O Rio Tietê é um dos maiores simbólos de São Paulo. Ele encarna todas as consequências (pra lá de más) da industrialização da cidade e do próprio mundo contemporâneo. Milhares de artistas já se inspiraram nele. E isso até já se tornou clichê. Ainda com essa verve acesa, já que o rio está lá e não pode ter seu curso desviado estão em cartaz as exposições Quase Líquido e H2Olhos.

Ambas propõe a união entre arte e ecologia. A primeira estabalece paralelo entre a contemporaneidade e a condição de “quase liquidrz” que caracteriza a área mais poluída do rio. H2Olhos, por sua vez, apresenta um olhar fotográfico sobre a nascente do Tietê, em Salesópolis (interior do estado de São Paulo), onde as águas são límpidas e cristalinas.

Em cartaz no Itaú Cultural paulista o público pode conferir – na sede ou pela internet, em transmissão ao vivo – o trabalho de cinco dos 58 artistas e grupos selecionados na última edição do programa Rumos Música.

Itaú Cultural
Av. Paulista, nº 149 – São Paulo
Estação Brigadeiro

Sem mais artigos