Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Data: 1 de agosto de 2008

dead is ok

Cartaz da “mostra gráfica de cinema zombie”, em Medellín, Colômbia.

lojinha do brooklyn

A Rocketship é a loja dos sonhos. Fica em Nova York e promete ter um dos maiores acervos de quadrinhos independentes. É pra entrar e babar (ou chorar, no caso).

Pequena fotenha do lugar

Foto: Mike Baehr

e outra

e mais outra



Essas fotos de cima foram durante o Free Comics Day.

Chega né?

desabafo

Não entendi bulhufas esta hq em hebraico, mas achei interessante a cara do demônio falando com um cara comum. Depressão é barra.

Desse ótimo Flickr do Apathic.

heavy

O Walter divulgou novo desenho da sua hq Raven’s Black, segundo ele um “western-heavy metal”. Massa o blog dele, o máquina fantasma.

dr de dinossauro

Outra web comic bem legal é o Dinousaur Comics, do canadense Ryan North. A idéia é genial de tão absurda: dois dinossauros conversando sobre absolutamente tudo: de star trek a profissões. Espécie de Seinfield jurássica. A série faz tanto sucesso nos EUA/Canadá que já dura 5 anos. Detalhe que os desenhos são sempre os mesmos, em todas as páginas, todo dia. Gosto quando eles discutem relação.

Tem mais aqui.

fucking love

O Sieber falando de amor.

my boy

Falando no belga Oliver Schrauwen, descubro que ele tem ao menos uma obra aclamada pela crítica, My Boy, lançada em 2006 pela editora Bries.

Também ficou curioso?

mome

A nova edição da coletânea MOME, da fantagraphics já está disponível para encomenda. A hq que reúne nomes bacanas das artes gráficas e quadrinhos independentes sai no dia 30 de agosto nos EUA. Tem David B. neste volume. A capa é de Olivier Schrauwen

feriado

Reli O Longo Dia Das Bruxas. Quem nunca leu, não sei se vale os R$ 95 da nova edição capa dura, mas é uma das edições ‘definitivas’ do homem morcego.

* também dessa hq não li mais nada do jeph loeb que me empolgasse.

amy

It’s okay in the day I’m staying busy
Tied up in love so I don’t have to wonder where is he
Got so sick of crying
So just lately
When I catch myself I do a 180
I stay up clean the house
At least I’m not drinking
Run around just so I don’t have to think about thinking
That silent sense of content
That everyone gets
Just disappears soon as the sun sets

This face in my dreams sees in my guts
He floats me with dread
Soaked in soul
He swims in my eyes by the bed
Pour myself over him
Moon spilling in
And I wake up alone

If I was my heart
I’d rather be restless
The second I stop the sleep catches up and I’m breathless
This ache in my chest
As my day is done now
The dark covers me and I cannot run now
My blood running cold
I stand before him
It’s all I can do to assure him
When he comes to me
I drip for him tonight
Drowning in me we bathe under blue light

His face in my dreams sees in my guts
He floats me with dread
Soaked in soul
He swims in my eyes by the bed
Pour myself over him
Moon spilling in
And I wake up alone
And I wake up alone
And I wake up alone
And I wake up alone

Porque sempre podemos contar com Amy nesses momentos.

ste, jamie e leah

Delicada Atração (Beautiful Thing, 1996)

Caí de cabeça nos anos 90 com este filme. Gostei da leah. Ela me lembra a Ninja, do Go! Team. O filme tem momentos em que afunda o pé no melodrama, mas é sincero. Sincero e delicado.

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020