THE RACONTEURS
Broken Boy Soldiers
[Sum, 2006]

Jack White é bastante consciente quanto às suas pretensões de dominação. Depois de alcançar o renome com bons discos e encarnar uma excentricidade forjada com o White Stripes (ele não usa mais vermelho, branco e preto), decidiu transformar 2006 no ano em que reinaria absoluto com seu projeto paralelo, o Raconteurs. Pra começar, chamou seu amigo Brandon Benson, deu férias à Meg White e conseguiu que alguém dissesse que o disco que estava produzindo iria ser melhor que o Nevermind. Raconteurs e seu disco, o Broken Boy Soldiers é enxuto em suas pretensões; dispensa a bunda-molice de (muitos) discos do Brendan Benson e algumas músicas cansativas do White Stripes. Além disso, agrega um blues-rock vigoroso que não é trazido de nenhum dos grupos. Some tudo isso a um visual retrô e o novo penteado de Jack e teremos então o melhor (ou talvez o mais famoso e bombástico) grupo de rock deste ano. “Steady As She Goes”, o single agridoce lançado antes, é a mais perfeita fusão de Benson e White (agitada-lenta-agitada), uma das melhores músicas deste ano, “Hands” faria qualquer um arriscar um adjetivo como “perfeita”, mas a melhor música do disco é “Store
Bought Bones”, uma prova de que White pode ser conservado para sempre, caso lance discos bons como esse. Jack White se confirma como o ícone máximo da renovada que o rock sofreu na virada dos 2000 (ainda se usa “novo rock”?), e para quem ainda duvida disso, provavelmente irá se surpreender quando outro disco do White Stripes chacoalhar a mídia novamente. Este Raconteurs pode não ser o novo Nirvana, mas tornou redundante e chato, todas as viagens grunges pós-Nevermind que um dia tivemos que aturar. [Paulo Floro]
NOTA:: 8,5

Sem mais artigos