Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Tag: Angeli

Quadrinhistas brasileiros e a maioridade penal

Imagem_Redu_o_da_Maioridade_penal
Uma das tiras de Dahmer sobre o tema.

Os quadrinhistas brasileiros têm sido vozes importantes contra o retrocesso representado pela redução da . A PEC 171 passou em votação de primeiro turno na Câmara dos Deputados nessa quarta (1º) através de uma manobra regimental do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB). Um dia antes, a proposta tinha sido rejeitada pelo plenário.

Nomes como , e Jean estão usando a grande mídia para chamar atenção para o tema e o quanto isto vai prejudicar a juventude brasileira – em especial os mais pobres e negros. Outros nomes como consegue bastante repercussão na interwebz com trabalhos tão tristes quanto chocantes. Fizemos uma seleção de autores que estão opinando sobre a maioridade penal. O post vai ser atualizado com novas produções em breve. Conhece alguma charge/tira legal para compartilhar? Diz aí nos comentários.

galvao
A charge de , publicada na Folha de S. Paulo, viralizou esta semana.

bennet
Bennet, chargista da Folha de S. Paulo, tem feito diversos trabalhos contra o retrocesso da redução da maioridade.

angeli
Angeli, na Folha de S. Paulo.

nani2
Nani.

laerte
Laerte, uma das mais vozes mais ativas sobre o assunto. Aqui na coluna Laertevisão, na Folha.

laerte2

laerte_maioridade_penal

laerte1

laerte5
As tiras acima foram publicadas na Folha de S. Paulo entre o final do ano passado e o começo deste ano. Daria para fazer um post apenas com o trabalho da quadrinhista sobre o assunto.

angeli3

Angeli tem produzido charges para a Folha de S. Paulo sobre o assunto desde 2013, como esta acima.

Erramos: Uma versão anterior deste post creditava a Jean Galvão de João Montanaro. Pedimos desculpas pela mancada.

Cartunistas da Folha fazem beijaço contra Marco Feliciano

beijaco-angeli-laerte-adao-sieber-caco-594x791

Os cartunistas da Folha de S. Paulo organizaram um beijaço coletivo contra o deputado . Nunca vi uma iniciativa parecida nos quadrinhos nacionais. , , , , e participaram. Vou correr para comprar a edição impressa, que isso é histórico.

Foi Laerte que teve a ideia e pediu aos colegas cartunistas. [Via Folha]

Direitos humanos no Brasil, por Angeli

angeli

, sempre gênio, resumindo o que o Brasil tem de mais #fail.

O Mensalão, por Angeli

No meio de uma enxurrada de notícias relacionadas ao (todos queremos um desfecho logo, certo), o cartunista foi mestre ao conseguir sintetizar toda a história do escândalo em uma HQ publicada nesse domingo na Folha de S. Paulo. Vale muitíssimo a pena ler. Veja completo no site da Folha.

Parada gay, por Angeli

Dica de Rafaella Soares.

Angeli na Trip de agosto

trip-191-angeliUma das capas desse mês da Trip é o cartunista . Ele é o entrevistado das “Páginas Negras”, seção de entrevistas da publicação, assinada pelo jornalista Fernando Luna. A capa, claro, é assinada pelo próprio traço do artista, que é personagens de suas tiras.

No papo, Angeli fala de , tema central dessa edição, religião, drogas e . Separei um trecho. Angeli é criador de personagens famosos, como os Skrotinhos, Mara Tara, Rê Bordosa, entre outros. A tira Chiclete Com Banana é publicada diariamente pela Folha de S. Paulo.

Dá pra ler a entrevista, aqui.


Está mais difícil ser politicamente incorreto?
É, as pessoas estão cercando os incorretos… Não desenhe isso, não desenhe aquilo. Algumas tiras causam problemas. Fiz uma, da série “Lovestórias”, em que uma mulher falava: “Você não me toca há muito tempo”. Aí o cara levantava, cobria a mulher de porrada e voltava: “Pronto, já toquei”. Recebi várias cartas dizendo que eu tava propagando a violência contra a mulher… Não percebem que o ridículo da história é o marido.

Os Skrotinhos são os personagens mais politicamente incorretos...
Meu papo sempre foi mais com delegacia de costumes do que com delegacia de política. Nas vezes que fui preso, foi por maconha.

Quantas vezes foi preso?
Quatro, todas parecidas, por causa de baganinha no bolso… Na primeira vez, tava com dois amigos no carro, chapados. Um deles gritando pela janela. A polícia civil cercou a gente no Pacaembu, perguntou se tava com alguma coisa. Disse que não, mas encontraram. Aí tiraram minha roupa, bateram, me arrastaram pelo cabelo. Eu tinha cabelo comprido.

Via UHQ.

Angeli e o bom mocismo nas tiras

“O leitor Sérgio Nardelli se queixa (“Painel do Leitor”, 5/2) da tira em que uma mulher é espancada. Não falo em nome do autor, , mas falo como autor. Se as obras precisam vir com todos os problemas resolvidos, os maus punidos e a justiça triunfante, para que são necessárias? É preciso dar algum trabalho ao cérebro e à sensibilidade. É claríssimo o sentido crítico não só da tira específica, mas de todo o trabalho do .”
COUTINHO, cartunista (São Paulo, SP)

O Bennet fala da polêmica do leitor que reclamou da tira do Angeli na Folha, em que uma mulher é espancada.

Este blog segue com sua campanha contra a polícia do politicamente correto.

Uma tira – Angeli

A evolução humana segundo . Saiu hoje na Folha de S. Paulo.

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020