Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Author: Jota Silvestre (Page 3 of 81)

Artistas brasileiros na Edições 100 da Panini

Atualizado em 19/03/2011

Joe Prado, Eddy Barrows e Ivan Reis formam o time que produziu as capas exclusivas para as revistas Batman, Superman e Liga da Justiça, publicadas no Brasil pela Panini e que chegam à centésima edição em março.

As artes originais das capas são o prêmio do sorteio Concurso Cultural Panini Comics Edições no 100 da DC Comics que a editora está lançando.

Os interessados em participar devem enviar uma arte – desenho, foto ou colagem – acompanhada de uma frase que represente as 100 edições publicadas – com até 140 caracteres.

Pode-se concorrer para os três títulos, porém com uma inscrição separada para cada um. Após a pré-avaliação por uma comissão da Panini, os três artistas brasileiros darão a palavra final sobre os vencedores.

Os primeiros colocados ganharão as artes originais e um ano de assinatura das revistas da DC publicadas pela Panini. Outros 100 receberão revistas com as capas alternativas exclusivas.

Mais detalhes, como prazos, formato das artes e endereços para remessa podem ser conseguidos no hotsite da promoção.

Mulher-Maravilha: revelado uniforme do novo seriado

O assunto que dominou o universo nerd na tarde desta sexta-feira (18) foi a foto publicada pelo site da revista Entertainment Weekly com a atriz Adrianne Palicki devidamente trajada como a princesa amazona (clique na foto para ampliar).

A escolha da loirinha Palicki já havia causado algum estranhamento entre os fãs mas, como se pode constatar na imagem ao lado, isso não foi um problema.

A questão mais polêmica está relacionado ao uniforme que, em relação ao original, difere no uso das calças compridas azuis no lugar do shortinho estrelado, e nas botas também azuis em vez de vermelhas.

O quesito fidelidade também fica comprometido pelo que se sabe do argumento até agora: a Mulher-Maravilha vai atuar como combatente do crime na cidade de Los Angeles; em sua identidade secreta de Diana Prince, é uma alta executiva das Indústrias Themyscira (nos quadrinhos, este é o nome do local onde fica a Ilha Paraíso, lar das mitológicas guerreiras amazonas das quais a Mulher-Maravilha se origina).

O seriado deve se concentrar nos percalços da heroína para equilibrar as duas exaustivas funções.

Para as audiências mais jovens, o novo seriado da Mulher-Maravilha, produzido pela rede americana NBC, pode funcionar; para os mais antigos, Adrianne Palicki larga em desvantagem na comparação com Lynda Carter, a Mulher-Maravilha “definitiva”, estrela do seriado homônimo dos anos 1970.

O consolo é que poderia ser pior se os produtores optassem pelo discutível uniforme criado pelo artista Jim Lee e introduzido nos quadrinhos no final do ano passado.

Vale o Investimento: Zumbi: O Livro dos Mortos

À primeira vista, o livro escrito pelo jornalista Jamie Russel pode parecer apenas mais um almanaque sobre mais um gênero do cinema.

Não é. O ótimo lançamento da Leya/Barba Negra é um dos melhores – se não o melhor – estudos a tratar deste tema.

Logo na introdução, Russel diz a que veio: “Poucos monstros dos filmes de terror são tão malvistos quanto o zumbi. Enquanto vampiros, lobisomens e até assassinos seriais demandam respeito, o zumbi nunca é visto como algo mais que um bufão que se arrasta às margens do cinema de terror (…)”.

Parte deste preconceito vem da falta de uma herança literária dos zumbis – diferente do Conde Drácula ou do monstro de Frankenstein, por exemplo. São, também, um mito moderno, nascido (pelo menos enquanto entretenimento) no começo do século XX.

O autor faz um verdadeiro tratado antropológico da mitologia dos mortos-vivos desde suas raízes no vudu do Haiti até virar febre nos Estados Unidos nos anos 1930.

Para Russel, poucos monstros do cinema serviram tanto ao propósito de representar as tensões culturais da sociedade. Nos primeiros filmes norte-americanos do gênero, realizados durante a ocupação dos Estados Unidos na ilha caribenha, o zumbi representava os conflitos raciais, a supremacia da “ciência branca” sobre a “superstição negra”.

Nas décadas seguintes, a figura do morto-vivo encarnou os temores da Segunda Guerra e da Guerra Fria, o desrespeito aos direitos civis, a propagação da AIDS.

Zumbi: O Livro dos Mortos é baseado em farta bibliografia de várias áreas do conhecimento, do cinema à psiquiatria, e muito bem ilustrado.

No final, aí sim o leitor encontra uma completíssima filmografia zumbi. A edição da Leya/Barba Negra teve o cuidado de separar esta extensa lista entre os filmes lançados e não lançados no Brasil.

Zumbi: O Livro dos Mortos tem 464 páginas, formato 23 x 20 cm e custa R$ 44,90. Vale o investimento!

Nova tira da Luluzinha Teen

Photobucket

Minissérie Loki vira desenho animado – veja o trailer

Photobucket

Se você já acha sensacional esta HQ – que a Panini publicou por aqui em duas partes, em 2005, e num encadernado, em 2007 – imagine como ela ficaria um desenho animado.

Melhor: imagine que a animação siga o estilo realista do artista Esad Ribic.

Pois é isso mesmo que acaba de acontecer. A Marvel, por meio da produtora Marvel Knights Animation, acaba de divulgar o lançamento da animação em quatro episódios Thor & Loki: Blood Brothers para o final deste mês.

A adaptação, feita pelo próprio Ribic e pelo roteirista da série, Robert Rodi, tem um visual tão fiel ao quadrinho que chega a parecer um motion comics.

A má notícia é que o desenho estará disponível apenas para usuários do iTunes, Xbox LIVE e Playstation Network, a partir do dia 28 de março, ao preço de US$ 2,99 (alta definição) e US$ 1,99 (padrão) cada episódio.

Em Loki, o Deus do Trapaça assume o poder em Asgard e aprisiona Odin e todos seus leais súditos. Em conversas com cada dos prisioneiros, em especial com Balder, o Bravo, Loki começa a tomar consciência do seu destino e do verdadeiro papel de Thor na ordem das coisas. Só que pode ser tarde demais para arrependimentos…

Agora é torcer para a Marvel exibir o novo desenho no canal Disney XD depois da estreia nas mídias digitais, a exemplo do que aconteceu com o desenho Avengers: Earth’s Mightiest Heroes.

HQs de super-heróis a R$ 1,99

A Panini anunciou para este mês o primeiro número de duas novas publicações: Marvel + Aventura e DC + Aventura.

As revistas, bimestrais, terão formato americano, 28 páginas, distribuição nacional em bancas e preço convidativo: R$ 1,99.

A ideia, segundo a Panini, é atrair novos leitores – e mesmo os antigos – com a publicação de “momentos históricos” das duas editoras americanas.

A primeira edição de Marvel + Aventura vai trazer a história que mostra o primeiro embate entre Wolverine e Lady Letal, escrita por Chris Claremont e desenhada por Barry Windsor-Smith (Uncanny X-Men 205, maio de 1986).

No caso de DC + Aventura 1, trata-se de verdadeiros clássicos: a origem de Batman (Detective Comics, maio de 1939) e do Capuz Vermelho original (Detective Comics 168, fevereiro de 1951).

Torço para a iniciativa dar certo. Quem sabe este modelo não vira uma alternativa ao famigerado formato mix para as HQs atuais?

Segundo volume de Os Passarinhos terá artistas convidados

Na série de notas sobre os lançamentos em quadrinhos para 2011, Papo de Quadrinho antecipou que a jovem editora Balão Editorial vai relançar seu título de estreia, Os Passarinhos, de Estevão Ribeiro, bem como um segundo volume com participações especiais.

Entre os artistas convidados para dar sua visão pessoal da dupla Hector e Afonso estão Orlandeli, Danilo Beyruth, Lu Cafaggi, Mário César, Mário Cau, Leandro Robles, Samantha Floor, Zota e Carlos Ruas.

Acima, o leitor poderá conferir, em primeira mão, uma amostra de Os Passarinhos 2 nos traços de Orlandeli (acima, à direita) e Mário César (esquerda).

Veja o trailer do novo desenho do Lanterna Verde

http://www.youtube.com/get_player

Green Lantern Emerald Knights será lançado 7 de junho em DVD e Blu-Ray, dias antes da estreia do longa-metragem no cinema.

O desenho vai mostrar a formação da Tropa dos Lanternas Verdes a partir da história individual de seis integrantes.

A Casta dos Metabarões chega ao final no Brasil

Conforme antecipado pelo Papo de Quadrinho, a Devir acaba de confirmar o lançamento do quarto volume da série, que reúne os volumes 7 e 8 da versão original e encerra a história da família de guerreiros.

A saga de ficção científica foi criada por Alejandro Jodorowsky (roteiro) e Moebius (arte) para a revista INCAL.

Neste volume, desenhado por Juan Gimenez, o Cabeça-de-Aço deve enfrentar seu sucessor para dar continuidade às tradições da casta, com implicações que podem mudar o destino do Universo. As duas histórias também revelam como o atual Metabarão ganhou a cicatriz na face.

A editora promete, para breve, um quinto volume da série com histórias curtas e material extra.

A Casta dos Metabarões – Tomo Quatro tem 128 páginas coloridas, capa cartão, miolo em papel couché, e custa R$ 49,90.

Laerte enfrenta Provocações de Abujamra

Vai ao ar nesta terça-feira (01/03), às 23h, pela TV Cultura, a entrevista que o cartunista cedeu ao programa Provocações, apresentado pelo ator e diretor Antonio Abujamra.

Na conversa, Laerte fala sobre a carreira e seu novo estilo de vida – há dois anos, ele passou a se vestir com roupas de mulher, depilar-se e pintar as unhas, o chamado crossdresser.

Questões como relação com os filhos, os pais e a namorada, e as reações das pessoas, claro, estão na pauta.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2021