por Júlio Black

“Haole”, HQ Nacional escrita por Milena Azevedo e desenhada pela dupla Sueli Mendes e Chairim Arrais, está novamente na crista da onda. A revista, com a qual Milena concorreu ao prêmio de melhor roteirista no prêmio HQ Mix em 2017, retorna ao mercado no formato ebook e pode ser encontrada no site da Amazon, e o ah migo leitor e a ah miga leitora podem escolher comprar as cinco edições avulsas ou o pacote em volume único. Para quem não se preocupa com esses encadernados de capa dura envernizadas com 17 quilos e duas mil páginas e curte ler quadrinhos no tablet ou computador, o investimento vale os reais conquistados com o suor da labuta diária.

Milena Azevedo roteiriza essa HQ bacanuda

A história se passa em Natal, capital do Rio Grande do Norte, e tem como protagonista Irene, uma jovem surfista negra que perdeu uma das pernas em uma tragédia e, traumatizada, foge da sua cidade e da família. Sozinha na capital potiguar, Irene ganha o pão graças a pequenos furtos. Porém, ao tentar dar o migué no cliente de um restaurante, ela é pega no flagra pela dona do estabelecimento; ao invés de chamar a polícia, ela prefere dar uma segunda chance à jovem, que passa a trabalhar para a senhorinha.

Apesar de fazer algumas amizades, Irene ainda é retraída, reservada e misteriosa quanto ao seu passado, e é por meio de flashbacks que descobrimos aos poucos o que levou a surfista se fechar para o mundo e as pessoas, a ponto de ter como principal amiga a camaleão fêmea Cristianny.

Um dos baratos da revista são os elementos surreais que surgem quando Irene está pegando onda ou sonhando, com referências literárias e cinematográficas – no caso, o livro “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, e a série “Twin Peaks”, de David Lynch. Misturar a dureza e a tragédia do mundo real com a fantasia e delírios é tarefa difícil, mas Milena, Sueli e Chairim são gurias que dão conta do recado.

Além de valer o investimento pela obra em si, “Haole” ainda tem o barato de fazer parte do mesmo universo de outra HQ lançada na mesma época, mas os distintos leitores e leitoras terão que adquirir a revista para descobrir qual é. Garanto que foi uma bela surpresa.

PS: Para quem assina o Kindle Unlimited, dá pra ler Haole na faixa.

Comentários