opções vegetarianas.

O “Quixote Bar & Gastronomia” abre espaço para leituras de peças de teatro, eventos, festa de aniversários de humanos e de pets. “Queremos aproveitar o espaço e a proximidade com a área verde do Parque e receber todas as formas de arte: músicas, lançamentos de livros, exposições”, comenta Ana Gimenes, proprietária.

Serviço:

Autógrafos e Bate papo “Literatura em Quadrinhos” com Alex Mir, Caio Majado, Franco de Rosa e Michelle Rezende

Data: 16 de novembro, sábado

Horário: das 18h às 22h

Local: Quixote Bar & Gastronomia

End: Rua Inhambú,229 – Moema, São Paulo – SP – 04520-010

Site: https://www.quixotebar.com.br/

2016: O que vem por aí pela Editora Draco

Draco2016

Entre sequências, coletâneas e o novo trabalho de Alex Mir e Marcelo Costa, estes são os lançamentos anunciados pela Draco para este ano. Detalhe: só material nacional.

Segundo Tempo, de Alex Mir e Marcelo Costa: No futebol, os 90 minutos de jogo são apenas o momento mais evidente do que rola em uma partida. Os verdadeiros lances e craques normalmente ficam escondidos nos bastidores, sempre coordenando, treinando e manipulando. O projeto foi selecionado pelo ProAC – Programa de Ação Cultural, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

Ditadura no Ar – Coração Selvagem, de Raphael Fernandes e Rafael “Abel” Vasconcellos: Encadernado com os quatro números já publicados, com extras e acabamento especial. A trama foi inspirada em acontecimentos e conversas com pessoas que viveram durante o regime militar brasileiro.

Imaginários em Quadrinhos 4 (organização: Raphael Fernandes): Quarto volume da coletânea que reúne histórias em quadrinhos com temática de ficção científica, terror e fantasia. Nesta edição, o destaque fica para a presença de diversos autores do quadrinho nacional nordestino.

Zumbis: Fome de Matar (organização: Raphael Fernandes): Coletânea que reúne histórias de zumbi sobre direitos humanos para desmortos, um bueiro que salva vidas, xamãs dos esgotos, o amor entre irmãos e muitos devoradores de carne humana.

Quack 2 de Kaji Pato: Dá continuidade às aventuras do desbocado pato Colombo e seu amigo aviador Baltazar. Neste volume eles encaram um grupo de piratas sujos e desordeiros.

Zikas 2, de Alessio Esteves, Raphael Fernandes e Junior Ferreira: Depois de pegar trabalhos menores, Barone e Muralha parecem ter conseguido um trampo de verdade: fazer a segurança de Dulcineia, a maior e mais apaixonante princesa do rolezinho.

Space Opera em Quadrinhos (organização: Raphael Fernandes): Coletânea de histórias de diversos autores brasileiros. A ideia é apresentar novas narrativas com tempero nacional, mas respeitando todos os elementos que fizeram do gênero de aventuras espaciais um grande sucesso.

O Despertar de Cthulhu em Quadrinhos (organização: Raphael Fernandes): Coletânea com histórias macabras inspiradas na mitologia criada pelo escritor H. P. Lovecraft.

Obs: as imagens acima são de edições anteriores já publicadas.

 

Evento de quadrinhos na PUC-SP em setembro

HQ-PUC

É sempre muito legal quando o meio acadêmico abre as portas para os quadrinhos. De 2 de setembro a 3 de outubro, a PUC São Paulo (Rua Ministro de Godoi, 969  – Perdizes – SP) abriga a exposição A História dos Quadrinhos no Brasil.

O evento inclui a exposição propriamente dita, feira de gibis oferecida pelas editoras Devir e Peirópolis, palestras, encontros com autores, sessões de autógrafos, workshop sobre fanzines e debates. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público, algumas delas com certificado de participação.

A História dos Quadrinhos no Brasil tem coordenadoria da pesquisadora em Artes Gráficas da PUC, Edilaine Correa, com curadoria de Jal e Gualberto Costa (criadores do Troféu HQMix) e apoio da Associação dos Cartunistas do Brasil e IMAG – Memorial das Artes Gráficas do Brasil.

Entre os convidados estão Fernando Gonsales, Laudo Ferreira, Alex Mir, Gilberto Maringoni, Sonia Luyten, Sidney Gusman e Caeto.

Confira a programação completa:

Exposição A História dos Quadrinhos no Brasil e Feira de Quadrinhos

2 de setembro a 3 de outubro, das 10h às 19h, no Saguão de Exposições

Palestra de abertura: Mercado de Trabalho para a área de Quadrinhos, com Jal e Gualberto Costa

2 de setembro, às 20h, no auditório Paulo VI – Anexo à Biblioteca

Encontro e autógrafos com autores de quadrinhos

Dia 9, às 19h

Benson Chin, Breno Ferreira, Leandro Luigi del Manto e Thiago A.M.S (Devir)

Dia 11, às 19h

Fernando Gonsales (Devir)

Dia 16, às 19h 

Gilberto Maringoni (Devir)

Dia 18, às 19h

Laudo Ferreira e Caeto (Devir e Peirópolis)

23 às 19h

Alex Mir (Peirópolis)

Oficina de fanzine de HQ

Dias 10, 17 e 24, das 19h30 às 20h30, com Gualberto Costa

Debates

Educação e HQ

Dia 19, às 20h, com Jal e Sonia Luyten, no auditório Paulo VI

Encerramento: O futuro das HQs no Brasil

Dia 3 de outubro, às 19h, com Gualberto Costa, Jal e Sidney Gusman, no Auditório Paulo VI

Mais informações: quadrinhosnapuc@bol.com.br

Resenha: Livro, Clássicos em HQs

Clássicos-em-quadrinhos-550x699

Uma edição primorosa da editora Peirópolis, apresenta no livro Clássicos em HQ, um panorama da produção de algumas adaptações importantes de clássicos da literatura para as HQs .

O livro reúne trechos de álbuns da Coleção Clássicos em HQ, textos sobre as obras literárias quadrinizadas e seus autores, com testemunhos dos artistas envolvidos, além de entrevistas com os quadrinistas e roteiristas, feitas especialmente para esta edição.

A introdução de Wilton José Marques, Por que ler os Clássicos, fala de forma clara e concisa da importância de conhecer e celebrar as mais importantes obras produzidas pelos ícones da literatura mundial e de como esse trabalho sobrevive ao tempo. Já na sequencia, Fabiano Azevedo Barroso, continua com Quadrinizar a Literatura ou Literatulizar o quadrinho, dando mais pistas sobre a importância de ambas as mídias e suas convergências.

O livro tem trechos comentados e públicados na compilação: Dom Quixote, por Caco Galhardo; Os Lusíadas, por Fido Nesti; O Corvo, por Luciano Irrthum; Demônios, por Guazzelli; Auto da Barca do inferno, por Laudo Ferreira; Conto de Escola, por Silvino; A Divina Comédia, por Piero e Giuseppe Bagnariol; Frankenstein, por Taisa Borges; I-Juca Pirama, por Silvino; Eu, Fernando Pessoa, por Susana Ventura e Guazzelli e A mão e a luva, por Alex Mir e Alex Genaro.

É um livro que deve constar na lista de leitura de estudiosos, educadores e pesquisadores do gênero. E o bacana é que o projeto pode ser baixado na íntegra e gratuitamente clicando aqui.

 

ProAC Quadrinhos 2013 anuncia projetos selecionados

proac

Foi publicado no Diário Oficial do Estado neste sábado, dia 26, a lista com as 15 HQs que serão financiados pela Secretaria da Cultura de São Paulo.

Cada um deles receberá R$ 40 mil. A partir do depósito da primeira parcela de R$ 28 mil (75%), os autores têm 10 meses para concluir seus projetos, podendo solicitar prorrogação de 2 meses. O prazo é menor que o dado pelo edital do ano passado: 12 regulamentares mais 3 de prorrogação (entenda as mudanças aqui).

Veja a lista dos 15 projetos selecionados pelo ProAC 2013

O Colhedor de Raios, de Marcelo Shun Izumi

Cidadão N, de Daniel A Lopes

Pare!, de Elias Paulo Martins

La Dansarina, de Willians Martines Parra

Escrevendo com o lado direito do fígado, de Artur Fujita

Página Virada, de Luiz Carlos Fernandes

Acordes # 2, de Rogério Gonçalves Ferreira Vilela

Olimpo Tropical, de André Diniz

Thanatos, de Rodrigo Costa Estravini Pereira

Segundo Tempo, de Alex Mir

Goiabada e Queijo Branco, de Bruno Hamzagic de Carvalho

Jockey, de André Moreira Aguiar

Ópera Jones, de Mauro Henrique Costa de Souza

Kalunga – Histórias de Resistência, de Marcelo D’Salete:

Selena, de Jinnie Anne Pak

ProAC 2012

O prazo para conclusão dos cinco projetos selecionados no edital do ano passado será encerrado amanhã, dia 31 de outubro.

Segundo a Secretaria de Cultura, nenhum autor solicitou prorrogação – o que significa que nas próximas semanas o mercado vai receber pelo menos cinco obras inéditas de autores nacionais.

A Mão e a Luva em Quadrinhos: Tradução competente

maoealuva

A editora Peirópolis vem fazendo um ótimo trabalho com sua coleção Clássicos em HQ, em que obras da literatura universal são adaptadas por artistas nacionais. Dom Quixote (de Cervantes, por Caco Galhardo), Auto da Barca do Inferno (de Gil Vicente, por Laudo Ferreira e Omar Viñole) e O Corvo, (de Poe, por Luciano Irrithum) são alguns bons exemplos.

O título mais recente da coleção é A Mão e a Luva em Quadrinhos, de Machado de Assis, com roteiro de Alex Mir e arte de Alex Genaro. A obra original foi publicada em capítulos no ano de 1874 e faz parte da fase romântica do autor.

Guiomar, jovem de bela figura e espírito independente, de origem humilde e adotada pela baronesa quando esta perdeu uma filha da sua idade, precisa administrar três pretendentes à sua mão.

Apesar de nesta fase já ficarem evidentes algumas das características mais conhecidas do Machado “realista” – o sarcasmo, a crítica social –, é curioso lembrar como no Romantismo a pureza do amor e as boas intenções superam até as mesmo as rígidas convenções sociais da época.

Alex Mir faz uma tradução (como defendem alguns teóricos, no lugar de “adaptação”) competente, sem cortes abruptos nem sobressaltos no roteiro – o que por si só já é um grande feito. O texto machadiano é tão coeso que dificulta achar o ponto de corte.

Justamente por conta dessa dificuldade, alguns quadros e mesmo páginas inteiras de A Mão e a Luva em Quadrinhos acabam sofrendo com o excesso de palavras. Mas nisso o autor original sai em socorro do roteirista: o estilo de Machado é tão instigante, especialmente nos diálogos, que mesmo a grande quantidade de texto não torna a leitura maçante.

A arte de Alex Genaro é limpa e precisa, como convém a uma obra que tem como alvo prioritário o púbico infanto-juvenil. Não sou especialista em século XIX, mas a reconstituição de época nos cenários, figurinos e gestuais parece bastante correta.

O único senão é o uso frequente de setas para indicar a sequência de leitura dos quadros. Este recurso era bastante utilizado em meados do século passado, quando os artistas começaram a romper a estrutura rígida de nove quadros por página e a inovar na diagramação.

Como ainda não tinham pleno domínio da narrativa em quadrinhos, usavam o artifício de “guiar” os olhos do leitor (da esquerda para a direita, de cima para baixo) por meio destas setas. Hoje em dia, é um recurso que empobrece a narrativa. Intencionalmente ou não, de certa forma este artifício confere um ar “retrô” à Mão e a Luva em Quadrinhos.

O livro tem 64 páginas, capa e miolo coloridos, formato 20,5 x 27 cm e preço de R$ 35.

Para quem já leu o livro de Machado, é bastante curioso visualizar a forma como os autores do quadrinho imaginaram os personagens e cenários; para quem nunca leu, é uma boa oportunidade de entrar em contato com uma das grandes obras da literatura brasileira.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2021