anacristina

No ano em que Ana Cristina César (1952-83) é homenageada na Flip, a Companhia das Letras coloca nas livrarias mais um livro da poeta. O lançamento faz parte de uma nova coleção que tem como proposta lançar clássicos da poesia brasileira em formato de bolso. A primeira leva traz ainda obras de Waly Salomão e Paulo Leminski.

A Teus Pés é o primeiro e único livro de Ana Cristina César e foi lançado em 1982. Reunia os três volumes que a autora tinha publicado entre 1979 e 1980 de forma independente Cenas de abril, Correspondência completa e Luvas de pelica. O livro compilava esses trabalhos e apresentava material inédito. Esse clássico foi incluído em Poética, que a Companhia das Letras lançou em 2013, mas pela primeira vez é lançado como foi idealizado pela autora.

Ana Cristina rompeu com as fronteiras da prosa, poesia e ensaio em uma obra marcada por um eu lírico cheio de personalidade. Seu estilo logo chamou atenção no meio literário e ela acabou fazendo parte da antologia 26 Poetas Hoje (1976), organizado por Heloísa Buarque de Hollanda. É tida como o principal nome da poesia marginal no Brasil e da geração mimeógrafo dos anos 1970, mas sua obra é tão singular que chega a se isolar como algo único dentro da poesia brasileira.

A edição de A Teus Pés tem 144 páginas e custa R$ 19,90.

Foto: Julio Covello/Reprodução

Foto: Julio Covello/Reprodução

Mais poesia de bolso

Nesta primeira leva da coleção Poesia de Bolso, a Companhia das Letras ainda lança Caprichos & Relaxos, de Paulo Leminski (168 págs, R$ 19,90). Lançado originalmente em 1983 traz os principais poemas que o autor tinha escrito até então, além de inéditos e outros publicados em edições independentes e revistas de arte;

O outro lançamento é Me Segura Qu’Eu Vou Dar Um Troço, de Waly Salomão (128 págs, R$ 19,90). Em 1970, Waly esteve preso no Carandiru por portar, nas palavras do próprio poeta, “uma bagana de fumo”, e ali começou a escrever este primeiro livro. Entre a prosa, a poesia e o ensaio, esta obra revolucionária se tornou determinante para o movimento de contracultura que floresceu no Brasil naquela década.

Sem mais artigos