Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Mês: outubro 2010 (Página 1 de 2)

Demanda do Calvin


Alter-ego

sabe das coisas. Presente via email da @nietzschiana.

Alain Delon em quadrinhos

O pessoal do coletivo O Contínuo fez esse experimento em quadrinhos ao adaptar uma cena do filme Le Samouraï (1967) de Jean-Pierre Melville, que tem a participação de . Ficou foda.

A HQ continua abaixo. Mas antes, o trabalho completo aqui.

Quatro anos de Fierro

Uma das revistas mais legais dos quadrinhos mundiais, a argentina Fierro, acaba de completar quatro anos de vida. Pra comemorar eles lançaram um concurso. Se liguem.

Bá e Moon de volta ao indie

Gêmeos famosos das HQs, e lançam HQ independente

Por Paulo Floro

Reproduzo aqui minha última sobre quadrinhos do JC Online que saiu semana passada. O assunto foram os irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá. Eles lançam mês que vem no Rio de Janeiro a nova HQ Atelier.

Numa época em que as editoras estavam se lixando para os quadrinhos (poucos títulos chegavam às livrarias), os gêmeos paulistas Fábio Moon e Gabriel Bá tinham uma ideia bastante avançada de onde podiam chegar desenhando HQs. O fanzine 10 Pãezinhos fez bastante sucesso quando era um produto totalmente independente e foi o passaporte para os dois conseguirem mais espaço no mercado editorial brasileiro e também internacional. E é ao indie que a dupla retorna no próximo mês com Atelier.

O gibi será lançado durante a Rio Comic-Con, um dos maiores eventos do gênero no Brasil e que acontece no Rio de Janeiro entre os dias 9 e 14 de novembro. Antes, Moon e Bá fazem o lançamento no New York Comic Con e no Crack Bang Boom, convenção internacional na Argentina. Foi feito no esquema independente custeado do próprio bolso dos artistas.

Essa abertura que os dois têm no circuito internacional é fruto de muita dedicação e de uma visão muito profissional sobre quadrinhos. Em uma passagem pelo Recife, no finado festival internacional que existia por aqui, os dois revelaram que passaram muitos anos viajando aos EUA para apresentar trabalhos. Hoje, recebem convites.

As conquistas (merecidas) da dupla são muitas e dizem muito ao público não conhecedor de quadrinhos, ou àqueles que leem esporadicamente: vencedores do prêmio Jabuti, da Academia Brasileira de Letras, vencedores do Eisner Awards, maior honraria da área entregue nos EUA, entre outros prêmios, como vários HQ Mix, maior premiação nacional.

Atelier, como outras HQs de Moon e Bá falam do universo urbano, com uma dose de subjetividade e dilemas comuns a qualquer pessoa. “Pensando nos próximos eventos de Quadrinhos que nos esperam, um nos Estados Unidos, um na Argentina e um no Brasil, ficamos pensando o que cada um desses públicos diferentes conhece do nosso trabalho”, disse Moon em seu blog.

No Brasil ou fora, nunca foi um momento tão bom para descobrir Fábio Moon e Gabriel Bá.

ATELIER
Dos fanzinos xerocados para diversas obras em livrarias, o caminho foi longo. Os irmãos mantêm um blog com grande parte de seu trabalho. Eles publicam lá as tiras semanais que saem na Folha de S. Paulo. Falam também do processo criativo e antecipam novos trabalhos.

MULTIPLICADOS
O trabalho de Moon e Bá estão espalhados por diversas editoras. Aqui e nos EUA. Eles também fazem trabalhos sozinhos. Bá desenhou a HQ Umbrella Academy escrita por Gerard Way, vocalista da banda de rock My Chemical Romance.

CATECISMO DA DUPLA
Obras principais para quem quer adentrar ao trabalho da dupla. Todas podem ser encontradas em livrarias e comic-shops.

10 Paezinhos – Crítica (Devir)
Um dos mais elogiados livros da série que fez a fama dos irmãos, Crítica traz histórias de amor e desencontros e é uma bela homenagem à juventude.

10 Pãezinhos – Fanzine (Devir)
Este livro remonta os primórdios da HQ e serve pra fazer um contraponto de como a dupla evoluiu nesses mais de dez anos.

5 (Independente)
Produzido em parceria com o brasileiro Rafael Grampá, a americana Becky Cloonan e o grego Vasilis Lolos, esse pequeno gibi de histórias curtas trouxe o maior prêmio da indústria das HQs aos irmãos. À venda em lojas de quadrinhos.

O Alienista, de Machado de Assis (Agir)
Essa adaptação de uma obra literária mostrou o talento dos irmãos em ousar na linguagem imprimindo seu estilo à uma história tão conhecida. Já é usado em salas de aula brasileiras. Venceu o prêmio Jabuti.

Capitão Nascimento fofo na capa da Rolling Stone

A capa da Rolling Stone de novembro quer desconstruir a figura do imortalizado na pele do ator . Depois das capas com os presidenciáveis, a edição nacional da RS acerta mais uma vez com figuras nacionais.

Quem assina o ensaio fotográfico, que vende um Wagner Moura fofinho é Daniel Klajmic. Essa edição comemora quatro anos da brasil. Belo presente!

O site tem um trecho da matéria. A revista deve chegar às bancas semana que vem.

Morar no Trianon, Centro do Recife

Matéria que fiz para o JC Online sobre os Sem Teto que moram no edifício , no Centro do Recife, onde antes funcionava um cinema. Minha editora deve saber o quanto sou fascinado pela história por trás dos e meu gosto pela arquitetura da cidade. O legal foi conhecer como vivem (e são organizados) essas pessoas que desde o mês passado ocupam o imóvel que estava abandonado.

Quem são e como vivem os moradores do Trianon

Por Paulo Floro

No último dia 9 de setembro, Edson do Nascimento, 29 anos, entrou num ônibus fretado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto em direção a um lugar ainda desconhecido. Por volta das 4 horas da manhã, o veículo estacionou em frente ao Edifício Trianon, na Avenida Guararapes, e um dos líderes anunciou que ali seria o local ocupado. Edson é um dos coordenadores estaduais do movimento e organiza mais de 350 pessoas nos sete andares do imóvel, uma média de 120 famílias. Ícone da arquitetura dos anos 1940, o prédio servia nos últimos anos apenas como camarote do desfile do Galo da Madrugada, no Carnaval.

Do lado de fora, Priscila, uma menina não maior que 18 anos, faz vigília na porta do prédio. Ela se reveza com outra pessoa em turnos de 24×24 horas para que ninguém entre sem permissão no Trianon. Não-moradores também não podem andar descompanhados dos coordenadores de andar – seis ao todo – nem entrar sem serem anunciados. Há organização em diversos setores, como iluminação, limpeza, convivência e também , ainda que muito precária. “Quando chegamos aqui encontramos muito lixo, entulho. Pessoas entravam para defecar; estava imundo”, lembra Edson, que junto com os moradores iniciou a limpeza de todos os andares.

Existe organização entre a precariedade e o improviso. Cada antiga sala se transformou num apartamento fechado com cadeado. Ao lado de antigos patrocinadores do Carnaval pintados na parede, estão os números de cada moradia. Alguns têm a inscrição com o nome atual morador e sua função. “Conceição coordenadora”, dizia um no terceiro piso. Entre as atribuições dessas pessoas, estão a de zelar pela boa convivência entre os sem-teto, mediar brigas, anotar reclamações e manter a discrição dos ocupados na vizinhança. Com eles, também ficam a chave dos banheiros. Cada andar também tem dois, sem água corrente nem chuveiro. A água do prédio estava cortada e, por isso, foi feita uma ligação clandestina, mas a água que sai é salobra. “Buscamos água em Paulista, em outra ocupação, mas é insuficiente”.

Pra ler o texto completo e a matéria vinculada, vem aqui.

Nessa galeria tem mais fotos que fiz

Filme dos mineiros já tem cartaz?

Segundo o Matias (que voltou das férias, perceba pelo feed cheio) o filme sobre os já tem cartaz. Quem assina é o Adam Campbell.

Banksy na abertura dos Simpsons

é mesmo um gênio. Ele fez a abertura de um episódio dos Simpsons e está causando polêmica nos EUA. Claro, o artista não perderia a chance de criticar o modo de vida norte-americano e fazer sua velha militância .

Dica do Delfin.

Aborto na Veja em 1997

No meio de toda a polêmica e discussão sobre o aborto (e como a religião está ganhando importância nessa disputa presidencial), circulou nesta quinta (7) na internet uma capa da de 1997.

Quem se arrisca a dar uma pauta dessa agora?

Falando nisso, Marcelo Soares falou tudo que penso dessa questão para sua da MTV.

Nas pistas, Weslian Roriz

“Eu quero defender toda aquela corrupção” já pode ser hit nas festas. Virou hit na web.

Nova Hola Que Tal?! – The pinta issue

A grande estrela da festa é , mas não custa dizer que toco neste dia.

Laerte vê Tiririca

mostra sua visão da discussão “ eleito deputado”, bastante comentado nessas . No Blog do Minotauro.

Página 1 de 2

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020