é um dos maiores autores de quadrinhos de todos os tempos. Foi ele quem inventou o termo graphic novel, trazendo às HQ’s um status de arte nunca antes vivenciado. É considerado um nome importante não só na arte sequencial, como na cultura popular em geral. Dada sua relevância, tem um prêmio que leva seu nome, distribuído entre os melhores da área em cada ano. Entre suas obras conhecidas estão Um Contrato Com Deus, Avenida Dropsie e A Força da Vida.

Quem acompanha quadrinhos ou conhece o mínimo do setor, o parágrafo acima é claro e notório. Para quem não se liga, já seria o bastante para atestar a importância da publicação do homem no Brasil, certo?

Agora, depois da polêmica do álbum Dez Na Área…, em que José Serra criticou a escolha da obra para alunos do ensino público Um Contrato Com Deus, de Eisner, também presente nas bibliotecas escolares pode encontrar o mesmo problema.

Abaixo o que saiu hoje no blog do Universo HQ.

Nesta terça-feira, 2 de junho, o programa SP TV, da Rede Globo, apresentou uma matéria sobre o livro Um Contrato com Deus, de Will Eisner, publicado pela Devir.

De acordo com a matéria, o livro contém ilustrações de pedofilia, brigas familiares, violência, etc.

O foco foi informar que o álbum não é adequado para crianças, mesmo estando presente em diversas bibliotecas escolares, sendo necessário orientação para os leitores da obra conforme sua faixa etária.

É clara a falta de entendimento da área dos quadrinhos por muita gente, mas agora parece que a abordagem parece ser mais coerente. Contudo, não seria surpresa ver o Serra falando ser de mau gosto Will Eisner.

O Brasil…

Comentários