Do JC Online.

“Pretendemos que este ano seja o último. O Quanta Ladeira cresceu muito, não estamos afim de o transformar em um Bloco S/A”, definiu o sempre extrovertido Lula Queiroga, um dos fundadores. Lula explica que o nó da questão é que, sem a prévia, definitivamente abolida pelos organizadores, não há como levantar verba para pagar os custos do . “Somos compositores, vamos criando letras. Então a gente cobrar ingresso por isso não tem muito sentido. Na rua, você passa, olha, não gosta, vai embora. Perde o sentido da coisa cobrar.”

Todo ano, a mesma conversa. Continuo na mesma ladainha. É sempre válido ir para o Quanta Ladeira, enquanto eles ainda têm graça.

Comentários