Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Vale o investimento: Helena (mangá)

Helena

Não sou sequer um leitor acidental de mangás; então, perdoem antecipadamente qualquer incorreção no texto que segue. Cheguei a esta adaptação de Helena, da NewPop, por indicação de um amigo – ele, sim, um leitor assíduo do gênero.

O nome de Machado de Assis já era atrativo suficiente; a produção nacional e a ordem de leitura ocidental terminaram por me convencer. Ainda bem.

Helena faz parte da fase romântica de Machado e tem todos os ingredientes daquela escola literária: a heroína trágica, o herói nobre, um amor impossível.

Como outras obras do autor deste período, é possível identificar elementos do Realismo, pelo qual ficaria mais famoso, em especial a crítica social: o que impede o amor de Helena e Estácio não é o fato de serem parentes de sangue, mas de o serem no papel, perante a sociedade aristocrática.

Sem forçar muito a interpretação, é possível identificar em Helena o fatalismo, elemento que marcaria a da escola seguinte, o Naturalismo: por mais que a personagem se esforce, não consegue escapar a seu destino, e o único fim possível é a morte.

A adaptação de Montserrat é correta e competente. Mantém as falas o mais próximo possível do original e faz os cortes necessários sem provocar sobressaltos no roteiro.

Para meu espanto de ignorante no tema, o estilo shoujo, provavelmente o mais romântico do mangá, serviu bem à adaptação, pois contribui para criar uma imagem idealizada dos personagens bem ao gosto do Romantismo.

Afora a adequação, há principalmente o fato de que a arte de Simone Beatriz é um primor, com cenários muito bem elaborados e capricho nos figurinos.

Machado fez bem em me levar aos mangás; da mesma forma, espero que o oportuno lançamento da NewPop leve os leitores de mangá a Machado.

Em seu site, a editora diz que esta obra inaugura seu selo de adaptações literárias. Que seja a primeira de muitas.

Helena tem 256 páginas, capa colorida, miolo em preto e branco, formato 12,8 x 18,9 cm e preço de R$ 19,90. Vale o investimento.

Comentários

Previous

Evento de quadrinhos na PUC-SP em setembro

Next

Guardiões da Galáxia detona e é o filme mais assistido do ano nos EUA

1 Comment

  1. Monica Marcondes

    Acabei de ler o mangá e já havia lido o livro.
    Fiquei impressionada.
    Tomara que surjam outros títulos.
    Realmente vale o investimento.

Deixe uma resposta

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020