UM ANO SEM SALINGER

Conhecido por ser um verdadeiro hermitão e por ter passado os últimos 50 anos de sua vida recluso e cuidando de jardinagem, comendo hambúgueres e jogando tênis, JD Salinger manteve intensa correspondência com o amigo britânico Donald Hartog. Eles se conheceram em 1938 e mantiveram extensa correspondência que foi doada para a Universidade de East Anglia pela filha de Hartog. Ao total são 50 cartas e quatro cartões postais que estarão disponíveis para pesquisa e para leitura dos fãs do autor de “O Apanhador no Campo de Centeio”.

As cartas revelam o autor gostava de ouvir os três tenores – José Carreras foi o seu favorito – e gostava  muito de tênis tendo predileção por “Tiger” Tim Henman. As cartas revelam, ainda, sua predileção pelos sanduíches da Burger King e o gosto por viagens para lugares exóticos como as Cataratas do Niágara e o Grand Canyon.

Sem mais artigos