Tropa de Elite não conseguiu chegar ao Oscar, mas continua como vitorioso nas premiações cinematográficas. Depois de vencer o festival de Berlim, o longa levou nove prêmios no Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro, que aconteceu na noite de ontem, no Rio. O filme do diretor José Padilha levou os prêmios de melhor direção, ator (Wagner Moura), efeitos especiais, montagem, som, melhor filme pelo voto popular, direção de foto, maquiagem e ator coadjuvante (Milhem Cortaz).

O Ano Em Que Meus Pais Saíram de Férias também não ficou para trás nas premiações. Foi escolhido pela Academia Brasileira de Cinema como o melhor filme desta edição do Grande Prêmio Vivo de Cinema, realizada na noite desta terça-feira (15) no Rio de Janeiro.

Na categoria documentário, o vencedor foi Santiago, de João Moreira Salles. A animação Wood & Stock, baseada nos personagens de Angeli, estreou com vitória na recém-criada categoria do prêmio. A atriz pernambucana Hermila Guedes venceu como melhor atriz por sua atuação em O Céu de Suely.

Confira todos os vencedores

Melhor Longa-Metragem de Ficção:
“O Ano que Meus Pais Saíram de Férias”, de Cao Hamburguer

Melhor Longa-Metragem de Documentário:
“Santiago”, de João Moreira Salles

Melhor Direção:
José Padilha
“Tropa de Elite”

Melhor Atriz:
Hermila Guedes, como Hermila / Suely
“O Céu de Suely”

Melhor Ator:
Wagner Moura, como Capitão Nascimento
“Tropa de Elite”

Melhor Atriz Coadjuvante:
Silvia Lourenço, como viciada
“O Cheiro do Ralo”

Melhor Ator Coadjuvante:
Milhem Cortaz, como Capitão Fábio
“Tropa de Elite”

Melhor Direção de Fotografia:
Lula Carvalho
“Tropa de Elite”

Melhor Direção de Arte:
Cássio Amarante
“O Ano que Meus Pais Saíram de Férias”

Melhor Figurino:
Kika Lopes
“Zuzu Angel”

Melhor Maquiagem:
Martin Macias Trujillo
“Tropa de Elite”

Melhor Roteiro Original:
Cláudio Galperin, Cao Hamburguer, Bráulio Mantovani, Anna Muylaert.
“O Ano que Meus Pais Saíram de Férias”

Melhor Roteiro Adaptado:
Heitor Dhalia e Marçal Aquino
“O Cheiro do Ralo”

Melhor Montagem de Ficção:
Daniel Rezende
“Tropa de Elite”

Melhor Montagem de Documentário:
Eduardo Escorel e Lívia Serpa
“Santiago”

Melhor Trilha Sonora:
Cartola
“Cartola, música para os olhos”

Melhor Som:
Leandro Lima, Alessandro Laroca e Armando Torres Jr.
“Tropa de Elite”

Melhor Efeito Especial:
Phil Neilson e Bruno Van Zeebroeck
“Tropa de Elite”

Melhor Longa-metragem estrangeiro:
“A Vida dos Outros” (Das Leben Der Anderen, ficção, Alemanha)
Dirigido por Florian Henckel Von Donnersmarck
Distribuição Europa Filmes / MA Marcondes

Melhor Longa-metragem de Animação:
“Wood e Stock, sexo orégano e rock’n’roll”, de Otto Guerra

Melhor Curta-metragem de Ficção:
“Beijo de Sal”, de Fellipe Barbosa

Melhor Curta-metragem de Documentário:
“A Cidade e o Poeta”, de Luelane Corrêa

Melhor Curta-metragem de Animação:
“Vida Maria”, de Márcio Ramos

Melhor Filme feito para celular:
“Putz” de Everton de Oliveira Lima

Prêmio Especial de Preservação
“Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro”
Melhor Longa-metragem de ficção nacional segundo voto polular:
“Tropa de Elite”, de José Padilha

Melhor Longa-metragem estrangeiro segundo voto popular:
“Pequena Miss Sunshine” (ficção, Estados Unidos)
Dirigido por J Dayton e V. Farias
Distribuição Fox Film do Brasil

Sem mais artigos