Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: 8Inverso

8Inverso seleciona originais de quadrinhos e livros

Logo_8inverso

Tem um projeto de quadrinhos na gaveta? Confia no seu taco? Então esta pode ser sua oportunidade de publicar por uma editora que vem primando pela qualidade dos lançamentos.

A gaúcha 8Inverso (O Boxeador, Bourbon Street, Baby’s Black) está selecionando originais até o dia 31 de dezembro. A oportunidade está aberta para autores de quadrinhos e também de ensaios de humanidades, romances juvenis ou adultos e livros infantis, que precisam ter “ênfase histórica, biográfica ou social”. Os textos devem ser submetidos na íntegra, acompanhados de um parágrafo de sinopse e currículo do autor.

No caso dos quadrinhos, só valem graphic novels (história em edição única, não seriada). O autor precisa encaminhar o roteiro completo e algumas páginas desenhadas, além do currículo. Quem tiver portfólio com trabalhos anteriores publicados, mesmo que em blogs pessoais, deve enviar também, pois isso será levando em conta na seleção.

O endereço eletrônico para remessa do material é exclusivamente escritalegal@8inverso.com.br, em formato PDF.

2014: O que vem aí pela 8Inverso

8INVERSO - Turnê de Despedida

Neste ano, a editora gaúcha vai privilegiar a publicação de literatura brasileira, mas nem por isso abandona os leitores de quadrinhos. Há apenas um lançamento previsto para 2014. E vale muito a pena.

Trata-se de Bourbon Street 2 – Turnê de Despedida, de Philippe Charlot e Alexis Chabert, conclusão da trama iniciada em Os Fantasmas de Cornelius.

No primeiro volume, lançado pela 8Inverso em 2012, o músico sexagenário Alvin reúne seus amigos para lembrar os velhos tempos da estrada, e dá início à busca pelo desaparecido Cornelius. Alvin conta com a ajuda inesperada de ninguém menos que o fantasma de Louis Armstrong.

Em Turnê de Despedida, a trupe, mais uma vez guiada por Armstrong, sai em turnê por bares decadentes e revive todas as dificuldades de quem tem a música como ofício e paixão.

A previsão para chegar às livrarias é no primeiro semestre.

O Boxeador: Relato emocionante de um sobrevivente

boxeador capa frente real

Reinhard Kleist fez seu nome ao produzir uma série de biografias em quadrinhos (veja abaixo agenda do autor no Brasil). Depois de Elvis Presley, Johnny Cash e Fidel Castro, chega agora ao Brasil, novamente pela editora gaúcha 8Inverso, a história de vida de um personagem bem menos famoso.

O Boxeador relata o drama de Hertzko Haft, judeu polonês enviado aos campos de concentração nazistas quando ainda era adolescente.

Ajudou muito o fato de Haft ser um cara durão. Ele se destacou nas lutas de boxe improvisadas pelos militares alemães e ganhou a simpatia de um oficial. Se isso não lhe trouxe privilégios, pelo menos adiou a viagem sem volta para as câmaras de gás.

Com o final da guerra, Haft mudou-se para os Estados Unidos e deu início à carreira de pugilista profissional. Seu maior feito foi ter enfrentado um dos grandes nomes daquele esporte à época, Rocky Marciano.

Tudo isso é contado em primeira pessoa por Haft, num relato que fez perto do final da vida ao seu filho Alan – e que rendeu a biografia Um dia, eu contarei tudo, na qual se baseia a graphic novel de Kleist.

O pano de fundo do relato comovente de um sobrevivente de Auschwitz, entre outros campos por que passou, é o horror que o nazismo representou na história da Humanidade.

Quando esse panorama político é trazido para a vida cotidiana das pessoas é que se percebe com mais clareza a crueldade da política de Hitler. Foi o caso de Haft, arrancado de sua amada Leah às vésperas do casamento. Em grande parte, a esperança de reencontrá-la foi o que o manteve vivo.

O final, que não será revelado neste texto para não estragar a surpresa, traz o leitor de volta à primeira página e provoca aquele nó na garganta.

A grande ironia da história de Hertzko Haft é que se por um lado a guerra destroçou seu sonho, por outro trouxe a ele a fama que jamais poderia almejar se tivesse tocado sua vida como filho de um mercador numa cidade industrial do interior da Polônia.

Kleist tem traço preciso e narrativa fluida. Capricha nos enquadramentos e ousa na diagramação. Isso tudo aliado a uma história sensível faz de O Boxeador uma leitura para lá de agradável. O livro traz, como extras, esboços do autor, fotos de Haft e um posfácio sobre o esporte nos campos de concentração.

A 8Inverso mais uma vez fez um ótimo trabalho editorial. O único reparo é quanto ao tipo e tamanho do letreiramento que, especialmente no papel pólen, dificultam a leitura em alguns momentos.

O Boxeador tem 200 páginas, capa colorida, miolo em preto e branco, e preço de R$ 51.

Kleist no Brasil

Para divulgar o lançamento de O Boxeador, a 8Inverso está trazendo o autor Reihard Kleist para uma maratona de atividades na Bienal do Livro do Rio de Janeiro:

30 de agosto

14h30: Oficina de quadrinhos aberta ao público, com Reinhard Kleist.

31 de agosto

15h30: Oficina de quadrinhos com dez jovens da Rocinha, com Reinhard Kleist e mediação do editor Cássio Pantaleoni.

17h: Palestra “Um panorama da produção de quadrinhos na Alemanha”, com Reinhard Kleist e o tradutor Augusto Paim.

1º de setembro

12h: Reinhard Kleist no Café Literário discute “O traço e a escrita na produção do narrar”, com Daniel Pelizzari e Rodrigo Rosa; mediação de Bruno Dorigatti.

13h: Lançamento da obra O Boxeador e sessão de autógrafos com Reinhard Kleist. Mediação de Augusto Paim e Cássio Pantaleoni.

15h: Palestra “Castro, Cuba – como é a criação de uma novela gráfica?”, com Reinhard Kleist e Augusto Paim.

8Inverso traz “O Boxeador” para o Brasil

boxeador capa frente real

Esta é a quarta biografia em quadrinhos feita pelo alemão Reinhard Kleist que a editora lança por aqui – as anteriores foram Johnny CashCastro e Elvis – esta última uma coletânea de vários artistas organizada por Kleist.

O Boxeador acompanha a história de vida do pugilista polonês HertzkoHaft. Judeu capturado pelos nazistas, conseguiu sobreviver a vários campos de concentração na Segunda Guerra Mundial graças ao desempenho em combates entre presidiários, que serviam de diversão aos alemães.

A história, baseada na biografia Um dia eu contarei tudo: a história de sobrevivência do boxeador judeu HertzkoHaft, de Alan Scott Haft (inédita no Brasil), é narrada do ponto de vista do filho de Hertzko, Alan.

A carreira de pugilista é apenas o fio condutor de um drama que envolve a crueldade a que judeus foram submetidos durante a guerra: separação da família, trabalho forçado, luta diária pela sobrevivência, fome, saudade…

O Boxeador guarda também uma história de amor: a lembrança do romance não vivido na juventude motiva Hertzko a mudar-se para os Estados Unidos ao final da guerra para se tornar pugilista profissional. No fundo, o que ele queria era ficar famoso para aparecer nos jornais e, quem sabe?, ser reconhecido pela amada, também uma imigrante naquele país.

O livro integra a coleção 8Inverso Graphics e custa R$ 51. Tem 200 páginas em preto e branco, e traz como extras esboços, fotografias e um posfácio sobre a prática do boxe nos campos de concentração.

O lançamento acontece no final deste mês durante a Bienal do Livro do Rio de Janeiro, com presença do autor.

2013: O que vem por aí pela 8Inverso

A editora gaúcha vem se firmando no mercado de quadrinhos mais pela qualidade dos lançamentos do que pela quantidade.

Já no mês de abril a 8Inverso lança a aguardada continuação de Bourbon Street – Os Fantasmas de Cornelius, excelente e caprichada graphic novel francesa sobre um músico veterano tentando voltar à estrada.

Em Tournée d´adieux (título original), os autores Philippe Charlot e Alexis Chabert mostram que, apesar do entusiasmo, a estrada já não parece tão fácil como na juventude – mesmo com a ajuda de um anjo da guarda para lá de especial, o espírito de Louis Armstrong. Um novo contrato no clube Baton Rouge pode mudar o rumo desta história.

Em agosto, a 8Inverso lança Der Boxer, do alemão Reinhard Kleist. É o quarto álbum do autor no catálogo da editora – os anteriores foram as biografias de Johnny Cash, Fidel Castro e Elvis Presley.

Der Boxer narra a história de um judeu polonês que se refugia no boxe para sobreviver ao holocausto nazista. Terminada a guerra, ele parte para os Estados Unidos onde, mais uma vez, usa a luta para ganhar a vida (veja preview na galeria abaixo).

Para completar, está em produção um novo álbum da artista Paula Mastroberti, que lançou pela 8Inverso, em 2012, a adaptação de A Bela Adormecida.

 Oficinas

A 8Inverso abre o ano com uma série de oficinas culturais ministradas por escritores, ilustradores e profissionais do mercado editorial. Os cursos incluem temas como narrativa curta, leitura de textos infantojuvenis, interpretação de texto e roteiro de quadrinhos.

Programação:

Oficina literária de narrativa curta – Módulo 1, com Caio Riter

De 5 de março a 21 de maio, todas as terças-feiras, das 19h às 21h.

Oficina de leitura, linguagem e interpretação, com Cássio Pantaleoni

Às sextas-feiras, dias 8, 15 e 22 de março; 5, 12 e 19 de abril, das 18h30 às 21h.

Oficina de leitura de LIJ e elaboração de roteiros de leitura, com Elaine Maritza da Silveira

Aos sábados, dias 16 e 30 de março; 13 e 27 de abril; 11 e 25 de maio; 8 e 22 de junho, das 9h às 12h.

Oficina de roteiros de quadrinhos, com Maurício “Maumau” Rodrigues

Aos sábados, nos dias 2, 9, 16 e 23 de março, das 14h às 17h.

Oficina de ilustração, com Martina Schreiner

Às segundas-feiras, dias 18 e 25 de março; 01, 08, 15, 22 de abril, das 19h às 21h.

Oficina de Crônica, com Rubem Penz

Às quartas-feiras, dias 06, 13, 20 e 27 de março; 03, 10, 17 e 24 de abril; 08, 15, 22 e 29 de maio, das 19h às 21h.

Oficina de Leitura Compartilhada, com Nóia Kern

Às quintas-feiras, nos dias 4, 11, 18 e 25 de abril; 2 e 9 de maio, das 14h às 17h.

Todas oficinas acontecem na sede da 8Inverso (Rua Azevedo Sodré, 275, bairro Passo d´Areia, zona norte de Porto Alegre/RS). Inscrições pelo site www.8inverso.com.br e vagas limitadas a dez participantes.

Exclusivo: Preview de “Baby’s in Black – O quinto Beatle”

A graphic novel do alemão Arne Bellstorf será lançada no Brasil pela editora gaúcho 8Inverso em novembro, durante a feira do livro de Porto Alegre.

Papo de Quadrinho teve acesso exclusivo a informações e três páginas da HQ, que o leitor confere na galeria abaixo.

O livro ainda está em processo de editoração. Faltam revisão, aprovação da capa nacional e impressão.

Veja a sinopse de Baby´s in Black – o quinto Beatle: A história de Astrid Kirchherr & Stuart Sutcliffe:

Hamburgo, 1960. Astrid Kirchherr terminou seu curso de arte e agora trabalha como assistente para seu antigo professor. Seu relacionamento com Klaus Voormann, um jovem designer gráfico, aos poucos fenece.

Em uma noite de outubro, depois de outra discussão, Klaus retorna tarde da noite, empolgado com o que descobrira em St. Pauli, o bairro boêmio de Hamburgo: um grupo de jovens ingleses toca rock´n´ roll num bar chamado Kaiserkeller. Quando Astrid decide acompanhar o namorado ao tal lugar naquela noite, ela não imagina que sua vida está prestes a mudar.

Assim, somos introduzidos à história que mostra o início dos Beatles antes de seu estouro como fenômeno pop e o envolvimento de Astrid com Stuart Sutcliff, o quinto Beatle e grande amigo de John Lennon. A graphic novel de Arne Bellstorf explica a influência de Astrid sobre o visual dos Beatles e faz um retrato do difícil começo da banda que viria mudar a história da música e da cultura popular para sempre.

Trata-se de um capítulo pouco conhecido da história de uma das maiores bandas de rock de todos os tempos. Baby’s in Black foi publicado originalmente na Alemanha em 2010 e em diversos países, como Estados Unidos, Espanha, Itália, Holanda, Inglaterra, Reino Unido, França e Dinamarca.

A edição da 8Inverso terá 208 páginas, formato 17 x 24 cm, capa e miolo em preto e branco. O preço ainda não foi definido.

Jazz embala nova HQ da 8Inverso

A editora anunciou para o final deste mês a primeira parte de Bourbon Street – Os fantasmas de Cornelius, graphic novel de autoria de Phillipe Charlott (roteiro), Alexis Chabert (arte) e Sébastien Bouet (cores).

O primeiro quadrinho francês publicado pela jovem editora 8Inverso gira em torno da história de Alvin, guitarrista veterano, aposentado e frustrado que decide voltar à ativa depois de constatar o sucesso da banda cubana Buena Vista Social Clube.

Para isso, Alvin terá que contar com antigos parceiros e descobrir o paradeiro do exímio trompetista Cornelius, desaparecido há 50 anos. Nesta missão, Alvin contará com a inusitada ajuda do fantasma de Louis Armstrong.

O livro tem introdução do escritor Luis Fernando Veríssimo, conhecido aficionado por jazz. Traz, ainda, estudos da arte e comentários dos autores.

Além da França, a obra já foi publicada na Itália, Alemanha e Holanda. O segundo volume sai na França ainda neste ano e deve chegar ao Brasil, pela 8Inverso, em 2013.

Bourbon Street – Os fantasmas de Cornelius tem 56 páginas, capa e miolo coloridos e preço de R$ 51.

2012: O que vem por aí pela 8Inverso

No ano que acabou, a editora trouxe para o Brasil três biografias produzidas pelo alemão Reinhard Kleist: Johnny Clash, Elvis e Castro.

Em 2012, a 8Inverso se volta para a produção nacional e investe em duas adaptações de clássicos da literatura universal produzidos pela artista gaúcha Paula Mastroberti – conhecida por suas reinterpretações de Hamlet, Odisseia e Dom Quixote (imagem acima), todas publicadas pela Rocco.

Os títulos anunciados são Peter Pan e A Bela Adormecida.

Fora do circuito dos quadrinhos, a editora também publicará em 2012 livros de ficção voltados para o público juvenil dos autores Sergio Napp, Dilan Camargo e Luis Dill.

Biografia de Fidel Castro em quadrinhos tenta manter o equilíbrio

Quando divulgou o lançamento de Castro, da editora 8Inverso, este editor se comprometeu a retornar ao assunto depois de ler a obra e confirmar, ou não, se ela fazia apologia ao regime autoritário de Cuba.

O autor Reinhard Kleist tenta manter um certo equilíbrio e distanciamento. Não à toa, escolheu a figura fictícia de um repórter fotográfico para fazer o papel de testemunha ocular e narrador dos fatos.

Por meio de entrevistas com os rebeldes, já instalados na Sierra Maestra, Karl Mertens toma conhecimento da infância de Fidel e de como ele passou de filho de filho de latifundiário a líder do bem sucedido levante que culminou na tomada de poder em Cuba.

A Revolução Cubana é mesmo um feito incrível e merece figurar nos livros de História. Sob o governo inconstitucional de Fugêncio Batista, a ilha havia se transformado no bordel dos Estados Unidos e da própria máfia americana às custas do sofrimento de toda a população pobre. Foi um pequeno grupo de rebeldes que transformou a desvantagem em vitória e se propôs a promover o bem estar social.

Por isso mesmo, Castro dedica a maior parte de suas páginas a vida pregressa de Fidel, aos preparativos do levante e aos primeiros anos do novo governo.

Foi a partir do embargo americano a Cuba, acirrado após o assassinato do presidente Kennedy, da tentativa de golpe na Baía dos Porcos e da crise dos mísseis soviéticos que o governo revolucionário alinhou-se à União Soviética e sucumbiu à tentação dos regimes autoritários: o poder corrompe, e poder absoluto corrompe de forma absoluta.

Kleist não ignora este fato e demonstra como os próprios companheiros de Fidel na Sierra Maestra passaram a ser perseguidos, seja por sua orientação sexual seja por suas ideias liberais.

O curioso na narrativa de Kleist é que justamente Karl, um estrangeiro, é um dos poucos de seu grupo que mantém a visão romântica da revolução e se recusa a admitir que seus ideais foram deixados de lado.

As execuções sumárias nos primeiros meses da revolução, a propaganda ideológica, a vida precária a que a população foi submetida, tudo isso é apresentado em Castro, porém sem o mesmo destaque que os atos “heróicos” que os antecederam.

No final, com Fidel já afastado do poder pela doença, Kleist faz uma tentativa de redimir o velho ditador ao lhe atribuir a frase dita por Simon Bolívar e que encerra a obra: “Aquele que serve a uma revolução ara o mar”.

Pessoalmente, prefiro a frase do poeta mexicano Octavio Paz que abre a edição brasileira: “Ao assumir o poder, o revolucionário assume a injustiça do poder”.

A obra é recomendada inclusive para que cada leitor tire suas conclusões. A pesquisa história é muito bem feita e Kleist tem ótimo domínio da narrativa gráfica, além de um traço elegante muito competente em reproduzir as características dos personagens e dos cenários.

Castro é o terceiro título do selo 8Inverso Graphics – os outros dois são Johnny Cash – Uma Biografia e Elvis, todos de Reinhard Kleist -, tem 228 páginas e custa R$ 51.

A vida de Fidel Castro em quadrinhos

Conforme antecipado pelo Papo de Quadrinho, a editora gaúcha 8Inverso confirma para março a biografia em quadrinhos do ditador cubano.

Castro, escrita e desenhada pelo alemão Reinhard Kleist, parte da fictícia viagem de um jornalista à Cuba em 1958 para pesquisar a vida do rebelde Fidel Castro e, de repente, torna-se testemunha ocular da revolução que iria mudar a vida da ilha.

A partir daí, a HQ cobre a vida de Fidel Castro desde a tomada do poder até o recente afastamento por motivos de saúde. Para produzir a obra, Kleist passou um mês em Cuba, em 2008 – o que deu origem a outro livro em quadrinhos, Havana.

Lançada no Brasil apenas cinco meses depois de sair na Alemanha, Castro tem prefácio do jornalista alemão e biógrafo de Fidel Castro, Volker Skierka, também colaborador na pesquisa histórica.

Não li a HQ ainda para fazer qualquer julgamento. Entendo que nem todo autor é Joe Sacco (Palestina, Notas sobre Gaza) e nem todo quadrinho histórico se propõe a fazer jornalismo.

Porém, é comum este tipo de obra romantizar movimentos sociais ao destacar apenas suas benesses e omitir os problemas inerentes a todo regime autoritário – ainda mais o de Cuba, que já dura mais de 50 anos.

Assim que tiver acesso à HQ, Papo de Quadrinho vai publicar uma resenha confirmando ou desmentindo esta primeira impressão.

Castro é o terceiro título do selo 8Inverso Graphics – os outros dois são Johnny Cash – Uma Biografia e Elvis, todos de Reinhard Kleist. O lançamento tem 228 páginas e vai custar R$ 51.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020