Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Autor: Paulo Floro (Página 1 de 133)

Algumas notas sobre o Jornadas Internacionais de Quadrinhos da USP

  • Entre os últimos dias 22 e 24 de agosto rolou em São Paulo (na Escola de Comunicação e Artes – ECA USP), as 5ªs Jornadas Internacionais das Histórias em Quadrinhos. O evento já é o maior da América Latina e reafirmou ainda mais a sua relevância acadêmica pois passou a ser realizado de maneira anual a partir desta edição de 2018. 
  • Segundo Paulo Ramos, um dos organizadores do evento, este ano o Jornadas teve recorde de trabalhos inscritos, o que surpreendeu muita gente. Por ser a primeira vez que acontecia em dois anos consecutivos, existia o temor da diminuição da quantidade de resumos submetidos. 
  • Muitos trabalhos interessantes foram apresentados no Jornadas este ano, mas destaco aqui a grande quantidade de trabalhos sobre a obra de Marcelo D’Salete, autor de Cumbe e Angola Janga. É bom ver que a a academia já se debruça sobre uma das obras mais importantes das HQs brasileiras em muito tempo. 
  • Apresentei parte de minha pesquisa sobre o imaginário do sertão nos quadrinhos, desta vez com um olhar apenas sobre a obra de Jô Oliveira. Vi muitos trabalhos que, assim como o meu, também analisam a bibliografia dos quadrinhos brasileiros e sua relação com a história e as representações da cultura brasileira. 
  • A conferência de abertura foi da professora Barbara Postema, que também lançou no Brasil o livro Estruturas Narrativas nos Quadrinhos (Peirópolis). Na sua palestra ela falou sobre os quadrinhos mudos. 
  • A conferência de abertura foi novamente bem descontraída –  diferente de muitos congressos acadêmicos – e ainda contou com o anúncio dos vencedores do Troféu HQ Mix nas categorias “melhor TCC”, “melhor dissertação” (vencida por Mayara Lista) e “melhor tese” (vencida por Liber Paz, agora bicampeão do prêmio).
  • Não pude ir no último dia, mas deu para ter uma ideia de como o evento foi bem prestigiado. Sem dúvidas, o Jornadas é hoje um dos espaços mais ricos de debate sobre quadrinhos no Brasil.  Mais do que um evento acadêmico ele é um agregador de uma riqueza crítica sobre essa mídia e suas diversas intersecções com áreas diversas. A presença de veículos especializados cobrindo o evento também indica que o interesse do grande público tem crescido. 
  • E o que é importante: estamos construindo um registro dos estudos de HQs, o que nos ajuda a dar perspectiva e aumentar a importância que os quadrinhos têm hoje nos diversos programas de pós-graduação. 
  • E teve paçoca! 

 

O incrível pôster de Suspiria, de Luca Guadagnino

Apaixonado por esse pôster de , filme de que é um remake do clássico de horror em technicolor de Dario Argento de 1977. O longa foi uma das coisas mais lindas e assustadoras (na mesma medida) que vi no cinema. Passou no último Janela Internacional de Cinema do Recife em 2017. Dizem que a versão de Guadagnino (diretor de Me Chame Pelo Seu Nome) é ainda mais perturbador. Tem Tilda Swinton, Dakota Johnson e Chlöe Grace Moretz no elenco. Ainda sem data no Brasil.

Revolução dos Bichos, de Odyr, será publicada na Itália, Espanha e EUA

Ainda nem saiu no Brasil, mas a HQ de , A Revolução dos Bichos, adaptação do clássico de George Orwell, será publicada no exterior. Segundo a coluna Babel, do Estadão, a obra ganhará edições na Itália (pela Mondadori), na Espanha (pela Penguin Random House España) e EUA (Houghton Mifflin Harcourt).

Odyr pintou a adaptação toda em aquarela. Aqui no Brasil a obra sai pela Companhia das Letras via selo Quadrinhos na Cia. A obra de Orwell é uma alegoria sobre os jogos de poder da nossa sociedade.

A capa da edição brasileira. 

 

“A Terrível Elizabeth”: HQ do brasileiro Aarabson sai pela Image nos EUA

O gibi do brasileiro , , vai ganhar edição em inglês pela Image Comics. A obra saiu pela Instituto HQ e teve pouca repercussão. Nos EUA, a HQ será chamada de The Terrible Elisabeth Dumn Against the Devils In Suits e sai no formato “one-shot”, uma edição única em formato americano.

A história gira em torno do pacto que o pai de Elizabeth, uma menina pouco sociável, faz com um homem que lhe aparece 20 anos depois para cobrar a dívida. Assustado, o patriarca da família Dunn oferece a filha como moeda de troca. O que ninguém se dava conta é que Elizabeth é uma adolescente com força descomunal e levá-la não será fácil.

Veja a galeria com o preview: 

The Comics Journal volta a ser publicada como revista impressa

A Comics Journal, uma das principais publicações sobre quadrinhos do mundo, volta a ser publicada de forma impressa. Continuando do número #303, a revista custará 15 dólares e terá duas edições por ano. O lançamento é da Fantagraphics.

O número de retorno chega em janeiro de 2019 com capa de Tomi Ungerer, autor de livros infantis e cartunista satírico. A edição traz ainda uma matéria sobre gentrificação nos quadrinhos, uma introdução aos trabalhos dos cartuns gays de Alex Gard e rascunhos do francês Antoine Cossé. Os novos editores serão RJ Casey e Kristy Valenti.

A Comics Journal foi fundada em 1976 e teve sua última edição em formato revista publicada em novembro de 2009 na edição #300. A edição #301 em 2011 marcou a mudança para o formato livro, que tinha mais de 600 páginas. A edição #302 veio em 2013 e desde então a revista funcionou apenas com o site (que é bem atualizado e traz ótimos conteúdos, aliás).

A volta da Comics Journal impressa é bastante oportuna em tempos de excesso de informação online e competição pela atenção nas telas. O tempo do papel é diferente e isso pode significar um ganho de qualidade nas reflexões sobre o meio. E os quadrinhos merecem uma publicação de prestígio ocupando espaço nas bancas e livrarias.

Cartaz original de Tubarão ganha versão revitalizada

(1975), um dos filmes mais icônicos de Steven Spielberg, tem também um dos cartazes mais famosos da história do cinema. A imagem de um tubarão gigante prestes a abocanhar um incauto nadador no mar ficou para sempre marcado na memória.

E, apesar de existir muitas versões desse pôster, nenhum é tão impactante e esteticamente bonito quanto o original assinado por . O artista é autor de diversos cartazes icônicos, como o de Star Wars – O Império Contra Ataca. Ele fez a obra em tinta a óleo, mas o original se perdeu após ter sido enviado para a Universal quase 40 anos atrás. O que tem por aí são reproduções, muitas delas bastante apreciadas por colecionadores.

Agora, Kastel se uniu à empresa Mondo para recriar uma versão revitalizada do cartaz. Chris Billheimer e Jason Edmiston trabalharam na separação de cores e layout e Bruce Yan na tipografia. Agora a obra está sendo vendida em reproduções de 60x90cm e assinadas pelo próprio Kastel.

Cidade com uma das maiores taxas de ataques de tubarão do Brasil, Recife tem uma relação afetiva com Tubarão de Spielberg. Em 2012 o festival Janela Internacional de Cinema exibiu uma cópia remasterizada do longa no Cinema São Luiz. Foi inesquecível.

Os uniformes de Wakanda na Copa do Mundo de Futebol

Que tal Wakanda, terra do , na ? O ilustrador Mark Yesilevskiy, que mora nos EUA, imaginou como seriam os padrões do uniforme do time wakandano.

O padrão principal é inspirado no uniforme do Pantera Negra visto nos filmes da Marvel. E o segundo, o meu preferido, é baseado na roupa das . Aparentemente as roupas não têm nada da tecnologia do Vibranium (mas vai saber!).

As artes podem ser adquiridas como pôster no site do autor. (Via iO9).

Um mundo sem homens no trabalho de Aminder Dhaliwal

A quadrinista canadense tornou-se um fenômeno no Instagram e Tumblr com suas tiras e quadrinhos cheios de ironia e humor sobre gênero, feminismo e sexualidade. Feliz com essa notícia de que ela será publicada em livro pela Drawn & Quartely.

Woman World mostra um mundo sem nenhum homem. A premissa já foi vista na série Y – O Último Homem, de Brian K. Vaughan e Pia Guerra, mas ao contrário da série da Image, aqui o foco são as mulheres. E claro, a proposta aqui é outra, mais experimental, engraçada (e até filosófica, eu diria).

Segundo a editora o livro vai trazer as HQs mais populares de Aminder, além de muito material inédito. A webcomic dela segue no ar para quem quiser acompanhar.

O livro sai em setembro nos EUA.

A capa de Marcelo D’Salete para a nova edição de O Cortiço

Marcelo D’Salete, autor de Angola Janga e outros quadrinhos sobre a história dos negros no Brasil, assina esta nova capa para de . O lançamento é da editora Todavia.

Clássico da literatura brasileira, O Cortiço é um dos mais poderosos retratos do Brasil em qualquer tempo. Lançado originalmente em 1890, é um livro forte sobre pobreza, violência e ascensão social que traz muitos temas a serem discutidos até hoje.

Esse desenho de D’Salete tornou a obra ainda mais poderosa.

Revival, nova editora de HQs francesa, se dedica aos clássicos

Mais HQs históricas chegando ao mercado. A nova editora francesa Revival, capitaneada por (o mesmo da nova Cahiers du BD), vai lançar obras clássicas que estavam fora de catálogo ou esquecidas. A coleção “Bédétèque Idéal” é uma iniciativa importante para uma cartografia ainda incipiente das histórias em quadrinhos. Sonho alguém fazer isso aqui no Brasil um dia.

Entre as obras estão , de Alain Saint-Ogan, lançada em 1936 e La Variante du Dragon, de Golo & Frank. As HQs dessa coleção englobam títulos lançados entre o final do século 19, nos primórdios dos quadrinhos, e os anos 1980. A editora também vai lançar novos autores, como é o caso de Berliac, autor de Sadboi.

A ActuaBD divulgou um vídeo da nova editora.

O NY Times fez uma edição especial de sua edição de domingo toda em quadrinhos

O NY Times fez a edição de sua revista dominical, o , toda em quadrinhos. O tradicional jornal norte-americano chamou um time de peso para criar histórias a partir de pautas da editoria de “Cidades” (ou Metro Desk, como eles chamam). São 12 histórias ilustradas por , Sammy Harkham, , , , , , , , , e Tom Gauld.

O resultado é um delicado compêndio de histórias bem cotidianas que retratam aspectos bem diversos das reportagens do caderno de cidades. O NYTimes publicou as HQs na íntegra em um site interativo. Algumas são bem boas como a de David Mazzucchelli sobre um esquema de falsificação de dinheiro e a de Tom Gauld sobre um homem que perdeu a vista que tinha de sua janela. Aqui tem todas as 12 HQs.

O NY Times é um dos jornais que mais dão espaço aos quadrinhos autorais com quadrinistas e cartunistas sempre presentes em pautas, especiais e projetos multimídia.

Vem aí o parque temático do Estúdio Ghibli

Que tal um parque temático do lendário de animação?

O estúdio, fundado por , confirmou o plano de construir o parque temático nos arredores de Aichi Park, em Nagóia, no Japão. O local será todo dedicado ao clássico Meu Vizinho Totoro, de 1988. Serão recriados personagens, cenários e cenas do filme de forma a criar uma experiência imersiva. A inauguração está prevista para 2020.

O longa conta a história de duas irmãs em uma casa antiga que encontram uma criatura chamada Totoro. O filme fez bastante sucesso e o estúdio acabou usando o personagem como seu mascote oficial.

Outra boa notícia do estúdio Ghibli é que Hayao Miyazaki saiu da aposentadoria para fazer o seu “último filme de animação”. Que sorte a nossa! [Via LWlies]

Página 1 de 133

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020