ac_844_page_8.jpg

Superman de Donner é introspectivo como no primeiro filme para o cinema
Por Paulo Floro

SUPERMAN O ÚLTIMO FILHO
Geoff Johns e Richard Donner (texto) e Adam Kubert (arte)
[Publicado na revista Superman 64, 100 págs, R$ 6,90, Panini]

Aguardado pelos fãs, finalmente chega ao Brasil o arco de histórias do Superman escritas por Richard Donner ao lado de Geoff Johns. Donner foi o diretor dos dois primeiros filmes do homem-de-aço e foi demitido durante as gravações do segundo longa. Admirado pelos fãs do herói, sua passagem pelo título Action Comics (que publica a história originalmente) é vista como uma revitalização nas histórias de linha do personagem.

Fica claro desde as primeiras páginas que Donner retoma seus trabalhos com o herói no cinema. A primeira cena mostra Superman na Fortaleza da Solidão, conversando com seu pai, Jor-El, interpretado por Marlon Brando no filme. Outros aspectos, como Perry White e Jimmy Olsen discutindo também lembram cenas e diálogos do longa de 1973.O trabalho de Donner é por vezes obcecado. Pondo de lado a cronologia atual do personagem, ele irá explorar a origem do Superman e elementos já conhecidos, como a solidão de estar entre humanos e a busca por suas raízes kryptonianas.

Os primeiros filmes do Superman modificaram o personagem nos quadrinhos, influenciando reformulações feitas por John Byrne nos anos 1980. Também inspirou a criação da série de TV Smallville. Agora, o próprio Donner irá reformular – de novo – o Homem-de-Aço nas HQs. Para isso, ele conta com o auxílio do escritor Geoff Johns, profundo conhecedor da mitologia DC e autor de Crise Infinita. Quem também está no time é Adam Kubert, egresso da Marvel, que modificou seu traço para dar mais dinamismo à história, caprichando nas cenas de ação.

Neste primeiro capítulo, uma criança vindo de Krypton cai em Metropolis com uma espaçonave. A partir daí, Superman irá protegê-la a usará como um último elo de seu passado. Mas Lex Luthor e o serviço secreto dos EUA tem outros planos para ele. A edição da Panini traz ainda um especial publicado em Action Comics Annual 10, onde Donner explora em pequenas histórias elementos da mitologia do personagem, como a origem de seus poderes, a vulnerabilidade à kryptonita e, mais uma vez, a solidão. Em “Quem é O Irmão Mais Velho de Klark Kent”, desenhado num traço sessentista, o jovem Clark encontra Mon-El, um alienígina do planeta Daxam que ele acreditava ser um sobrevivente de Krypton por ter os mesmos poderes. A condução do conto consegue emocionar até quem já leu tudo sobre a juventude do Superman em Smallville.

Grata surpresa nas revistas de linha da DC.

NOTA: 8,0

Sem mais artigos