Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Tag: Marvel Comics (Página 1 de 3)

Homem de Ferro será uma adolescente negra em nova série da Marvel

ironwoman

Ainda estou sob o efeito do impacto do novo da Marvel. Ou melhor, da . A editora revelou que a famosa armadura do personagem será usada por uma jovem mulher negra de 15 anos na reformulação da série.

Riri Williams é uma gênia da computação do prestigiado MIT, nos EUA. Ela irá estrelar o novo título Invincible Iron Man #1, que será escrito pelo vencedor do Eisner Brian Michael Bendis. Riri já tinha aparecido brevemente nas histórias do Homem de Ferro quando chamou a atenção de Tony Stark ao recriar a armadura em seu dormitório na universidade usando a técnica da engenharia reversa. Os desenhos serão de Stefano Caselli.

O surgimento da Mulher de Ferro faz parte de uma estratégia da em reformular personagens famosos de modo a atrair um público mais diverso além do jovem homem branco. Nesta proposta já tivemos a mulher e a nova Ms Marvel, uma adolescente muçulmana filha de pais paquistaneses.

Bendis é um dos nomes responsáveis por mexer em cânones da editora. Foi ele quem criou o personagem Miles Morales, um jovem negro de ascendência latina que assumiu o traje do Homem-Aranha no lugar de Peter Parker. A HQ tornou-se um sucesso e Miles segue firme até hoje dentro da cronologia da editora. Bendis sempre foi ciente que essas mudanças não viriam sem uma reação contrária. Ele costuma debater na internet com fãs “irritados” com esse aumento de representatividade das histórias. “Tem fãs que dizem ‘mostrem-nos algo novo’, e tem outros que dizem ‘não façam nada diferente de como quando eu era criança. Então quando você introduz novos personagens sempre vai ter gente paranóica sobre como estamos arruinando a sua infância”, disse Bendis ao The Guardian. “Alguns dos comentários online – eu não acho que as pessoas realizam o quanto estão sendo racistas”.

A aparição de Riri faz parte da nova saga II, que também é escrita por Bendis. A saga, ainda inédita no Brasil, promete mudar as estruturas da Marvel pela milionésima vez. De reformulação em reformulação, é interessante ver que as histórias ganham novas cores e sabores além do habitual.

Leia o que escrevi sobre a nova série do Pantera Negra.

Marvel cancela duas capas de Milo Manara após polêmica da Mulher-Aranha

SpiderWoman1MiloManaraCrop2-640x396

A decidiu cancelar duas capas alternativas que seriam ilustradas por . A notícia chega após as polêmicas envolvendo uma ilustração do artista para a HQ da Mulher-Aranha.

A imagem de Spider Woman #1 mostra a heroína em uma pose sexy, típica dos trabalhos do artista. Feministas e uma parcela dos leitores reclamaram da capa, tida como exagerada e apelativa.

As novas capas que Manara iria desenhar para a Marvel seriam Avengers & X-Men – Axis #1 e #2. Para a primeira, o artista substituto será Siya Oum.

SPIDERWOMAN001Manara-06299-600x853

Marvel pede desculpas por capa polêmica da HQ da Mulher-Aranha

Manara_SpiderWoman-comiX

A Marvel pediu desculpas publicamente pela capa polêmica da Mulher-Aranha desenhada pelo italiano . A pose erótica irritou feministas e diversos leitores que levantaram questões sobre a objetificação da mulher nas HQs.

“Queremos que todo mundo – a maior parcela possível de leitores – se sinta confortável para ler Spider-Woman. Nós pedimos descupas – eu peço desculpas – pelas mensagens confusas que esta capa transmitiu”, disse o editor-chefe, Axel Alonso, em comunicado ao Comic Book Resources.

Alonso disse ainda que a capa não reflete o tom da história e foi feita apenas para colecionadores, com uma tiragem limitada. O próprio Manara tentou se explicar mostrando o desenho por um outro ângulo. Não ajudou. Usuários no Reddit também renderizaram a pose em 3D para mostrar que ela é humanamente impossível.

Spiderwoman_3022869b

Spiderwomancrop_3022870c

A capa de Spider-Woman #1, série inédita no Brasil, teve uma capa alternativa desenhada por Manara, que é conhecido por quadrinhos eróticos aclamados pela crítica, como O Clic e O Perfume do Invisível. Mesmo com todas essas referências, a Marvel não foi perdoada e recebeu diversas acusações de sexismo. Os defensores dizem que a editora está indo na direção correta do mundo atual ao dar mais títulos para personagens femininas. Além da , Tempestade e Capitã Marvel também receberam suas próprias revistas.

Compete contra a editora o histórico ruim da Marvel em relação à representação feminina, marcada pela exploração do corpo como maior mote para as vendas. Isso vem mudando bastante, mas o número de autoras nos quadrinhos norte-americano ainda é bem pequeno (cerca de 30%, segundo Alonso). “A Marvel está longe de ser perfeita, mas estamos mudando.”

Spider Woman #1 tem roteiro de Dennis Hopeless e desenhos de Greg Land e chega aos EUA em novembro.

SPIDERWOMAN001Manara-06299-600x853

Caixa de 75 anos da Marvel Comics é o maior artigo de luxo das HQs este ano

caixa-marvel-5

A Marvel divulgou detalhes da caixa comemorativa dos 75 anos da editora. Olhem o nível do luxo: 10 volumes em capa dura, um livro-pôster ilustrado por Alex Ross e assinado por Stan Lee e um layout que faz referência à mansão dos Vingadores.

A caixa Marvel Famous Firsts: 75th Anniversary Masterworks chega às comic-shops norte-americanas nesta semana e pode ser importada pela Amazon e outros e-commerces, além de grandes livrarias aqui no Brasil. O preço, segura aí: 500 dólares (cerca de R$ 1.200).

caixa-marvel-1

caixa-marvel-4

caixa-marvel-2

A capa de Milo Manara para a Mulher-Aranha reacende polêmica sobre exploração feminina

SPIDERWOMAN001Manara-06299-600x853

O desenhista italiano Milo Manara está causando polêmica mais uma vez. Tudo por causa de uma capa variante da HQ da . Em uma pose estranha e exageradamente sensualizada, o que levantou novamente o debate da objetificação feminina nos quadrinhos.

Manara é conhecido por esse estilo hiper-sexualizado. Ele possui obras clássicas do quadrinho erótico, como O Clic e O Perfume Invisível, em geral com um traço delicado e uma narrativa envolvente, bem amarrada. No entanto, suas participações no mercado de quadrinhos dos EUA, em geral, são desastrosas.

X-Men – Garotas em Fuga, lançado por aqui pela Panini e escrita por Chris Claremont, é tido como um dos piores trabalhos de Manara. Agora, com essa capa de Mulher-Aranha, ele ganha mais uma obra “menor” no currículo. Além de Manara, a nova revista da personagem ainda tem capa variante de Skootie Young e Siya Oyum.

Sobre esse tema indico duas colunas de Dandara Palankof na Revista O Grito!: “Super-herói é coisa de menina” e “Leitores machistas, parem de ler HQs“.

Spider-Woman terá de roteiro de Dennis Hopeless e arte de Greg Land, que também assina capas. O primeiro número chega em novembro. [Via UniversoMarvel616]

Marvel divulga detalhes da coletânea de 75 anos

Marvel_75th_Anniversary_Omnibus_Cover-693x1024

A Marvel divulgou detalhes do encadernado que comemora os 75 anos da editora. Como falamos aqui, o livro Marvel 75th Anniversary Omnibus teve histórias escolhidas através de uma votação com os fãs.

As histórias escolhidas foram estas: Fantastic Four (1961) # 1, # 48 a # 50 e # 285; Hulk (1962) # 1; Avengers (1963) # 1 e # 57; Amazing Spider-Man (1963) # 31 a # 33, # 50, # 121 e # 122; Incredible Hulk (1968) # 181; Giant-Size X-Men # 1; X-Men (1963) # 141; Uncanny X-Men (1981) # 142; Daredevil (1964) # 181; Marvel Graphic Novel # 1 e # 5; (1966) # 337; Marvels # 1; X-Men Alpha; Thunderbolts (1997) #1; Amazing Spider-Man (1999) # 36; The Ultimates (2002) # 1; Captain America (2005) # 25; Hawkeye (2012) # 11 e HQs da revista Captain America Comics (1941) # 1, Amazing Fantasy (1962) # 15, and Amazing Spider-Man (1963) # 248 e # 700.

A capa é de Paolo Rivera. Entre os autores que estão na compilação estão Stan Lee, Jack Kirby, Alex Ross, John Romita Jr., Mark Waid, Frank Miller, Chris Claremont, Steve Dikto, Ed Brubaker e Dave Cockrum. Roger Cruz é o representante brasileiro na obra.

Marvel 75th Anniversary Omnibus custa 100 dólares e não tem previsão de sair no Brasil.

Marvel tenta popularizar Justiceiro com novo encadernado

capa-Justiceiro-4

, o mais violento dos personagens da Marvel, já foi mais popular no Brasil – sobretudo na fase Superaventuras Marvel e mais recentemente na passagem de Garth Ennis pelo título. Agora, a Panini tem uma estratégia interessante para alavancar o anti-herói com essas edições capa dura a preços baixos. É algo parecido com o que a editora vem fazendo com Demolidor.

Justiceiro 4 tem 156 páginas, capa cartão, miolo LWC e custa R$ 21,90. O mais novo volume estrelado pelo herói mais cafuçu da Marvel reúne duas minisséries lançadas nos Estados Unidos originalmente sob os títulos Punisher War Zone 1-5 e The Trial of the Punisher 1-2.

Na primeira, escrita por Greg Rucka (Superman, Gotham City Contra o Crime) e desenhada por Carmine Di Giandomenico (Homem-Aranha Noir) o Homem-Aranha descobre que Castle usou seus lançadores de teia para realizar uma ação que resultou na morte de dezenas de pessoas, o que coloca o herói aracnídeo diretamente em seu encalço.

Completando o encadernado, a história “O Julgamento do Justiceiro” leva Castle para dentro de um tribunal após ele confessar ter assassinado um promotor de justiça. A trama é de Marc Guggenheim (, Homem-Aranha) e ilustrações fenomenais de Leinil Francis Yu (Os Novos Vingadores, Superior) e Mico Suayan (). Justiceiro 4 tem previsão de chegada às bancas ainda este mês.

Pegando carona no filme, Guardiões da Galáxia tem nova HQ lançada no Brasil

guards

A Panini parece ter perdido o timing, mas enfim a editora anuncia uma nova HQ de , que chega às bancas este mês de agosto.

Guardiões da Galáxia – Edição Especial tem 148 páginas e traz as edições 1 a 6 da revista Guardians of the Galaxy. Pela capa dá para perceber que a intenção é aproveitar o sucesso do filme que chegou aos cinemas no final do mês passado, estrelado por Chris Pratt.

Diz a sinopse: “A trama mostra a equipe enfrentando um perigo de proporções colossais: após a violenta investida do ser cósmico chamado Aniquilador e de uma tentativa de conquista pelos organismos coletivos da Falange, o nosso universo se encontra bastante fragilizado. Impérios caíram, raças chegaram à beira da extinção e a destruição total parece iminente. É nesse cenário dantesco que Peter Quill, mais conhecido como Senhor das Estrelas, decide que é necessário formar um grupo para proteger toda a existência. Sendo assim, ele reúne alguns dos mais poderosos seres que o universo já viu. Adam Warlock; Drax, o Destruidor; Gamora; a nova Quasar, Phyla-Vell; Mantis; Groot; e, claro, Rocky Racum.” Trata-se de um novo começo imaginado para o grupo, lançado originalmente em 2008.

A HQ tem roteiros de Dan Abnett e Andy Lanning e desenhos de Paul Pelletier. Vale lembrar que ainda há muito material do grupo a ser lançado no Brasil. É que antes de Guardiões da Galáxia, os personagens “espaciais” da nunca fizeram muito sucesso no Brasil. Pelo tanto de boas histórias ainda inéditas, espero que o longa dos Guardiões mude isso por aqui.

Guardiões da Galáxia – Edição Especial tem 148 páginas e custa R$ 19,90.

Howard – O Pato está de volta, agora em versão de luxo

howard

Howard – O Pato sempre foi um personagem da Marvel que dividiu opiniões. Tido como cult por uns e uma ironia não compreendida por outros, ele nunca foi unânime. Agora, por causa de uma certa aparição recente nos cinemas, ele ganha novos holofotes este ano.

A anunciou a versão encadernada de suas histórias, que sairá em outubro. Howard – The Duck é um livro em capa dura com praticamente todas as histórias do personagem, que foi criado em 1973 por Steve Gerber e Val Mayerick.

No Brasil ele é conhecido pelo filme Howard – O Super-Herói, que passava direto na TV Globo e foi produzido por George Lucas.

Sony pode lançar filme de super-heroína baseado no universo de Homem-Aranha

frank-cho-spider-woman-h2012m

Um filme de super-herói estrelado por uma mulher pode finalmente sair do papel. Segundo o site Deadline, a planeja um longa com uma protagonista heroína como parte um spin-off de O Espetacular Homem-Aranha.

Entre as especulações de nomes para esse filme estariam a e a Gata Negra. Há ainda outros rumores de longas estrelados por vilões como Venom e Sexteto Sinistro. O estúdio está empolgado com a boa repercussão das franquias de super-heróis.

No entanto, o último O Espetacular Homem-Aranha 2 não teve o resultado esperado nas bilheterias, nem entre a crítica. Ainda assim os supers nos cinemas têm se mostrado um investimento de risco relativamente baixo.

A primeira imagem oficial do filme do Homem-Formiga

homem-formiga

A San Diego Comic-Con nem começou de fato (o início será neste final de semana), mas as editoras seguem divulgando novidades para este ano. A revista Entertainment Weekly publicou um pôster do novo filme do feito pela Marvel especialmente para o SDCC.

O longa será lançado em julho de 2015 e está cercado de expectativas, já que o personagem tem uma popularidade bem menor que seus colegas de editora, como , e .

Capitão América negro, Thor mulher: mudanças “polêmicas” é estratégia velha da Marvel

avengers-now_1000x791

A semana foi movimentada para leitores da Marvel. A editora norte-americana fez três anúncios que chamaram atenção da mídia em todo o mundo. A primeira delas é que Thor passaria a ser uma mulher. A segunda, revelada nessa quarta (16) no programa de TV Colbert Report, do Comedy Central, é que Sam Wilson, o Falcão, passaria a ser o . A informação foi dada por Joe Quesada, editor-chefe da editora.

Já a revista Entertainment Weekly revelou mais planos da editora. Uma delas é que haverá um novo , chamado Superior, que usará uma armadura apelidada de “Genius Bar”, toda branca com detalhes pretos cromados. O alter-ego está sendo mantido em segredo, por enquanto.

Não é de hoje que os leitores de quadrinhos de super-heróis vivenciam mudanças bruscas em personagens. É parte do jogo da indústria de comics norte-americanas. Ao contrário do mercado europeu, japonês e até mesmo o brasileiro, as coisas por lá nunca podem ter fim. E isso pede uma renovação constante (e vendas, idem). O resultado dessa pressão por resultados é um esgotamento criativo.

sam_wilson_cap_america

Apesar da mídia não-especializada fazer alarde, essas mudanças não são novidades na cronologia da editora.

já mudou de identidade outras vezes, inclusive coexistindo com diversas versões. Basta se lembrar do Bill Raio Beta, que era um alienígena. Já um Capitão América negro foi visto na fase em que o herói era Isaiah Bradley (com boas histórias, diga-se). O mesmo vale para Homem de Ferro e suas inúmeras transformações.

Na nova fase dos Vingadores, o Thor homem, aquele que todos conhecemos, vai atuar no supergrupo, mas agora usando um machado sagrado chamado Jarnbjorn. Ou seja, ao contrário do que disse o roteirista Jason Aaron, teremos sim mais de um Thor no Universo Marvel.

Mais detalhes serão revelados durante a Comic-Con, que acontece em San Diego, na Califórnia, na semana que vem. Não estranhe que daqui a alguns meses, quando o segundo filme dos Vingadores estiver prestes a estrear, todas essas mudanças “polêmicas” sejam desfeitas.

Esta não é a primeira nem será a última crise de criatividade da Marvel. Com as vendas em baixa, o negócio é arriscar. Vai do gosto de cada um seguir apostando nesse jogo.

iron01

Leia Mais
O fim da revista Vertigo pode ser algo a se comemorar
A chegada de Marvel Now ao Brasil
Reformulação da DC Comics é ótimo momento para colecionar heróis

Página 1 de 3

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020