por Júlio Black

Um redneck texano com Mal de Alzheimer recupera a memória quando a arma mais poderosa do universo – uma espada de três metros de comprimento – cai em suas mãos, e decide que não vai devolvê-la ao seu dono, um onipotente deus de um reino moribundo.

Bem que poderíamos resumir assim a trama de “God Country”, HQ publicada pela Image Comics em 2017 e que descobri recentemente fuçando nesse nosso vasto mundinho digital.

“God Country” é uma minissérie (seis edições) que conta com o roteiro de Donny Cates, arte excepcional de Geoff Shaw, colorização também excepcional de Jason Wordie e se passa essencialmente numa fazenda lá no interiorzão do Texas.

O protagonista é Emmett Quinlan, um idoso viúvo e portador do Mal de Alzheimer, responsável uma série de aporrinhações na vida do filho. Ele sai sozinho pela estrada, agride pessoas, fica perdido, a polícia precisa dar um fim às tretas, porém seu filho não aceita colocá-lo num asilo, mesmo que isso coloque seu casamento numa sinuca.

E é justamente após o mais recente transtorno provocado pelo pai que a fazenda é atingida por um tornado; coisa normal, daqueles que deixam de prêmio um demônio gigante e… Valofax, uma espada de três metros de altura e que é a tal arma mais poderosa do universo. E que escolhe justamente o senil Emmett como seu campeão. Emmet recupera o vigor físico e suas memórias enquanto estiver de posse do artefato mágico.

Emmett Quinlan encontra Valofax e muda seu destino

Não demora muito para Emmett dar um pau no demônio e descobrir a origem de Valofax com a chegada de Aristeus, filho de Attum, senhor do Reino da Eternidade, Deus dos Reis etc. e tal. O garotão (quase quatro metros de altura) reclama a espada em nome do pai, que precisa dela para manter a integridade do seu reino moribundo e evitar que sejam esquecidos na poeira do tempo.

Ou seja: motivos não faltarão para o tradicional ‘o couro come, a criança chora e ninguém vê”, seja no Texas ou num reino além da imaginação dos meros mortais.

“God Country” poderia ser apenas isso, uma HQ de porradaria extrema entre um caipira e deuses ancestrais – o que já seria muito bom, aliás, pois as sequências de batalha são de chutar bundas. Mas Donny Cates inclui na história diversas reflexões sobre família, legado, memória, despedidas, sacrifício e redenção. Não é pouca coisa, se pensarmos bem.

Veja bem: Emmett não quer ficar com a espada porque fica poderoso pra dedéu e recuperou a memória. Ele sente que tem o dever de defender sua família, seu legado, as histórias que tinha para compartilhar com o filho, a neta.

Ao final, a luta por Valofax é pano de fundo para uma história sobre o legado que todos nós sonhamos deixar um dia, o amor e sacrifício que fazemos por nossas famílias. É por tudo isso que o fã de quadrinhos precisa procurar “God Country” que infelizmente não foi publicada ainda no Brasil, mas é fácil de encontrar em inglês em seu site de compras de quadrinhos digitais favorito.

Comentários