SWEET FANNY ADAMS
Fanny, You’re No Fun [EP]
[Bazuka , 2008]

Não, eles não são gringos. O Sweet Fanny Adams é brasileiríssimo – mais precisamente, pernambucanos – e lança agora seu segundo EP, Fanny, You’re No Fun. O grupo foi formado em 2006, no Recife, por Leonardo Gesteira (guitarra e vocal), Helder Bezerra (guitarra) e Diego Araújo (baixo), para fazer rock básico e direto – ou como eles mesmos definem, música “que faz você bater o pé e balançar a cabeça”.

O nome da banda vem de uma expressão inglesa que significa “nothing at all” (ou seja, “absolutamente nada”). Com um mês do surgimento, o SFA participou do festival de música independente Microfonia 2, em que chegou à final após eliminar cerca de 300 bandas. Depois de tocar com Cachorro Grande, Moptop e Forgotten Boys por algumas capitais nordestinas, o grupo fez um show no Festival Se Rasgum no Rock!, ao lado de Móveis Coloniais de Acajú e Cordel do Fogo Encantado. O primeiro EP veio em 2007: Sweet Fanny Adams, selecionado como um dos discos do ano pelo site RockPress.

Com energia e simplicidade, esse “Strokes à brasileira” escreve suas letras em inglês – ao contrário de bandas como Moptop. O segundo EP, Fanny, You’re No Fun, é baseado no rock de garagem de que a banda tanto gosta. A agitadinha “C’mon Girl” é um indie rock esperto, com riff chiclete e dançante. “Hate Song #3” e “Killing Spree” têm guitarras suingadas e bateria bem marcada, além de letras ágeis e diretas. Mais tensa, “She Wants to Burn”, que fecha o EP do indie rock brasileiro mais dançante da cena. Agora é esperar pelo disco.

NOTA: 7,0

Sweet Fanny Adams – C’mon Girl

Sem mais artigos