hb3thatcher-600x562

Uma das pessoas mais odiadas da Terra, a ex-ministra britânica Margaret Thatcher morreu aos 87 anos, na Inglaterra. A cultura pop a retratou quase sempre com desprezo e críticas ácidas, sobretudo as HQs. A foto que abre esse post faz parte da edição #3 de Hellblazer e foi feita por Jamie Delano. No quadrinho, Constantine está sendo torturado de cabeça para baixo por demônios, enquanto assiste à terceira eleição de Thatcher.

uk_20_21_blair

Ela também foi retratada em diversas caricaturas, mesmo depois que deixou o cargo de Primeira-ministra, como mostra esse post no BleedingCool.

Na música, ninguém falou mais de Thatcher do que Morrissey. Ele a colocou na música “Margaret on the Guillotine” e descrevia a morte dela como “um sonho maravilhoso”.

O Hefner também foi bem direto na faixa “The Day That Thatcher Dies”, onde descreve uma comemoração da morte de Thatcher (já podem dançar).

Elvis Costello incluiu Thatcher na faixa “Tramp The Dirt Down”, inspirado pela eleição de mais um mandato.

Depois de sair de cena, Thatcher viveu reclusa em sua casa em Londres e foi retratada por Meryl Streep no filme A Dama de Ferro (Streep até ganhou Oscar pelo papel). No longa, quase um telefilme, a ex-primeira-ministra ganha uma segunda chance frente ao público ao ser retratada como uma mulher que precisou vencer o machismo para evidenciar suas visões políticas. O longa é brando no seu tratamento ultraconservador, no modo como esmagou protestos e líderes sindicais, além da questão das Malvinas, na polêmica guerra contra a Argentina.

Comentários