Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Categoria: Shortcut (Página 2 de 5)

A crise e a Espanha nos muros de Barcelona

A Espanha é um dos países mais afetados pela crise. Por toda a cidade vemos um clima de apreensão e quase todos os jornais dão destaque aos cortes anunciados continuamente pelo governo.

Na Catalunha, não é preciso nem conversar com ninguém para perceber a apreensão das pessoas em relação à situação. Basta mirar os muros.

Antes: Badalonando por Badalona

Badalonando

tem uma praia vizinha chamada Badalona, que não costuma entrar muito nos roteiros mais conhecidos da cidade, mas que vale a pena pela calmaria e clima de porto e “casa de praia”, que domina o lugar. Durante a noite, encontramos diversos “chiniguitos”, os barzinhos à beira-mar abertos até perto da meia-noite. Ajuda também que no verão, o sol se põe apenas às 21h (ou mais).

A praia tem bem mais gente pelada naturismo que o padrão para Barcelona, o que pode ser um imenso WTF pra muita gente. Entre os bares/restaurantes no Passeio Marítimo (Passeig Maritim), o mais interessante é o Terrassa Del Pescador, que vende cerveja por 1 euro e ainda tem um hostel. De dia, o sucesso é um macaco esculpido em bronze que fica no início da ponte Porto de Petróleo.

Ele é o mascote de uma famosa marca de licor que mantém uma fábrica bem em frente ao mar badalonês. Pelo jeito, é motivo de orgulho por aqui.


“Se habrá cansado com la botella”, disse uma senhora sobre o macaquito

Um montão de frames de felicidade

pra espantar a tristeza dessa semana.

Essa semana está foda.
🙁

Kadafi está morto! Vida longa aos virais

Como alguém disse no Twitter: morreu. Piadas de humor negro e politicamente incorretas estão permitidas.

E essa montagem do zumbi ditador encontrado na Síria? Dica do Leal. Mas, o melhor mesmo é o legado fashion de Kadafi. Tem vários looks aqui.

Os cachorros no OccupyWallStreet

Os cães também foram às ruas protestar contras as corporações. Tem mais no BuzzFeed.

01 cidade: Gdańsk

Só cheguei em , no norte da por um único motivo. É um dos caminhos mais baratos para se chegar à quando se está na Europa. Como está na fronteira entre os dois países, o lugar é muito cheio de pessoas fazendo compras e ouve-se uma mistura de línguas muito grande, sobretudo de pessoas do leste europeu que usam o mesmo caminho para ir à Kaliningrado, a cidade russa mais perto.

Cidade pobre, no inverno fica muito difícil andar na rua para quem não é morador. As calçadas estão lotadas de gelo, e é muito comum encontrar carros totalmente submersos em camadas gigantescas de neve. Em outras cidades tão geladas, mas mais organizadas, as prefeituras usam produtos químicos para derreter o gelo e um esquema de plantão na madrugada para deixar as ruas bonitas – e transitáveis – para o dia seguinte.

Gdańsk foi uma importante cidade medieval no passado. Muitas construções que visitei datavam dos anos de 900 para trás. E eles usam esse passado para chamar mais turistas para lá. O problema é que a cidade ainda está mal preparada para o turismo internacional.

Quase ninguém fala inglês, no máximo russo, mas também é raro (e no que nos ajudaria, né?!). Para se ver, só mesmo as construções antigas, mal conservadas, mas ainda muito bonitas, como a estação de metrô, a fonte de Netuno e a Basílica Mariacka.

Só passei pela frente de todos esses e aproveitei o pouco tempo que passei lá para admirar o porto. Faz tanto frio que o mar congela! E consegui ver pessoas andando sobre as águas congeladas e deu inveja (não me arrisquei).

A feia Gdańsk consegue surpreender com imagens assim, que surgem de surpresa.

A melhor foto do Carnaval

Esse foi incrível, hein?

Acabou a piada do Quanta Ladeira?

Do JC Online.

“Pretendemos que este ano seja o último. O Quanta Ladeira cresceu muito, não estamos afim de o transformar em um Bloco S/A”, definiu o sempre extrovertido Lula Queiroga, um dos fundadores. Lula explica que o nó da questão é que, sem a prévia, definitivamente abolida pelos organizadores, não há como levantar verba para pagar os custos do . “Somos compositores, vamos criando letras. Então a gente cobrar ingresso por isso não tem muito sentido. Na rua, você passa, olha, não gosta, vai embora. Perde o sentido da coisa cobrar.”

Todo ano, a mesma conversa. Continuo na mesma ladainha. É sempre válido ir para o Quanta Ladeira, enquanto eles ainda têm graça.

haters to the left

Rachel Sheherazade, bem magoada, em comentário sobre o . Como disse Hector Lima, até parece TV Pirata.

Bitocas e polícia na Rússia

Incrível esse vídeo que peguei no Trabalho Sujo. Me lembrou que preciso começar a postar vídeos e fotos que fiz na na temporada que passei lá mês passado.

Coisas que você só imagina na Rússia!

raiva?

A semana está difícil, mas… vamo lá!

Página 2 de 5

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2021