Flower punk dos americanos convence e diverte

Black Lips

THE BLACK LIPS
Good Bad Not Evil
[Vice, 2007]

The Black Lips - Good Bad Not EvilPixies, Violent Femmes, Country, Garage Punk e outros elementos do rock alternativo americano se encontram em Good Bad Not Evil, novo disco da banda de Atlanta (EUA) The Black Lips. O grupo caminha para dois caminhos: se tornarem lendas ou virarem hypes da próxima temporada de festivais. Com shows antológicos – alguns com urina, vômito e uma galinha – a banda segue surpreendendo a imprensa com sua “atitude”.

O disco tem boas idéias e conta com muitos arranjos diferentes, o que é uma arma contra a monotonia. A cada faixa temos um novo andamento, uma nova descoberta. Não confundir com falta de rumo, o intuito aqui é diversificar a diversão. Quanto mais experimentam, mais se afastam do puro e simples garage barulhento que exploraram nos quatro discos anteriores.

“O Katrina” coloca todos para dançar sobre a catástrofe. Nada de delicadeza. “Navajo” tem cheiro de boteco vagabundo e é feito com pouca produção. Chamados de “flower punk”, o Black Lips não parece muito interessado em rótulos, mas a alcunha é engraçada. Guitarras pesadas e estilo doidão. Não tinha melhor descrição para eles. [Paulo Floro]

NOTA: 8,0

Sem mais artigos