ANIMAÇÕES DA ACADEMIA
Filme que revolucionou a animação encerra trilogia e concorre a Melhor Filme no Oscar. Toy Story 3 merece tudo isso

Por Paulo Floro
Editor da Revista O Grito!

Por tudo que Toy Story representou para a animação mundial, por ser o primeiro a desbravar esse novo formato (por mais que outros filmes clamem para si a honraria, o feito é seu) e por conseguir criar um bom universo de personagens, ninguém duvida que será dessa terceira aventura da série, o Oscar de animação deste ano. Mas, isso, ninguém está duvidando. O mais interessante é sua indicação a melhor filme, e é esse mérito que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas decidiu reconhecer este ano.

Em toda a história do Oscar, apenas três filmes de animação receberam indicações para Melhor Filme, além de sua categoria específica: Up, em 2010 e A Bela e a Fera, em 1991. Toy Story 3 completa a trilogia imaginada pelo diretor John Lasseter que entrou para a história da animação e definiu o que viria a se tornar uma tendência e mais tarde um padrão dentro do gênero. A história utiliza referências básicas de toda infância, os brinquedos.

Nesse terceiro filme, os personagens principais se veem num dilema existencial, já que estão perdendo importância para seu dono, que está crescendo e indo para a universidade. Rejeitados, iniciam uma odisseia por um mundo cruel fora do idílico quarto onde serviam como diversão. É uma fábula sobre crescimento, vida adulta e o valor que as coisas passa a ter com o tempo. Como todos os filmes da Pixar/Disney traz uma carga emocional que atinge crianças e adultos, sem, necessariamente, deixar explícito sua “lição de moral”.

Foi esse padrão de qualidade nos roteiros, não mais restritos a um público ou faixa etária, um dos principais legados da Pixar. Todos as produções, desde o primeiro Toy Story, em 1995, trazem certa malícia, referências à cultura pop, diálogos bem feitos, e para conquistar as crianças – supostamente, é um filme para elas – uma explosão de cor e efeitos visuais que só a equação criatividade + dinheiro podem comprar.

O filme ainda está indicados em outras categorias, como Canção Original, Edição de Som e Roteiro Adaptado, que merecia ganhar, ao lado de Melhor Animação, claro. Seria surpresa, mas não injusto, levar o prêmio maior do Oscar.

O Francês e o dragão
A disputa está eclética este ano no Oscar. O longa O Ilusionista, dirigido por Silvain Chomet e Como Treinar Seu Dragão, da concorrente da Pixar, Dreamworks, também estão no páreo para a estatueta.

O Ilusionista é uma delicada animação, claramente destinada a um público mais adulto e com uma história cheia de sutilezas e quase nenhum diálogo. É inspirado no universo do ícone cult Jacques Tati, um nome que só deve fazer coro entre frequentadores do Cinema da Fundação de  cinemas de arte. A história fala de um ilusionista que vive a decadência de sua arte, que perdeu espaço para estrelas de rock. Forçado a se apresentar em lugares falidos e festas em jardins, onde ninguém presta atenção, ele conhece uma jovem fã que muda sua vida.

O filme é um co-produção França e Inglaterra e ganhou distribuição nos EUA da gigante Sony. Para os fãs de animação, é um filme indispensável por ser bastante técnico, mas ainda assim poético. A fluidez dos personagens e o desenho que utiliza técnicas artesanais e modernos efeitos em computação gráfica chama bastante atenção. A Academia já premiou uma outra pérola da animação off-Hollywood, A Viagem de Chihiro, de Hayao Miyazaki, em 2003. Mas é muito difícil algum outro filme tirar o pódio de Toy Story 3. Caso isso aconteça, será mais uma das conhecidas injustiças do prêmio.

Mesmo caso é Como Treinar Seu Dragão, um filme simpático aos olhos dos especialistas no gênero, no sentido de ter ritmo, não cometer erros banais de roteiro e ser tecnicamente impecável. Até o exagero dos personagens caricatos, o que a Dreamworks carrega como bênção e maldição está bem resolvido aqui. Em resumo, poucas vezes, os indicados a Melhor Animação no Oscar foram tão bons.

TOY STORY 3
Lee Unkrich
[Idem, EUA, 2010]

NOTA: 10

Indicações Oscar 2011
Melhor Filme
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Animação
Melhor Canção Original – “We Belong Together”
Melhor edição de som

O MÁGICO
Silvain Chomet
[L’Illusioniste, FRA/ING, 2010]

NOTA: 8,0

Indicações Oscar 2011
Melhor Animação

COMO TREINAR SEU DRAGÃO
Dean DeBlois, Chris Sanders
[How To Train Your Dragon, 2010]

NOTA: 7,5

Indicações Oscar 2011
Melhor Animação
Melhro Trilha Sonora

Sem mais artigos