Escrito apenas dois anos antes de Mario Puzo (1920 – 1999) terminar O Poderoso Chefão, Seis Túmulos Para Munique, publicado pelo autor sob o pseudônimo de Mario Cleri e descoberto apenas recentemente, traz todas as marcas que fizeram dele um mestre da narrativa.

Sombrio e violento, o thriller mostra, ao apresentar a história de Michael Rogan, torturado durante a 2ª Guerra Mundial, o quão longe um homem pode ir para fazer justiça. O livro acaba de ganhar edição da editora Record, e chega às livrarias esta semana. A trama trata de sete oficiais da Gestapo que torturam há semanas o capitão Michael Rogan, da Inteligência dos Estados Unidos, em 1945, em Munique.

Dez anos depois, todos os sete homens conseguiram escapar de seus julgamentos, construindo vidas novas em ambos os lados da Cortina de Ferro. Mas eles não sabem que a bala enterrada no crânio de Rogan não o matou. Agora, parcialmente recuperado dos danos provocados pelo regime alemão, ele está pronto para a vingança.

Seis Túmulos Para Munique tem 192 páginas e custa R$ 34,90.

Sem mais artigos